CCJ inscreve Nise da Silveira como heroína da Pátria

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 9262/17, da deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), que inscreve o nome de Nise Magalhães da Silveira no Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria. A relatora, deputada Talíria Petrone (PSOL-RJ), recomendou a aprovação.

Como a proposta tramita em caráter conclusivo, está aprovada pela Câmara dos Deputados e deve seguir para o Senado, a menos que haja recurso para análise do Plenário.

A médica Nise da Silveira (1905-1999) é reconhecida internacionalmente pela contribuição para a psiquiatria. Introduziu no País a psicologia junguiana (ou analítica), que enfatiza, entre outros itens, o inconsciente pessoal e coletivo. Fundou no Rio de Janeiro, em 1952, o Museu de Imagens do Inconsciente.

Nise da Silveira – http://www.polbr.med.br

“Nise percebeu que as artes plásticas eram o canal de comunicação com os pacientes esquizofrênicos graves, que até então não se comunicavam verbalmente”, explicou Jandira Feghali. “As obras produzidas por eles davam ‘voz’ aos conflitos internos que viviam”, continuou.

“Dos ateliês para a utilização de animais como coterapeutas, Nise promoveu uma verdadeira revolução não só no tratamento das pessoas com transtornos mentais, mas também na visão que os outros tinham sobre elas”, ressaltou a deputada.

“É certo afirmar que ela foi um divisor de águas entre um tratamento desumano e que retirava as pessoas do convívio social para o acolhimento e a humanidade de um tratamento que buscava, verdadeiramente, compreender o universo daquelas pessoas e ajudá-las”, concluiu Jandira Feghali.

O livro
Segundo a Lei 11.597/07, “o Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria, depositado no Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves, destina-se ao registro perpétuo do nome dos brasileiros ou de grupos de brasileiros que tenham oferecido a vida à Pátria, para sua defesa e construção, com excepcional dedicação e heroísmo”.

Reportagem – Ralph Machado
Edição – Natalia Doederlein
(Da Agência Câmara de Notícias)

Compartilhar

Notícias relacionadas