Coletiva: Baena Soares fala da viagem de Dilma à Europa/Asia

Porta-voz Rodrigo Baena SoaresEm Entrevista coletiva concedida pelo porta-voz Rodrigo Baena Soares, ele fala sobre a viagem da presidenta Dilma Rousseff à Bélgica, à Bulgária, ambas na Europa e à Turquia, na Asia. Ela participará também da 5a. Reunião de Cúpula Brasil-União Européia. Na Turquia, deverá ampliar as exportações brasileiras que atualmente chegam a   Us$ 1 bilhão, contra Us$ 650 milhões de importações

Palácio do Planalto, 30 de setembro de 2011

Porta Voz: Bom dia, como sabem, a partir do próximo domingo, a presidenta Dilma Rousseff fará uma visita a três países – Bélgica, Bulgária e Turquia –, e participará também da 5ª Reunião de Cúpula Brasil-União Europeia.

Deverão integrar a comitiva presidencial o ministro das Relações Exteriores, o embaixador Antonio Patriota, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aloizio Mercadante, o ministro das Comunicações Paulo Bernardo, a ministra da Cultura, Ana de Hollanda, e a ministra-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Helena Chagas.

A Presidenta parte de Brasília no dia 1º de outubro, amanhã, sábado, à noite, e deverá chegar a Bruxelas na tarde do dia 2, domingo. No dia seguinte, a Presidenta tem reunião de trabalho com o primeiro-ministro da Bélgica, Yves Leterme, e à noite, participa de jantar oferecido pelo presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, e pelo presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso.

Na terça, 4 de outubro, pela manhã, se realiza a 5ª Cúpula Brasil-União Europeia. Mais tarde, haverá um encontro com o rei Alberto II, que oferece um almoço de homenagem à Presidenta em seguida. No início da tarde, a Presidenta participa do encerramento do Seminário Empresarial Brasil-União Europeia.

O programa em Bruxelas prevê ainda a participação da Presidenta na cerimônia de abertura do festival cultural Europalia.

A Cúpula de segunda-feira próxima dá segmento à parceria estratégica Brasil-União Europeia, que foi iniciada em 2007. Além do fortalecimento das relações político-diplomáticas se observa um estreitamento importante dos laços econômico-comerciais entre o Brasil e a União-Europeia.

O Brasil é o quarto principal destino dos investimentos europeus, depois apenas dos Estados Unidos, Suíça e Canadá, com estoque de mais de US$ 180 bilhões. Em 2010, os investimentos europeus no Brasil totalizaram quase US$ 9 bilhões, inferiores apenas aos valores investidos nos Estados Unidos.

Nos primeiros sete meses de 2011, os valores cresceram de forma significativa e alcançaram mais de US$ 23 bilhões. Por outro lado, como um espelho dessa dinâmica de crescente simetria das relações econômico-comerciais, o Brasil se converteu num importante investidor na economia europeia. Foi o quarto principal, em 2010, e acumula um estoque de investimentos de cerca de US$ 80 bilhões, um valor que coloca o Brasil na posição de sexto maior investidor na União Europeia. O comércio bilateral também tem crescido de forma consistente e somou, em 2010, US$ 82 bilhões, com um saldo favorável ao Brasil de US$ 4 bilhões.

Durante a visita deverão ser assinados acordos sobre os seguintes temas: transporte aéreo, políticas espaciais, ciência, tecnologia e inovação, cultura e turismo.

Do ponto de vista das relações bilaterais com a Bélgica, é importante assinalar o bom diálogo político entre os dois países, o interesse em atrair investimentos belgas para a indústria nas áreas de infraestrutura logística e modernização do sistema portuário, e também ampliar o comércio bilateral; comércio bilateral que apresentou um crescimento significativo entre 2006 e 2010, apesar da crise internacional.

O intercâmbio comercial cresceu 26% nesse período e alcançou a marca de US$ 5 bilhões, em 2010. A recuperação do comércio bilateral continuou em 2011, e até agosto deste ano a corrente de comércio entre os dois países alcançou quase US$ 4 bilhões.

A Bélgica, como sabem, conta com universidades de excelência e que já mostraram disposição em acolher estudantes brasileiros no âmbito do programa Ciência sem Fronteiras. A Bélgica também detém programas de pesquisa de ponta em áreas de interesse do Brasil, como a química fina, a farmacêutica e a biotecnologia.

