Polícia de Barão prende em flagrante padrasto acusado de estupro de enteadas gêmeas, de 13 anos

 

Por volta das 18h de domingo (03), de acordo com o registro da Polícia Militar de Barão de Antonina-SP, um cidadão compareceu ao GP/PM local e informou que três menores, sendo duas meninas (gêmeas) e um menino, se encontravam numa padaria da cidade, onde buscaram proteção, bastantes abalados, e as meninas relataram que tinham sofrido violência sexual por parte do padrasto, o acusado EJS, 30 anos, que após as agressões afiou uma faca e disse que iria matar todos na casa, e que por medo elas fugiram.

Diante dessa informação, a equipe de serviço composta pelos PMs Diexon e Lucas se dirigiram até a padaria e encontraram as crianças que confirmaram o ocorrido, indicando o endereço da residência.

Com essas informações, a equipe solicitou apoio do CGP 03, 2º Sgt Gama e Cb Manoel e mais o policial Civil Mizael, e se dirigiram até a residência indicada pelas crianças.

Depararam com a casa aberta e ouviam alguns barulhos. Enquanto a equipe vistoriava a residência, alguns moradores vizinhos avistaram um homem fugindo pelo fundo de um terreno que fica atrás da moradia. Enquanto continuavam na busca no interior do imóvel, o policial Civil Mizael foi checar as informações do homem que havia saído pelos fundos, e confirmou, passando a informação via celular aos PMs, monitorando o acusado à distância, até a chegada da viatura.
Porém, tentou fuga, mas foi rendido, preso e algemado.

Ao se deslocar para a padaria onde estavam as crianças, a equipe acabou encontrando a mãe delas, EAS, que naquele dia completava 35 anos, e estava muito desesperada procurando pelos filhos.

Com isso, o acusado, a mãe e as vítimas foram apresentadas na Delegacia de Polícia de Itaporanga, onde o delegado José Carlos Fernandes, diante de todas as informações coletadas, bem como a confissão do acusado, ratificou a prisão de EJS e o indiciou em flagrante por crime de Estupro de Vulnerável, mantendo-o preso para a audiência de custódia, no Fórum da Comarca de Itaporanga-SP, feita às 15h desta segunda-feira (04) pela juíza Heloisa Assunção Pereira, que manteve a prisão do acusado, que foi encaminhado para o CDP de Cerqueira César, onde ficará disposição da justiça.

Os detalhes da violência sexual sofrida pelas duas vítimas, desde quando e como isso veio à tona, e a mãe só agora ficou sabendo, fazem parte dos depoimentos delas à polícia, mas o ItapoNews opta por não revelá-los. E mais: sabe-se que embora o acusado seja padrasto, ele as criou como filhas desde quase bebê.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Obrigatório preenchimento do campo *

*