Alckmin recebe o presidente da Petrobras

Em reunião com José Sérgio Gabrielli, governador falou de investimentos no setor energético. O governador Geraldo Alckmin recebeu, nesta quarta-feira, 6, o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli. O encontro também reuniu fornecedores da companhia no Estado, além de universidades e institutos de pesquisa que mantêm convênios com a empresa. "Foi uma conversa ampla, de trabalho. Colocamos as necessidades de São Paulo de gás natural", resumiu o governador, logo após o encontro realizado no final desta manhã no Palácio dos Bandeirantes.

A construção de um alcooduto entre Paulínia e os portos no litoral paulista esteve na pauta. "O gasoduto ligando com o gasoduto Rio-São Paulo está praticamente pronto. A demanda é muito grande, o que é muito bom, é uma energia mais limpa, uma energia verde", observou Alckmin. Com isso, completou o governador, haverá um "grande crescimento do Litoral Norte de São Paulo e a nossa obra prioritária, que é a [duplicação da rodovia dos] Tamoios, o contorno de Caraguatatuba e o acesso a São Sebastião".

Um entrave para a construção da sede da Petrobras em Santos estará resolvida nos próximos dias, garantiu o governador, citando a conclusão do trabalho do Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico). Durante o encontro também foram discutidos investimentos para ampliar a hidrovia Tietê-Paraná, que em 2010 transportava 5,4 milhões de toneladas – há 10 anos, o volume atingia apenas 1,7 milhão de toneladas.

José Aníbal

O secretário de Energia, José Aníbal, participou do encontro. "Ficou muito claro que, daqui em diante, a Petrobras terá uma política de investimento em São Paulo muito mais consistente e ampla, com muito mais recursos", disse Aníbal. Segundo ele, a empresa deve aplicar até 2014 cerca de 35 bilhões de dólares em investimentos diretos no estado de São Paulo.

O secretário de Energia também disse que será criado um fórum permanente entre o governo paulista, a Petrobras e o setor produtivo. O objetivo é "administrar as coisas com velocidade, para que realmente a nossa ação corresponda à intensidade do investimento da Petrobras no pré-sal". O encontro também contou com a presença do secretário-chefe da Casa Civil, Sidney Beraldo, e do secretário da Fazenda, Andrea Calabi.
 
 

Compartilhar

Notícias relacionadas