Câmara pede regulamentação do Conselho Antidrogas

Criado em 2002 o Conselho Municipal Antidrogas precisa ser regulamentado e os vereadores querem também a criação de uma Diretoria antidrogas, vinculado a  Secretaria de Defesa Social


Requerimento subscrito por todos os vereadores  e encaminhado ao prefeito municipal Luiz Cavani solicita que seja regulamentado e implantado o Conselho Municipal Antidrogas, criado pela lei 1878, de 18 de novembro de 2002. Sugereriram também os vereadores a criação de uma Diretoria Antidrogas, vinculada à Secretaria Municipal de Defesa Social.

Na 13ª Sessão Ordinária realizada na segunda-feira, 21, ocupou o espaço destinado a Tribuna do Povo da Câmara Municipal  o Delegado de Polícia Dr. Reinaldo Braga, o qual destacou a importância de se criar em Itapeva o Conselho Municipal Antidrogas, com a finalidade de desenvolver um trabalho voltado as ações referentes à redução da demanda de drogas.

Como Delegado que atua na referida área Dr. Reinaldo expôs a importância da atuação de um Conselho dessa natureza, que contribuirá em muito com as autoridades e entidades que  promovem atividades no combate ao consumo de drogas  e que muitas vezes encontram dificuldades em buscar soluções para esse problema, que segundo ele,  vem crescendo de forma geométrica, atingindo muitas famílias itapevenses gerando sofrimento e dor em todos. Citou que 70 por cento das prisões realizadas são decorrentes de algum envolvimento com drogas, e que a segregação em cadeias não está resolvendo o problema.

Como já existe a Lei 1878/02 que dispõe sobre o Conselho Municipal Antidrogas – Comad de Itapeva, a reivindicação dos vereadores  é no sentido de que a referida legislação seja regulamentada pelo Executivo Municipal, permitindo assim que o Conselho possa ser formado, e ser integrado aos Sistemas Nacional e Estadual Antidrogas, para desenvolver os trabalhos que fazem parte de suas atribuições.

Para somar esforços e ampliar as ações referentes à prevenção do uso indevido de drogas, este Legislativo propõe também a criação de uma Diretoria Antidrogas, vinculada à Secretaria Municipal de Defesa Social. O órgão poderá atuar em  parceria com o Conselho, bem como com a Delegacia responsável por essa  área. Esse trabalho em parceria permitirá que o município seja contemplado com recursos de outras esferas viabilizando assim a execução de projetos no combate às drogas.

"Temos consciência de que o problema das drogas é um dos maiores vivenciados pelas famílias brasileiras, que muitas vezes não encontram resposta aos seus anseios em livrar os filhos de situações dessa natureza", frisaram os vereadores.. Acreditam que a soma de esforços com ações voltadas para a conscientização das pessoas sobre a gravidade do problema será fundamental para reverter a situação, com a redução do consumo de drogas. (Assessoria de Imprensa da CMI).

 

 

Compartilhar

Notícias relacionadas