Sem condições de recuperação, antigo fórum de Itaporanga foi demolido

Logo após sua construçãoFoto Gustavo Peres_Demolição do antigo fórum de ItaporangaOLYMPUS DIGITAL CAMERA         OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Foi demolido neste sábado, 14, o antigo fórum e cadeia pública, que serviu também como prefeitura da cidade.  A cena da demolição foi vista como um misto de alegria e tristeza. Tristeza porque se vai o mais antigo prédio público da cidade, que infelizmente nenhum  governo (Estadual e Federal)  nenhuma empresa ou pessoa física concordou em liberar os cerca de R$ 2 milhões para recuperá-lo e mantê-lo simplesmente para a história.

Estava muito frágil que não foi necessário uma implosão. Em pouco tempo uma só máquina reduziu-o a um amontoado de escombros.

No passado, de acordo com relatos de antigos moradores que também já se foram, esse prédio serviu para a Justiça, que nem sempre era justa e na maioria só beneficiava os ricos e seus protegidos. Conta-se que ao final de cada júri o acusado que pertencesse a essa classe normalmente era absolvido e logo que apontava nas escadarias desse prédio uma ou duas bandas musicais junto com o povo (que era obrigado a ir à força) o aguardavam para aplaudir e comemorar a absolvição.

Mas, se fosse pobre e pior ainda se fosse pobre e preto, sob às vistas dos familiares com terços nas mãos rezando, já descia as escadaria  de madeira do salão do júri que ficava no piso superior,   apanhando violentamente da polícia rumo a uma das celas do piso inferior, onde era jogado respingando sangue nas paredes por  todos os lados, para cumprir a pena até o final e sem o direito de recorrer por não ter dinheiro para pagar advogado. Não existia a Justiça Gratuita.

Esse prédio poderia estar de pé se não fosse a ação de um prefeito do passado que, precisando de mais espaços  e com a intensão de  acertar, executou obras que não obedeceram normas de engenharia e arquitetura, as quais passaram a gerar infiltrações que acabaram comprometendo seriamente a sua estrutura, e consequentemente produzindo grandes rachaduras e grande probabilidade de desmoronar a qualquer momento.

Estudos para recuperação desse edifício feito  em 2005 estimaram um custo de R$ 1,5 naquela época,  o que seria inviável para o Município, e apesar dos esforços junto aos governos Estadual e Federal, não foi possível, e o prédio e o terreno que eram do Estado foram doados para o município fazer o que precisa em obras que beneficiem a população.

Ver reportagem anterior

A alegria é que  esse prédio e seu terreno darão lugar para construções de prédios públicos para atender as necessidades da população: Caixa Econômica Federal, Unidade Básica de Saúde, INSS e sede para a Polícia Militar.

Compartilhar

Notícias relacionadas