Absurdo no Legislativo de Avaré: Prefeito sofre CPI por ceder pedras de sua propriedade para arrumar estradas rurais

Marisa Pires Novaes DiclerPor Marisa Pires Novaes Dicler – 18 de março de 2013. Sessão da Câmara Municipal de Avaré. Adentro ao plenário e, para minha surpresa, o plenário lotado e, a minha cadeira cativa, já ocupada. Ajeitei-me em outro lugar mas, desse lugar, pude perceber uma plateia diferente da usual. Semblante conhecido, para aqueles que como eu, foram criados com o pé no barro. Sitiantes do Bairro dos

Rochas, do Pico Alto, e de outros bairros rurais também. O que faziam ali? Aos poucos, os vereadores entram e se assentam em seus lugares. Por fim, a presidenta, toda linda, numa roupa de festa. Oba!! Festeira como sempre fui, pensei que estaria para acontecer uma festa democrática nessa noite. Sinal dos novos ares que permeiam por esta simpática estância. Ledo engano. As cartas estavam dadas tal como num jogo de azar. A sorte do prefeito estava lançada. A sorte de Avaré corria perigo.

Crime cometido: retirou de sua propriedade rural o cascalho (o de pedra mesmo) para recobrir as estradas rurais tão severamente castigadas pelas chuvas de verão.
Essa era a oportunidade tão esperada. O passo em falso do prefeito? CPI nele. Aqueles que, em épocas passadas defendiam tão ardentemente seu cascalho (aqui sim com aquele sentido diferente de pedra) vibraram sob suas vestes de festa. Instalada a CPI perfilaram aqueles 7 que, hoje sabemos (mas já não sabíamos?), serão a pedreira (sempre pedra) no sapato do prefeito.

Vamos a distribuição dos cargos na Comissão Processante. Tal qual um tiro certeiro, eis que a outra linda presença feminina nesta Câmara, Drª Rosangela (sem vestes de festa mas, carregando o manto da Justiça) faz a leitura do artigo 45 do Regimento Interno, onde em alto e bom som, desvenda para todos a impossibilidade dos 7 subscritores do requerimento participarem como membros da Comissão.

Instala-se a esperança naquela plateia até então muito bem comportada. Ainda que, uma professora, permite-se um ato de desabafo e vai até o vereador para quem dedicou seu voto e, com lágrimas nos olhos o encara e diz: que decepção!!

De onde deveria vir o equilíbrio veio a decisão atabalhoada e antidemocrática de terminar a sessão. Rito sumário. Fim de festa. Atônitos ficamos todos. E agora?

Agora, vamos embora para a festa. Ai sim pude entender o modelito da presidenta. Vestida para a Festa do Peão, simbora passear de camaro amarelo em Arandu, pois a noite está apenas começando. Viva Avaré!!!! Pobre Avaré.!!!

Se, alguém quiser saber como terminará esta noite, favor comparecer à sessão da Câmara que está marcada para amanhã, as 9 horas no mesmo local.

Se alguém quiser, deixo em aberto a possibilidade de acertar os nomes dos 7 vereadores que tentaram, na noite de hoje, jogarem todas as pedras no prefeito de Avaré.

Compartilhar

Notícias relacionadas