CPI da Fosfo retoma trabalhos e ouve presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica

Deputados Ricardo Madalena, Roberto Massafera e o doutor Sergio Daniel Simon – A CPI da Fosfoetanolamina retomou nesta quarta-feira, 07/02, seus trabalhos na Assembleia Legislativa de São Paulo, entrando agora em sua segunda fase, após encerrar 2017 com seis sessões de trabalho, quando ouviu profissionais envolvidos nos testes clínicos realizados entre julho de 2016 a março do ano passado para comprovar a eficácia da Fosfoetanolamina sintética no tratamento do câncer. A CPI investiga se os procedimentos realizados pelo ICESP (Instituto do Câncer do Estado de São Paulo) seguiram o protocolo e as normas da Anvisa no sentido de apurar seu resultado.

A CPI tem em sua relatoria o deputado estadual Ricardo Madalena e é presidida pelo deputado Roberto Massafera. A próxima sessão está marcada para o dia 21 de fevereiro.

Nesta quarta, a CPI ouviu o doutor Sergio Daniel Simon, especializado em oncologia e presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica.

O relator, deputado Ricardo Madalena, perguntou ao doutor Sergio Simon: “O senhor acha indispensável fazer farmacocinética (estudo do destino dos fármacos no organismo após sua administração e que abrange os processos de absorção, distribuição, biotransformação e excreção) para testar a droga no ser humano?”. A resposta do doutor Sergio Simon foi categórica: “Sim. Indispensável”. Essa é uma das questões que a CPI levanta, sobre o ICESP não ter feito a farmacocinética com a Fosfoetanolamina.

De forma didática, usando slides em uma apresentação, o doutor Sergio Simon explicou à CPI o passo a passo do processo de um medicamento, desde a fase em que sua substância é colhida na natureza até ser aprovado para sua venda nas farmácias. E a ênfase foi dada justamente na fase primeira, da farmacocinética, fase esta que não foi testada pelo ICESP, e que gerou a CPI da Fosfo.

Ricardo Madalena fez questão de agradecer a presença do doutor Sergio Simon, declarando que seu depoimento será de grande valia para o relatório final.

A CPI da Fosfo tem prazo de 90 dias para concluir as investigações, podendo ser prorrogada por mais 45 dias.

QUEM É O DEPOENTE

O doutor Sergio Daniel Simon é formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo FMUSP (1973). Fez residência Médica em Medicina Interna pelo Mount Sinai Medical Center – Miami Beach (1977). Pesquisador em Hematologia, pela Rutgers University, New Jersey (1979) e em Oncologia Clínica pelo Memorial Sloan Kettering Cancer Center – New York (1980). Doutorado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo FMUSP (2003). Hoje presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Obrigatório preenchimento do campo *

*