A Presidenta parte de Bruxelas para Sófia no final da tarde. Na capital búlgara, a Presidenta começa a sua programação na manhã do dia seguinte, 5 de outubro, quarta-feira, quando haverá cerimônia oficial de chegada, seguida de reunião privada com o presidente da Bulgária, Georgi Parvanov, seguida de cerimônia de assinatura de atos e de condecoração da presidenta Dilma Rousseff. Ao final, será feita uma declaração à imprensa.

No início da tarde, a Presidenta se encontra com o primeiro-ministro Boyco Borissov, que a homenageia com um almoço. Ainda nesse dia, a presidenta Dilma faz uma visita de cortesia à presidenta da Assembleia Nacional da Bulgária, Tsetska Tsacheva, e participa do encerramento do Fórum Empresarial Brasil-Bulgária. À noite, o Presidente da Bulgária oferece um jantar de Estado em homenagem à Presidenta da República.

No dia seguinte, 6 de outubro, quinta-feira, a Presidenta deverá ir a Veliko Turnovo, onde fará uma visita ao Forte da cidade, na companhia do Presidente búlgaro e do Prefeito, que depois vai homenageá-la com um almoço. À tarde, a Presidenta se desloca para Gabrovo, onde será recebida pelo Governador, visitará o Museu de História Regional e participará de encontros com familiares. No final da tarde a Presidenta parte para Ancara, na Turquia.

A visita da presidenta Dilma à Bulgária terá, evidentemente, um forte componente pessoal, emocional, dados seus laços familiares com a Bulgária. Do ponto de vista das relações bilaterais, a visita da Presidenta será uma oportunidade de fortalecer o diálogo político, explorar as possibilidades de maiores investimentos brasileiros, sobretudo na área aeronáutica e de veículos, e estimular o crescimento do comércio. Há um grande espaço para o aumento do comércio entre os dois países, que atualmente é da ordem de US$ 147 milhões, com superávit brasileiro. Durante a visita deverão ser assinados acordos de cooperação na área econômica e educacional.

Em relação à Turquia, a Presidenta deverá chegar a Ancara no início da noite do dia 6 de outubro, quinta-feira. No dia seguinte, a Presidenta participa de cerimônia de oferenda floral, no Mausoléu de Ataturk. Antes do almoço, a Presidenta participa da cerimônia de encerramento do Encontro Empresarial Brasil-Turquia.

À tarde haverá cerimônia oficial de chegada, seguida de reunião privada com o presidente turco Abdullah Gül. Estão previstas, ainda, uma cerimônia de assinatura de atos e uma declaração à imprensa. Em seguida, a Presidenta se reúne com o primeiro-ministro Recep Erdogan e participa, à noite, de jantar oferecido pelo Presidente búlgaro.

A Presidenta deverá partir de volta ao Brasil no dia seguinte, 8 de outubro. A visita da Presidenta da República à Turquia tem, como objetivo, dar continuidade ao diálogo estratégico bilateral, e é importante assinalar também que será a primeira visita de uma autoridade brasileira após a vitória do primeiro-ministro Recep Erdogan nas eleições gerais de junho de 2011.

Desde 2002 o fluxo comercial Brasil-Turquia vem crescendo, com superávit brasileiro. Em 2010 o Brasil exportou, para a Turquia, cerca de US$ 1 bilhão e importou cerca de US$ 650 milhões, e se registra, assim, um saldo positivo de US$ 377 milhões.

Bem, era isso o que eu tinha a assinalar sobre a viagem da Presidenta. Estou aberto a eventuais perguntas.

Jornalista: Bom dia, Porta-Voz.

Porta-Voz: Bom dia, Carla.

Jornalista: Carla, da Agência Bloomberg. Eu queria saber o que pode estar na pauta econômica dessa reunião Brasil-União Europeia? Temas como câmbio, principalmente guerra cambial? Enfim, queria que o senhor detalhasse o que, na área econômica, pode estar na pauta nessa reunião.

Porta Voz: Bom, na área econômica, certamente, haverá uma conversa, um diálogo sobre a crise econômica internacional, que tem, como sabem, países europeus bastante afetados. Além disso, a ideia de ampliar ainda mais o comércio entre o Brasil e a União Euopeia, dado inclusive o elevado grau de investimento que a União Europeia tem no Brasil, e que o Brasil também tem na União Europeia.

Jornalista: Bom dia. Tudo bom, Rodrigo?

Porta Voz: Bom dia.

Jornalista: (inaudível). Há possibilidade do que ela discursou durante a ONU, do Brasil junto com os outros países dos Brics, de ajudar a União Europeia, países afetados pela crise, ela pode reforçar isso, pode levar essa sugestão do Brasil nessa reunião, defender esse ponto de vista?

