Aeromodelismo em Itaporanga ganha simpatizantes

A algum tempo atrás, falar em se tornar um aeromodelista era algo muito complicado e inacessível para muitos. As coisas mudaram e hoje ele é muito mais fácil do que parece. Basta gostar de aviões, se aproximar do pessoal que já pratica e experimentar as sensações de pilotar, da terra, através de um controle(rádio) essas miniaturas, que tem motor à gasolina e é igualzinho aos grandes aviões tanto na decolagem, como no voo e na aterrissagem. Veja com quem e como esse hobby surgiu em Itaporanga, bem como o quanto custa comprar e montar o equipamento.


De acordo com o designer gráfico Sandro Fabri, o aeromodelismo surgiu em Itaporanga através de Vilson Coladel que era apaixonado por aviões. Certa vez ele foi visitar uns praticantes em Wenceslau Braz-PR e ficou mais encantado pelo hobby. Lá, ele ganhou seu primeiro avião, que precisava de alguns reparos por ter sofrido uma queda. Depois, aos poucos foi comprando as peças que faltavam e terminou de montar o avião, um trainer, para iniciantes. “Como há muito tempo sou amigo do Vilson, passei a observar e também a gostar desse lazer prazeroso. Fui comprando peças e montei meu primeiro aero, e aí surgiu o Juarez Rosolem que também era um apaixonado por aviões, e através de nós ingressou no hobby”, conta Sandro.

Ele explica que o grupo não tem uma sede própria, e que voam a partir de um terreno emprestado, improvisado como pista à beira da rodovia, no final da Av. Santa Cruz(trevo) Barão de Antonina e que por não ser um local muito apropriado, voam de vez em quando. Mas que quando sobra tempo, viajam para voar com os amigos em Wenceslau Braz-Pr e Itararé-SP e vice-versa, nas quais há um numero maior de aeromodelistas. “Por ser um esporte muito gostoso, com freqüência temos recebido visitas e contatos de novos interessados, que nos procuram para as dicas de compra de aviões e treinos e etc. Estaremos sempre à disposição dos interessados”, finaliza Sandro Fabri
 
Contatos:
 
Vilson Coladel
Cel.: 15 9798-9015 / 3565-1831
[email protected]
 
Sandro Fabri
Cel.: 15 9728-5045
[email protected]

Agora vamos às imagens e depois mais informações sobre o assunto:

Sandro Fabri segura o "rabo" do avião. Olha o tamanho da máquina de voar.

Vilson Coladel com um modelo maior, e ao lado, um menor

Como é o equipamento – Informações de clubes de aeromodelistas

Avião: Com kits importados, quase prontos para voar mas que na realidade exigiam sim conhecimentos do comprador para montar um avião, manuais em inglês e coisas do tipo, realmente era difícil. Com a alta do dólar, no Brasil as empresas fabricantes de aviões de treinamento cresceram, trazendo uma diversidade de novos modelos.
Para iniciar não se discute, inicia-se por um treinador, o chamado trainer. Você pode discutir de qual material ele será feito, basicamente madeira (AWARF – almost wood almost ready to fly), fibra ou plástico. Os modelos de plástico são poucos e restritos, recomendamos ficar entre madeira e fibra, cada um tem vantagens e desvantagens principalmente quanto ao conserto de possíveis quebras. Madeira é só colar onde quebrou, talvez colocar um reforço e pronto. Fibra exige um pouco mais de conhecimento para reparar. Normalmente os kits de fibra são mais "prontos para voar" não tendo que colar e juntar tantos pedaços, por isto recomendamos para o iniciante o Dynamic Trainer da Bonassa, o kit mais simples de montar que já vimos. Até a asa já vem inteira, evitando que o aeromodelista iniciante tenha que colar pedaços, preocupando-se com detalhes como diedro e outros fatores que ainda desconhece. Vários outros kits são válidos, mas tenha certeza de que você saberá como montar. O kit da Bonassa é tão simples que nos colocamos a disposição de nossos usuários para possível suporte necessário na montagem.

