Botucatu: ligação Norte/Leste começa virar realidade

Uma obra emblemática para Botucatu começou a ganhar contornos concretos na tarde da última sexta-feira (1º de abril), quando o prefeito João Cury Neto assinou a ordem de serviço para a elaboração do projeto executivo do viaduto que ligará as regiões Norte e Leste, historicamente separadas pela antiga linha férrea que transpassa o Município.
O ato realizado no Auditório “Cyro Pires” na sede da Prefeitura contou com a presença do deputado federal Milton Monti, que viabilizou a obra junto ao Governo Federal; Ricardo Madalena, superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT); vereador e líder do Governo na Câmara Municipal, Reinaldo Mendonça Moreira, o “Reinaldinho”; secretários municipais e profissionais da imprensa.

Na oportunidade também foi apresentado ao público presente Alexandre Silveira Barbosa, engenheiro da Vega Engenharia, empresa de Curitiba (PR) ganhadora do processo licitatório para a formulação do projeto executivo do viaduto, que deverá ser concluído em até 180 dias (seis meses) e custará pouco mais de R$ 494 mil. Como o valor do projeto, em média, representa de 3% a 5% do valor total da obra, estima-se que a construção do tão aguardado viaduto seja superior a R$ 15 milhões.

Mas parte deste investimento já está garantida. Também na solenidade de assinatura da ordem de serviço para a elaboração do projeto, o deputado Milton Monti surpreendeu a todos ao dar uma bela notícia em pleno mês de aniversário de 156 anos de Botucatu: “Fico feliz em informar que o Ministério do Transporte abriu um crédito suplementar de R$ 5 milhões para darmos início à obra. Com este dinheiro nos será permitido, após a conclusão do projeto, abrir o processo de licitação, que pelos nossos cálculos deve acontecer sem atrasos até o fim deste ano para que em 2012 iniciemos essa grande obra. Só tenho agradecimentos ao prefeito João Cury, que tem cumprido seu papel e acreditado no nosso trabalho. Esse é um projeto político que assumi com o prefeito e Botucatu. Esse viaduto vai acontecer, tenham certeza disso”, salientou.

Estudos prévios apontam que o futuro viaduto tenha no mínimo 80 metros de extensão, informação que só será confirmada após definição do projeto, que também prevê prolongamento até a vicinal Alcides Soares. Possíveis desapropriações também não estão descartadas, mas que também  apenas serão definidas durante o projeto. “Já verificamos a área e vimos que não teremos muitos problemas em relação a isso. Mais de 90% das desapropriações que julgamos ser necessárias são feitas amigavelmente”, diz Ricardo Madalena.

Novos acessos – Após a assinatura da ordem de serviço do projeto, José Paulo Dal Farra, engenheiro da Secretaria Municipal de Planejamento, apresentou de forma técnica as propostas de novos acessos ao futuro viaduto que ligará bairros da região Norte, como Jardim Paraíso, Altos do Paraíso, Monte Mor e Cambuí, a bairros da região Leste, como Jardins Cristina, Brasil, Parque Residencial Nazaré, Serra Negra, entre outros.

De acordo com o secretário municipal de Planejamento, Caco Colenci, a ideia é que um novo corredor de trânsito, de aproximadamente três quilômetros, seja aberto a partir da região do Terminal Rodoviário [entroncamento com a Avenida Vital Brazil], utilizando a Avenida Paula Vieira [região do Curtume] como opção aos motoristas chegarem até uma das pontas do viaduto, que estará interligado com a Avenida Dr. José Barbosa de Barros, no Jardim Paraíso.

"Nossa equipe estima que essa outra obra, que correrá paralelamente à construção do viaduto, custe mais de R$ 30 milhões. A Prefeitura pleiteará, de forma planejada, outras fontes de recursos, vista a grandiosidade desta obra que promete ser um divisor de águas para o desenvolvimento do Município”, comenta.

A construção de um viaduto e de um novo acesso que interligue as regiões Norte e Leste ao Centro da Cidade há tempos se fazia necessária. Como há anos Botucatu crescia de forma desorganizada, sem um Plano Diretor, soluções viárias foram deixadas de lado no passado. Assim, hoje a população pode recorrer apenas ao Elevado Bento Natel e Rua Major Matheus para cruzar rapidamente o eixo da Cidade.

Como mais de 80% dos motoristas ignoram utilizar o Elevado, a Major Matheus e avenidas subsequentes como a Floriano Peixoto e Santana se tornam quase intransitáveis em horários de pico.

Ajudar a enterrar este transtorno e tornar possível o sonho de muitos botucatuenses que sempre pleitearam uma nova solução viária para Botucatu motiva o prefeito João Cury Neto, que promete não medir esforços para que esta grande obra enfim beneficie diretamente as pessoas.

“Isso só está sendo possível pelas parcerias feitas com o deputado Milton Monti e o vereador Reinaldinho. Agora iremos planejar nosso Orçamento e buscar novos recursos junto aos governos Estadual e Federal para que a obra seja concluída da forma mais tranqüila possível. A população deve ter consciência que esta fase de projetos e licitações é realmente demorada, mas que valerá muito a pena esperar quando esta obra, depois de anos deixada de lado, for concluída. Desafogaremos o trânsito, uniremos a Cidade e consequentemente melhoraremos a vida da nossa gente, que é o principal”, garante. (Da Secretaria Municipal de Comunicação) 
 

Compartilhar

Notícias relacionadas