Alckmin entrega 120 apartamentos da CDHU na Zona Leste da capital

Governador também visitou exposição sobre urbanização e projetos sociais promovidos em União de Vila Nova e Vila Jacuí – O governador Geraldo Alckmin e o secretário da Habitação, Silvio Torres, entregaram neste domingo, 20, 120 apartamentos do Conjunto Portal Dom Bosco, na Zona Leste da capital, viabilizados pela CDHU. "São Paulo é único Estado brasileiro que usa dinheiro do orçamento, 15% do ICMS, para fazer moradia com duplo objetivo. Primeiro, proporcionar casa própria para famílias de menor renda e gerar emprego. Porque a cadeia da construção civil gera muito emprego direto e indireto. Temos mais de 40 mil unidades habitacionais em obras e vamos aumentar esse programa", afirmou o governador. 


Antes da inauguração do condomínio, o governador e o secretário visitaram a exposição sobre as obras de urbanização e os trabalhos sociais desenvolvidos pela CDHU em União de Vila Nova e Vila Jacuí, por meio do Projeto Pantanal, a maior ação do Governo do Estado para urbanização de favelas. 

Segundo Alckmin, o Pantanal é um dos principais projetos de urbanização de favela de São Paulo e muito importante para as milhares de famílias da região que sofriam com enchentes. "Aqui está um bom modelo do que era uma região muito perigosa, sujeita a alagamentos, onde se recuperou a várzea do Tietê e se fez um bairro novo, compatibilizando boas moradias para famílias de menor renda e recuperando o meio ambiente", afirmou o governador. 

O projeto está beneficiando mais de 8 mil famílias com novas moradias e obras de urbanização. Várias tendas serão armadas na Rua Catléias s/n°, Praça Cruzeiro do Sul, com fotografias de antes e depois das intervenções e de projetos sociais realizados com a comunidade. 

Residencial Portal Dom Bosco 

O condomínio que foi entregue neste domingo, 20, é composto por seis prédios de cinco andares. O projeto conta com paisagismo, cercamento de alambrado, portaria, estacionamento pavimentado, playground, Centro de Apoio ao Condomínio, além medição de água individualizada. 

Os apartamentos possuem dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro e área de serviço, distribuídos em 51,17 m² de área construída. Há revestimento cerâmico no piso da cozinha e do banheiro. A CDHU investiu R$ 5,3 milhões nos imóveis. 

Essa é a segunda fase do Conjunto Residencial Portal Dom Bosco, que tem no total 400 apartamentos, dos quais 280 foram entregues em 2006. O conjunto foi construído em parceria com a Associação Beneficente Bom Pastor. Coube à CDHU a elaboração do projeto, a execução da infraestrutura, o repasse de recursos para associação e a supervisão dos trabalhos. A entidade indicou as famílias atendidas, contratou assessoria técnica e administrou as obras, realizadas em mutirão. 

O prazo para os mutuários quitarem o financiamento do imóvel será de 25 anos. As prestações têm subsídio do governo estadual, o que significa que as famílias pagarão parcelas conforme os seus rendimentos. Nesse empreendimento, 86% das famílias têm renda mensal de até três salários mínimos e vão desembolsar, no máximo, 15% dos rendimentos com as mensalidades. O valor da menor prestação é de R$ 81,75. 

Projeto Pantanal 

O Projeto Pantanal é uma ação integrada do Governo do Estado desenvolvida em uma área de cerca de 908.000 m², onde estão localizados as ocupações irregulares União de Vila Nova e Vila Nair e o empreendimento Vila Jacuí. Trata-se de um projeto completo de atendimento habitacional que prevê investimentos em obras de urbanização como: implantação de redes de água, esgoto e energia elétrica, iluminação pública, pavimentação de ruas, paisagismo, sistema de lazer, além de obras estruturais como canalização dos córregos e drenagem para acabar com as enchentes. O investimento é de R$ 239 milhões. Até o momento foram removidas 3.010 famílias que estavam em área de risco e urbanizados 5.265 lotes. Estão em curso ações para a regularização fundiária da área. 

Outra ação desenvolvida no local é a revitalização de moradias antigas, realizada pelo Programa "São Paulo de Cara Nova", que promove a recuperação das fachadas dos imóveis. Na primeira fase, 1.765 residências tiveram as paredes externas rebocadas, chapiscadas e pintadas, de acordo com projeto cromático assinado pelo arquiteto Ruy Ohtake. Agora em março foi iniciada a recuperação de mais 3.500 imóveis. 

Projetos sociais 

Além dessas obras de urbanização e revitalização de moradias, a Companhia desenvolve com a comunidade vários projetos sociais. São frentes de atuação voltadas à cidadania, cultura, promoção da autonomia e emancipação comunitária, requalificação profissional, geração de renda e sustentabilidade. 

Um dos exemplos mais bem sucedidos é a Cooperativa de Reciclagem Nova Esperança, que contribui para geração de renda e recuperação ambiental da área, com a coleta seletiva. O trabalho ganhou fôlego com a construção de um novo galpão, pela CDHU, que melhorou as condições de trabalho dos 33 cooperados, ampliando a coleta e a produção. 

Na Escola de Artes e Ofícios são ministradas aulas de artesanato e de corte e costura. Os participantes também são estimulados a tornar o aprendizado uma fonte de renda. Já o Viveiro Escola forma moradores para atuar como viveiristas e paisagistas comunitários, promovendo a educação ambiental nos condomínios e nos espaços públicos verdes e de lazer do bairro.
 
 
Compartilhar

Notícias relacionadas