Afinal, o hospital de Itaporanga serve pra quê?

Há poucos instantes recebemos ligação de uma pessoa que se identificou, mas pediu anonimato, informando que uma senhora de idade avançada, que estava visivelmente passando mal, foi levada ao Pronto Socorro do Hospital e Maternidade Nossa Senhora das Graças. De acordo com os relatos, checados pelo Itaponews junto a outras testemunhas a sra. foi recepcionada, fez a ficha de antendimento do SUS e chegou na hora de ser atendida, mesmo passando mal, a médica de plantão se recusou a atendê-la, dizendo que o caso não era caso de Pronto Socorro e por isso, era para ser atendida no Centro de Saúde.

Isso gerou aborrecimento e imcompreensão, mas a filha e essa senhora suportaram a manifestação irracional da médica. Tentaram ainda conseguir um papel, um encaminhamento então para o Centro de Saúde, mas a médica se recusou, dizendo que dias atrás foi feita uma reunião dos médicos com a diretoria do Hospital, e nessa foi comunicado que os médicos foram proibidos de dar qualquer papel ou encaminhamento de pacientes para o Centro de Saúde.

Mas, felizmente a sra. e a filha foram até o Centro de Saúde, onde um atendente do balcão percebeu a gravidade do estado de saúde da sra. e imediatamente pediu para um dos médicos atuarem no caso, o que foi, para alívio de todos, prontamente atendido. E o atendimento foi excelente. Então fica a pergunta:  Pela lógica, quando não estamos bem, procuramos um hospital, certo? Mas, num caso assim num horário que não tem médico no Centro de Saúde ou num final de semana? Que local ou quem devemos procurar? Um benzedor? E mais, se a consulta for paga, haverá atendimento? Por Adauto Nogueira 

Compartilhar

Notícias relacionadas