Arteris contesta reportagem do ItapoNews

Em nota enviada por volta do meio-dia deste sábado, sem entrar em detalhes sobre o ocorrido no canteiro de obras na manhã de ontem, mas, ressaltando normas de segurança, a empresa contestou a reportagem ‘Continua interditado, DER teve dificuldades com a Arteris e por muito pouco o pedaço não foi asfaltado hoje mesmo e liberado”.
Diz a nota:

• A Arteris ViaPaulista, empresa integrante do Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo, esclarece que é improcedente a informação publicada na reportagem “Continua interditado, DER teve dificuldades com a Arteris e por muito pouco o pedaço não foi asfaltado hoje mesmo e liberado”.

• Ao contrário do informado, a concessionária presta todo o apoio operacional às obras em andamento na Rodovia Jurandir Siciliano (SP-255), na região de Itaporanga, sob responsabilidade do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), e colabora integralmente com os órgãos envolvidos para que o trecho em questão seja liberado ao tráfego com brevidade.

• Um dos principais pilares de atuação da Arteris e de suas controladas é a segurança. Por isso, a empresa segue rigorosamente os procedimentos do Manual de Normas do DER e as demais normativas que visam à garantia de uma rodovia segura e com as máximas condições de trafegabilidade.

A reportagem em questão é esta http://45.33.20.122/continua-interditado-der-teve-dificuldades-com-a-arteris-e-por-muito-pouco-o-pedaco-nao-foi-asfaltado-hoje-mesmo-e-liberado/

Essa matéria foi elaborada pelo ItapoNews que teve como fonte uma respeitada pessoa da sociedade civil, com grande discernimento e de idoneidade inquestionável, que por acaso se encontrava na obra e presenciou o ocorrido.

Além dessa fonte, a mesma informação foi corroborada também por um dos servidores do próprio DER, envolvidos no episódio.

Os principais parágrafos da matéria, que geraram a contestação pela Arteris são estes:

“Pasmem! – Inclusive, o DER encontrou uma dificuldade com a própria Arteris, pois nessa altura o órgão foi pedir a ela (Arteris) para que desbloqueasse o trecho para a chegada dos caminhões com a massa, e para isso a empresa teria de abrir uma passagem na defensa e remover também os montes de terras colocados junto do guard rail ontem para impedir o tráfego de veículos se por ventura viessem as estourar novamente.
Mas a Arteris não quis colaborar com o DER e assim que os caminhões chegassem com a massa, teriam de dar volta pelo desvio de 14 quilômetro de terra e depois pegar a pista novamente e percorrer de volta mais quase 10 quilômetros, totalizando 24 quilômetros, até chegar na obra que está a cerca de 500 metros da defensa.

Mas ocorreu que a empresa que processa a massa em São Manuel não pode preparar o produto, porque os pedriscos e areia, componentes da massa, estavam molhados devido a chuva de ontem e sendo assim não produziram hoje a encomenda do DER.

Sobre a negativa da Arteris, caso os caminhassem chegassem carregados o DER não iria aceitar o impedimento da Arteris e iria pedir máquinas da prefeitura de Itaporanga para comparecer ao local, para arrancar a defensa e remover os montes terra”.

Compartilhar

Notícias relacionadas

1 Comentário
mais novo
mais velho mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Derli Santiago de oliveira
Derli Santiago de oliveira
24 de março de 2018 23:53

Depois de mais de oito meses está obra vai se arrastar por mis alguns tempos até aparecer um político para cortar a fita de abertura da rodovia pois é um ano em que a cachorrada vão estar a solta,a vale lembrar que cada um levou uma fatia deste queijo a empreiteira o fabricante de placa etc etc etc etc ….