Rádio: Vários aeromodelistas experientes poderão lhe garantir que modelos de rádios menos conhecidos serão mais baratos e tão bons quanto as marcas consagradas. Nós preferimos recomendar o trivial, equipamento que pelo menos 90% dos aeromodelistas que vimos começando comprou e nunca teve problemas. Se você está com a grana apertada, pode comprar um rádio básico, que lhe servirá por muito tempo, para não dizer para sempre, ficando instalado em qualquer modelo mais simples seu, quando no futuro você já estiver com diversos modelos espalhados pela sua garagem. Mas se estiver sobrando dinheiro, já pode comprar um rádio melhor, suficiente para praticamente todos os modelos que você vê por aí, com memória para diferentes configurações e algumas opções extras.
Recomendamos então o Futaba SkySport 4 canais, excelente rádio, vem com receptor que é o mesmo de outros rádios melhores (mais canais), servos ("motorzinhos" para o acionamento dos comandos do avião) e não complica nas configurações para o iniciante. O outro modelo, mais caro, que recomendamos, é o Futaba 6XAS, computadorizado, com memória para mais de um avião (evita que você tenha que reconfigurar caso você tenha mais de um avião), permite diversas opções a mais, como quantidade de comando (sensibilidade) modificável pelo rádio, e até avançadas, como exponencial, usado mais em modelos de ponta.

Motor: O motor é comprado com uma potência e peso de acordo com o aeromodelo adquirido. A maioria dos treinadores é projetada para motores de 40 e 46 polegadas cúbicas. Recomendamos a compra de um motor de 46 de ponta, vai ser motor de sobra para seu treinador (por exemplo, para o Dynamic Trainer acima citado) e vai ser motor para o seu modelo no futuro.
Dos motores 46 temos excelentes marcas, recomendamos Super Tigre, Thunder Tiger, CB (nacional) e O.S. nas pistas ouvimos falar mais bem, e menos mal, dos O.S., mas também são os mais caros. Não temos experiência própria, mas falam muito bem também do CB nacional, por isto a recomendação, devido ao seu preço e estar adquirindo produto de indústria brasileira.

Acessórios: Você pode ir voar em um clube sem acessórios (só com o combustível), que vão existir pessoas dispostas em lhe ajudar. Mas claro, isto é chato se você ficar sempre dependendo de terceiros. O que você precisa basicamente é:
– Ni-Starter, ou aquecedor de vela, necessário para poder ligar o seu motor;
– Bomba de combustível, para encher e esvaziar o tanque de seu avião;
– Ferramentas básicas para possíveis ajustes necessários em pista;
– Material de limpeza, pois seu modelo suja bastante nos vôos, não esqueça de levar.
Com isto, talvez você já esteja até podendo voar por conta própria, só falta aprender:

