Botucatu tem outubro mais chuvoso dos últimos 41 anos: Prefeitura contabiliza os estragos

Estragos da chuva em Botucatu (2)Estragos da chuva - Espaço culturalCasa da Rua Costa Leite - estragos da chuva - foto carlos pessoa (14)Casas do Santa Maria - foto Carlos Pessoa (51)

E a previsão é a de que volte a chover forte neste sábado – A tempestade acompanhada de fortes ventos ocorrida entre a noite de quinta-feira e madrugada de sexta-feira [13 e 14], em Botucatu, exigiu muito trabalho da Defesa Civil do município. No período de 21 horas até às 2 horas foram registradas mais de 50 ocorrências praticamente em todas as regiões da Cidade. Foram atendidos casos de destelhamentos de residências, inundações, quedas de muros e de árvores.

Casa da Rua Costa Leite - estragos da chuva - foto carlos pessoa (7)Casas do Santa Maria - foto Carlos Pessoa (16)Estragos da chuva em Botucatu (1)Casas do Santa Maria - foto Carlos Pessoa (179)

Segundo relatório divulgado pela manhã, em diversas ocorrências houve danos materiais mas não foram registradas vítimas. De acordo com a CPFL, 21 mil unidades consumidoras ficaram sem energia. Dez equipes foram mobilizadas para atendimento das ocorrências.

As consequências pela cidade não foram mais sérias devido a ação rápida e integrada de órgãos como a Defesa Civil, Guarda Civil Municipal, Secretaria Municipal de Assistência Social, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e CPFL. O atendimento nos locais atingidos se estendeu até por volta de 3 horas da manhã e mobilizou em torno de 20 pessoas.
Entre os bairros atingidos estão Altos da Serra, Bairro Alto, Tanquinho, Vila Padovan, Parque Marajoara, Vila São Benedito, Jardim Peabiru, Real Park, Vila Maria, Jardim Paraíso, Vila Assumpção, Lavapés, Vila Aparecida, Cohab 1 e Centro. No Residencial Santa Maria diversas residências foram destelhadas e outras inundadas.

No início da tarde o prefeito João Cury Neto esteve no local para verificar a situação de perto e definir as providências a serem tomadas.

A Secretaria de Assistência Social fez um cadastro das casas em situação mais crítica. Para os moradores de casas destelhadas ou invadidas pelas chuvas foram entregues colchões, cobertores, cestas básicas. O ginásio municipal de esportes está preparado para a necessidade de remoção de famílias. A Defesa Civil, a Guarda Civil Municipal e funcionários da Secretaria Municipal de Obras usaram lonas para cobrir boa parte dos imóveis. A empresa responsável pela construção das moradias foi acionada e enviou ao local um caminhão com três mil telhas, além de equipe técnica para avaliar a situação das residências.

“A chuva foi muito forte e atingiu praticamente toda a Cidade. Em situações como essa, o poder público tem que estar preparado para dar uma resposta rápida à população. O trabalho de atendimento às ocorrências durante a noite e que avançou a madrugada foi muito eficiente e precisa ser destacado. No caso do Santa Maria me sinto particularmente responsável porque fomos nós que fundamos aquele bairro e temos um carinho especial pelos moradores. Eles não serão abandonados. Quero que essas pessoas tenham moradia digna. Por isso não podemos aceitar casas com goteiras ou onde chove dentro. Já acionamos a empresa e existe seguro para cobrir situações como as que foram registradas no local. Estamos dando toda assistência às famílias”, declarou o prefeito.

Um dos outubros mais chuvosos dos últimos 41 anos – Dinival Martins, professor de climatologia da Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA) da Unesp, explica que a massa de ar quente antes parada sobre a região de Botucatu foi deslocada por uma massa de ar fria do Sul. “Com a chegada de outra massa úmida da Amazônia, veio a chuva. O deslocamento dessas massas também acelerou a formação dos ventos, que ficam mais fortes quando são ‘canalizados’ por conta dos muitos relevos acidentados do Município. Por isso algumas regiões da Cidade sofrem mais com os ventos do que outras”, argumenta.

O mesmo departamento registrou neste dia 13, com aparelhos instalados no próprio campus da FCA, uma quantidade de 76,6 milímetros de água, volume considerado normal para esta época do ano. Ainda assim, o professor da FCA destaca que este mês já pode ser considerado um dos outubros mais chuvosos dos últimos 41 anos. "O outubro mais chuvoso que temos registro aqui na FCA ocorreu em 1995, quando choveu 227,3 milímetros. Nos últimos 13 dias já contabilizamos 205,6 milimetros, ou seja, se continuar a chover deste jeito tem tudo para bater o recorde do mês", complementa Martins.

