Alckmin anuncia queda de 93% nos casos de dengue em SP

Alckmin anuncia que o número de casos de dengue no Estado caiu 93% em 2012Balanço aponta 2,2 mil casos autóctones neste ano, contra 32,5 mil no mesmo período de 2011 – O número de casos de dengue no Estado de São Paulo caiu 93% em 2012 em comparação com o mesmo período do ano passado. É o que aponta balanço preliminar da Secretaria de Estado da Saúde com base em boletim produzido pelo Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado (CVE) e anunciados

pelo governador Geraldo Alckmin nesta quarta, 28.

"Isso se deve ao engajamento político de todos: governo do Estado, Sucen, prefeituras, informação, trabalho dos meios de comunicação, participação da sociedade. Um conjunto de fatores. E a dengue mata. A dengue hemorrágica ela é grave. Então, essa redução de casos autóctones, de casos do estado, ela é uma extraordinária notícia", declarou Alckmin.

De janeiro até a última semana os municípios paulistas informaram, por intermédio do Sistema de Informações de Agravos de Notificação (Sinan), 2.253 casos autóctones (com transmissão dentro do estado) de dengue. No mesmo período do ano passado houve 32.579 casos confirmados da doença. A Secretaria trabalha, primordialmente, com diagnósticos sorológicos de dengue, realizados por intermédio da rede de laboratórios do Instituto Adolfo Lutz. A queda ocorre apesar da entrada do vírus do tipo 4 da dengue no Estado, em 2011.

A cidade de Guaratinguetá, no Vale do Paraíba, lidera o número de casos informados à Secretaria pelo Sinan, com 408, seguida pelo município de Pontal, com 300, e Potim, com 200. As regiões do Vale do Paraíba, Ribeirão Preto e Araraquara concentram 67% do total dos casos de dengue no Estado, com 1.350 confirmações.

Até o momento foi confirmada uma morte por dengue no município de Pontal, região de Ribeirão Preto, ocorrida em janeiro. No passado houve 50 mortes ocasionadas pela doença e, em 2010, 140 óbitos por dengue. Dos 645 municípios do Estado de são Paulo, 490 não registraram nenhum caso da dengue até agora.

"A redução é expressiva, mas não podemos baixar a guarda. O trabalho deve ser diário e contínuo, com a fundamental colaboração de todos os paulistas no combate aos focos do mosquito Aedes aegypti", disse o secretário da Saúde, Giovanni Guido Cerri.

São Paulo iniciou na última segunda-feira uma Semana Estadual de Mobilização Contra a Dengue. São 25 mil agentes de controle de vetores trabalhando em todo o Estado. Foram programadas atividades especiais, entre arrastões, panfletagens, pedágios, distribuição de adesivos e imãs de geladeira, palestras, apresentações de teatro, exposições e passeatas, além de mutirões de limpeza, visitas casa a casa, remoção de criadouros e visitas de imóveis estratégicos e especiais, como cemitérios e ferros-velhos. Cada município programou suas atividades, que acontecem até dia 30 de março, sexta-feira, e em alguns locais até sábado.

Ações contínuas

A Secretaria investe anualmente R$ 40 milhões para ajudar os municípios paulistas no combate à dengue. Em outubro de 2011 a pasta lançou um Plano de Intensificação das Ações de Vigilância e Controle da Dengue, mobilizando prefeitos e gestores de saúde de 283 municípios paulistas considerados prioritários, definidos com base em indicadores como indicadores como série histórica de dengue, índices de infestação predial e densidade populacional. Foram novidades em relação às ações executadas nos anos anteriores, como apoio dos agentes da Sucen (Superintendência de Controle de Endemias) nas visitas casa a casa, não somente em ações de nebulização, capacitação dos agentes de controle de vetores, agentes comunitários e o chamado "Treinamento Express" para profissionais de saúde, no próprio local de trabalho, focando temas como manejo clínico, avaliação de risco e organização de serviços. (Da Secretaria da Saúde)

Compartilhar

Notícias relacionadas