Montagem de seu modelo: Com o seu avião, rádio e motor, você já está quase lá. Irá precisar de algumas ferramentas básicas, como chave philips, chave de fenda, e talvez uma furadeira com brocas pequenas, para furar, por exemplo, o montante de fixação do motor.
Se você adquiriu um modelo como o Dynamic Trainer, não vai ter que se preocupar com a angulação do motor em relação ao modelo, com a colagem das asas e seu ângulo, nem outros detalhes chatos para o iniciante. Vai ter que apenas fixar partes que vem separadas para facilitar no transporte, e colocar o seu motor e rádio no avião. Contará também com um manual em português e escrito ORIGINALMENTE em português.
De qualquer forma, se você já tiver alguém conhecido para ir lhe ajudando, melhor. Sempre tem um detalhe para que você não faça errado, note que fez errado, e ter que corrigir. Agiliza. Os erros mais comuns em um modelo já tão quase pronto como o Dynamic Trainer, são apenas de ajuste dos comandos em relação ao rádio. Eles devem ser instalados de forma que quando o rádio estiver praticamente neutro (com todos comandos no centro), os comandos do avião também estejam instalados de forma a ficaram centrados. O motor, por exemplo, tem um carburador em que você consegue enxergar o quanto está aberto para entrada do ar, sabendo o quanto ele está acelerado, então você pode regular o rádio para que com os comandos no mínimo fique totalmente fechado e com os comandos no máximo, totalmente aberto.
Agora, é imprescindível que você leve seu avião montado para o check de alguma pessoa experiente, que lhe dirá com todo prazer se seu avião está ok para voo ou quais alterações você ainda tem que fazer ou poderia ser feitas para melhorar.
Finalizado tudo, se o seu motor for novo, você deverá fazer o amaciamento do mesmo. No manual do motor é explicado o procedimento, no qual você não pode voar com o modelo, e tem que gastar algum combustível no chão mesmo. Como o amaciamento é um processo que irá definir a qualidade de seu motor pelo resto da vida, recomendamos não ir atrás de dicas de aeromodelistas experientes, porque você verá que mesmo entre eles haverão divergências, recomendamos que siga a risca o que o manual de seu motor diz, deixando para os experientes a explicação do que você não entendeu do manual.
Treinando e aprendendo a voar: Não cometa a bobagem de torrar dinheiro fora tentando voar sozinho, além de tudo é arriscado quanto a segurança, pois um aeromodelo não é um brinquedo. "Seja sério com o modelo para ser uma brincadeira, não leve na brincadeira que se tornará algo sério". Mesmo que você já tenha treinado em simuladores, ou que você esteja distante de um clube, organize-se para fazer aulas com um instrutor. São acessíveis, quando cobram, não cobram preços extorsivos, muitos clubes oferecem instrutor. Nesta fase, você terá que escolher um clube, há uma lista de entidades seríssimas no site da Associação Brasileira de Aeromodelismo.

Apareça nas pistas em dias sem vento, nos finais de semana, que com certeza você encontrará muitas pessoas dispostas a lhe ajudar. NÃO SE ENGANE, o aeromodelismo não é uma panelinha ou um clube fechado, sempre que tem gente interessada por perto pulamos em cima desta gente, para captá-la e seduzí-la a praticar nosso esporte. Gostamos de novos sócios, novas pessoas, que o esporte seja cada vez mais praticado.
Com instrutor, os riscos são mínimos. Através de um sistema de cabo trainer, onde o instrutor e você terá um rádio cada um, somente em situações seguras o instrutor lhe passará comando. Em qualquer emergência o instrutor reassume o comando salvando o modelo de situações críticas. Dificilmente ocorre algum tipo de lenha através deste procedimento (nós nunca vimos alguma que fosse culpa deste sistema de treinamento). Em aproximadamente 30 vôos, dependendo de sua freqüência, do instrutor e outros fatores, você já poderá estar voando sozinho (solando).

Estou pronto:  Você já sabe voar sozinho, e agora ? Agora você não precisa mais ler isto, porque já ficou sabendo de tanta coisa enquanto treinava que não é este texto que vai lhe ajudar. Você deverá definir onde voará, se estará filiado a ABA com seguro, ou não, se vai freqüentar um clube, etc. Até lá, você já vai estar por dentro de tudo para seus próprios próximos passos. Agora é só curtir ! Bons voos!
Preços
– Avião treinador : R$ 200,00 a R$ 500,00. O Dynamic Trainer é R$ 254,00;
– Motor .46: R$ 350,00 em média;
– Rádio Futaba SkySport 4 canais: R$ 600,00 em média, com 4 servos (necessários para a maioria dos aviões treinadores);
– Treinamento: A partir de R$ 5,00 por aula, aproximadamente 30 aulas: R$ 150,00;
– Combustível: 1 galão dá pelo menos 15 vôos de 15 minutos, custa aproximadamente R$ 50,00 (de boa qualidade com adição de nitrometano 10%). Em aula talvez você não gaste um para as 30 !
– Acessórios iniciais (Ni-starter, bomba de combustível, ferramentas): cerca de R$ 150,00.
Com tudo novo, sem falsas ilusões, você estará voando, treinado, e com todos equipamentos por aproximadamente R$ 1.400,00. Equipamentos usados (tem valores bastante inferiores normalmente) também são excelente alternativa, porém você precisará de alguém experiente para lhe auxiliar na compra.

 

Compartilhar

Notícias relacionadas