Porta Voz: Não, haverá a conversa da crise e vão ser exploradas diversas possibilidades, talvez essa também, mas ainda não há… isso dependerá um pouco da evolução do diálogo que haverá com a União Europeia.
Por favor…

Jornalista: Bom dia, Rodrigo. Você disse que, na viagem para a Bulgária, eles vão explorar os dois lados e dialogar na área de aeronáutica e de veículos. Isso, por exemplo, de veículos, passa pela entrada, por exemplo, de carros da Bulgária aqui ou talvez investimento, avião…

Porta Voz: Não, talvez o que possa haver exatamente, na área de aeronáutica, talvez uma presença maior da Embraer na Bulgária e também a possibilidade de ônibus brasileiros no comércio com a Bulgária.

Jornalista: (inaudível)

Porta Voz: Não, aí eu não saberia. Poderia também depois dar uma informação mais precisa sobre isso. Bom dia, Diogo.

Jornalista: Bom dia, Porta Voz. Questão de agenda aqui mesmo, no dia 8 de outubro o senhor disse que ela embarca de volta. Tem um horário? Existe alguma possibilidade dela fazer alguma agenda pessoal em Istambul ou em outra região da Turquia?

Porta Voz: Bem, os compromissos da Presidenta na sexta-feira se estendem até tarde, então daí a necessidade de partir no dia seguinte. Não há confirmação sobre eventual parada em Istambul. Nós confirmaremos isso ao longo da viagem.

Jornalista: Tem mais detalhes, Porta Voz, dessa presença maior da Embraer na Bulgária, o que seria exatamente?

Porta Voz: Não, aí talvez nós pudéssemos também procurar o Itamaraty, que talvez tenha mais informações sobre isso…

Jornalista: Eu queria saber se poderia aprofundar um pouco sobre a relação com a Turquia. Lá se incrementou muito no outro governo, e tal. Como vê isso, este novo governo – essa relação –, e a influência ou uma certa participação em diálogos no norte da África? E também eu vi que, na ida, a Presidenta sai no sábado à noite e chega no domingo à noite. Tem alguma parada por aí? Alguma…

Porta-Voz: Não, não.

Jornalista: …coisa privada?

Porta-Voz: A Presidenta chega no domingo à tarde, que eu falei.

Jornalista: Sim.

Porta-Voz: Não, não há…

Jornalista: Estava calculando…

Porta-Voz: Talvez haja uma escala em território brasileiro para depois chegar a Bruxelas. Mas, em relação à Bulgária, o comércio é ainda… Perdão?

Jornalista: É Turquia.

Porta-Voz: Em relação à Turquia, o comércio com a Turquia é um comércio importante já. Como eu disse, o Brasil exporta cerca de US$ 1 bilhão, já, para a Turquia e importa por volta de US$ 600 milhões, então… Mas ainda se acredita que há ainda um espaço importante para haver um crescimento desse comércio. Então, isso certamente será discutido. Também do ponto de vista político, conforme você me perguntou, é evidente, a Turquia é um ator privilegiado em questões do Oriente Médio e, certamente, haverá um diálogo entre o Brasil e a Turquia sobre assuntos do Oriente Médio. Está bem?

Jornalista: Só uma questão a perguntar, mais técnica. Em Gabrovo, ela fica lá e sai de lá para a Turquia, ou ela volta para Sófia? Como vai ser esse deslocamento?

Porta-Voz: Não, deve seguir direto…

Jornalista: De Gabrovo…

Porta-Voz: Exatamente.

Jornalista: …para Sófia.

Porta-Voz: Se houver alguma alteração…

Jornalista: Desculpa, para Ancara.

Porta-Voz: Para Ancara, exatamente. Se houver alguma alteração, nós informaremos. Mas essa é a ideia. Mais alguma pergunta?

Jornalista: Qual é o principal… os principais pontos dessa reunião Brasil-União Europeia? São temas econômicos, temas políticos?

Porta-Voz: Temas econômicos e políticos, porque, evidentemente, a Europa tem um papel importante também na situação no norte da África e também no Oriente Médio. Certamente haverá esse diálogo político também com a União Europeia.

Jornalista: Na Bulgária, você disse que vai ter assinatura de acordos também na área educacional. O que seria isso? Uma troca de experiência? Universidade?

Porta-Voz: É. A ideia é que haja um intercâmbio maior, entre Brasil e Bulgária, de estudantes brasileiros e também estudantes búlgaros. Essa é a principal ideia, na área de intercâmbio de estudantes.
    Bom, não temos mais perguntas? Agradeço. Obrigado.

Compartilhar

Notícias relacionadas