A previsão da meteorologia é de mais chuva em Botucatu neste sábado [15], que deve concentrar 70 milímetros de água segundo dados do Climatempo. Já o IPMet (Instituto de Pesquisas Meteorológicas) do campus da Unesp de Bauru aponta que Botucatu poderá sofrer com temporais e novas rajadas de ventos que podem ultrapassar os 90 km/h. A Guarda Civil Municipal e a Defesa Civil continuam de prontidão para atendimento à população pelo telefone 199.

Ocorrências 21 horas do dia 13 às 2 horas do dia 14

Conjunto Santa Maria:
Destelhamento dos beirais das casas da Rua 3
Rua 12, nº 164.

Destelhamento:
Rua: Otacílio Nogueira, 238, Bairro Alto.
Rua: 8, n º5 – Alto da Serra.
Rua: Campos Salles, n. 953, Tanquinho.
Rua: Visconde do Rio Branco, 1354, Vila Padovan.
Rua: Paulo Nunes Moreira, n.823, Parque Marajoara.

Inundação:
Rua Petrarca Bacchi, nº 904 – Vila Maria.
Rua 3, nº 771 – Parque Marajoara.
Rua Dolpho Lutiz, nº 995 – Vila São Benedito.
Rua Eugenio Lourenção – Jardim Peabiru.
Rua Dolpho Pardini, nº 373 – Jardim Paraíso.
Rua Lourenço Carmello, nº 1.255 – Jardim Paraíso.
Avenida vital Brasil, Terminal Rodoviário,
Viaduto Bento Natel.

Queda de muro:
Rua: Mario Rodrigues, nº 633 – Vila Assunção.
Rua: Antonio Bernardo – Vila Lavapés.
Rua: Vicente da Rocha Torres, nº.500 – Vila Aparecida.
Mais três quedas de muro.

Queda de árvore:
Rua Cardoso de Almeida, nº 1.060 – Centro.
Rua Agenor Nogueira – Vila São Lucio.
Rua Cardoso de Almeida, próximo ao Edifício Plaza.
Rua Galvão Severino, frente à “Serralheria Pica pau”.
Avenida Dom Lucio, próximo ao 1º DP.
Rua João Passos, próximo a Câmara Municipal.
Rua General Telles, atrás da Prefeitura.
Rua Ranimiro Lotuffo, nº 401.
Rua General Telles, atrás do antigo Fórum.
Rua 36, nº 80 – Cohab 1.
Rua: Darvim do Amaral Vieira, N.298, Vila Aparecida.
Rua: Antonio Souza Noschese, n. 301, Vila Aparecida.

Outras Ocorrências:
Rua: Rafael Lopes, Jardim Peabiru – danificação da manta asfáltica
Soltaram-se alguns letreiros, luminosos e alguns outdoors.

Ocorrências do dia 14 – das 6 às 11 horas

Árvore com risco de queda
Rua Pedro Delmanto, 40 – Jd. Paraíso
Rua 27, nº 121 – Cohab 1
Rua Antonio Bernardo, 856 – Vila Assumpção
Rua 17, nº 10 – Cohab 1
Rua Francisco de Oliveira Leite, nº 620 – Jd. Peabiru (Creche Criança Feliz)

Árvore na via publica
Rua dos Plumas, nº 28 – Vale do Sol
Rua Lourenço Monti, nº 411 – Vila Paraíso
Avenida Naini Zacarias, nº 223 – Cohab 4
Rua Antonio de Souza Luchesi, 60 – Vila Aparecida
Rua Antonio Figueiredo, nº 51 – Vila dos Lavradores
Rua Rodolfo devidé, nº 150 – Vila São Luis
Rua Cel. Fonseca, na ponte sentido Recanto Azul
Rua Dália, Vila Paraíso
Rua Francisco lyra brandão, nº 731 – Vila Sônia
Rua das Hortencias, nº 315 – Vila Paraíso

Residências – muros e destelhamentos
Rua Campos Salles, nº 953 – Tanquinho
Rua Costa Leite, nº 1359 – Centro
Rua José Joseino Tomé, nº 197 – Santa Maria 1
Rua Henrique Coelho Gomes, nº 91 – Vila Mariana
Rua José Adriano Manei Jr., nº 91 – Vila Padovan (garagem caída)
Rua Pref. Tonico de Barros, nº 495 – Centro
Rua Silvestre Bartoli, nº 1103 – Jd. Itamaraty
Rua Pinheiro Machado, nº 214 – Vila Aparecida (árvore caiu na residência)
Avenida Dom lúcio, nº 647 – (desabou o teto)
Rua Pref. Tonico de Barros, nº 967 – Centro (árvore caiu na casa)
Rua Amando de Barros, nº 581 – lojas Marisa

O que o Itaponews já havia publicado

 Temporais de ontem e hoje causam estragos em Botucatu

Compartilhar

Notícias relacionadas