Afinal, que tipo de gente os Correios contrata? Alô ministro Paulo Bernardo…

Dra. Mônica ValentimPor Mônica Valentim, do RJ – “Eu presenciei uma situação surreal na agência dos #Correios do Largo do Machado. Um senhor com deficiência física pegou a senha normal por engano. Ele era muito humilde, nem sei se sabia ler. Começaram a chamar um monte de gente, e nada de ele ser chamado. Eu estava achando estranho. Daí, apareceu um número do atendimento especial e não veio ninguém – alguém deve ter pego a senha e desistido.

Ele foi até esse caixa.  A moça não o atendeu, alegando que ele estava com senha de atendimento normal! Mandou que ele fosse lá pegar outra senha. O homem foi, apoiado nas muletas. A cada dois ou três passos, as pernas falhavam, os joelhos dobravam involuntariamente. Uma cena deprimente. Eu não acreditei. Alguém tinha dúvidas de que ele merecia atendimento especial? Alguém reclamaria que ele estava furando a fila? Além disso, o dono da senha nem estava mais dentro da agência.

Não aguentei ficar calada. Levantei do meu lugar, fui até um caixa que estava vagando e perguntei: "Ninguém aqui tem coração, não? Esse senhor pegou a senha errada. E daí? Custa alguém atendê-lo mesmo assim?". Fui solenemente ignorada. O atendente também se negou, por causa da porcaria da senha.

Enquanto isso, um monte de gente passou na frente dele. Agora, só me resta torcer para ele ganhar a Tele Sena que foi comprar! Tomara que ele fique bem rico!! Pelo menos, isso…”

*Mônica Valentim é colaboradora do Itaponews http://monicavalentim.blogspot.com/

Compartilhar

Notícias relacionadas