Como se proteger na internet, utilizando-se de boas práticas

 

Por Juliano Aparecido de Oliveira – O recente ataque global por uma vulnerabilidade no Sistema Operacional Windows acabou resultando em milhares de computadores infectados por um malware da classe ransomware, este tipo de praga virtual tem como objetivo depois de infectar o computador do usuário sequestra-lo, bloqueando o acesso total ou quase total do sistema operacional ou de seus programas ou arquivos e por fim exige um resgate em dinheiro ou Bitcoin (que é um tipo de moeda virtual), 1 bitcoin (BTC) é equivalente a aproximadamente a R$ 5.000,00, mas mesmo o usuário que tendo sua máquina infectada por este ransomware pagando o resgate, não terá a garantia da liberação da sua máquina.

Ainda o melhor que podemos fazer é precavermos, já que a informação é um ativo importantíssimo e valioso, pois fica a pergunta para a reflexão: quanto vale minhas informações? Muito dinheiro? As minhas informações resolvem problemas? Vale conhecimento ou sabedoria? São informações de uso industrial ou militar? Pode conter a cura para uma doença grave ou levou anos de pesquisa para achar uma possível cura de uma doença de quem sofre?

As naturezas da boa informação chegam a ser incontáveis e por isso é sempre bom pôr na balança de um lado suas informações e outro o investimento necessário para protege-las. Hoje o custo financeiro para adquirir um software ou hardware para armazenar ou assegurar as informações é zero ou estão bem acessíveis monetariamente, uso de softwares como: antivírus e firewall vão deixar mais asseguradas as informações mas, ainda o usuário deve ter acima de tudo boas práticas de uso de seu equipamento, pois a internet reserva muitas armadilhas para os mais desatentos.

Boas prática como: sempre realizar os backups (cópias de segurança) de nossas informações, para isso podemos nos equipar com pendrives, CDs, DVDs, Hds externos e até mesmo quem prefira o backup nas nuvens, mas lembre-se: “Backup, quem tem um, não tem nenhum!” Já fica a dica para realizar a cópia em várias mídias possíveis. Realizar a varredura do equipamento com o antivírus e não sair clicando a torto e direito em links e acessando sites duvidosos.

Para ajudar a se proteger é sempre bom lembrar de algumas práticas para aumentar a segurança da informação quando acessar alguns dispositivos como: computadores, Smartphones, Tablets, Smart Tvs entre outros.

1. Sempre mantenha o sistema operacional de seus aparelhos atualizados, exemplo prático desse recente ataque que disseminou pela Europa e chegou ao Brasil, foi que boa parte dos usuários não realizaram a atualização de março/2017 do Windows 7/8/8.1/2012/10, (lembrando que o Windows XP e 2003 não possuem esta atualização), mas fica a dica para quem usa outro tipo de sistema operacional como o Linux, Android, IOS ou MAC OS, já diz o ditado: “Quando você ver as barbas de seu vizinho pegar fogo, ponha as suas de molho”. Nesse caso segurança nunca é demais.

2. Sempre manter os navegadores de internet atualizados. Google Chrome, Mozilla Firefox, Microsoft Edge, Opera, Safari, Microsoft Internet Explorer, entre outros são os aplicativos que permitem navegação com a internet, por isso é onde os hackers têm sempre buscado uma vulnerabilidade para aproveitar-se de um descuido para um ataque ou algo parecido. O navegador de internet é como se fosse um avião que está em voo constante e sua manutenção tem que ser feita no ar, seria assim um modo mais fácil para explicar a importância de seu uso. Por isso mantenha-o atualizado para este avião não cair.

3. Use um antivírus de confiança. Nem sempre neste caso deve ser um pago, mas se caso seja necessário para proteger suas informações como dito acima, não hesite em pagar por uma assinatura de um bom antivírus. Mas só tê-lo em seu equipamento não é garantia: faça-o trabalhar! Recomenda-se que pelo menos uma vez por semana realize a varredura completa em sua máquina e mantenha sempre seu antivírus com a atualização em dia, pois as atualizações de vírus são diárias e em muitos casos ainda são liberadas várias atualizações novas por dia.

4. Use um firewall, esse programa serve como um filtro de rede que impede acesso ao computador do usuário. Também filtra se algo suspeito coleta informação do usuário.

5. Ao usar o site do internet Bank muito cuidado ao inserir seu login e senha, aqui vale aquela velha dica, mas ainda funcional: no acesso use um nome de login e senha diferentes do verdadeiro que costuma usar, assim se o login e senha falsa forem aceitos tenha certeza que essa página do banco é clonada, pois não houve uma verificação no banco de dados do internet Bank original. Nesse caso o melhor a fazer é atualizar os navegadores, sistema operacional e o antivírus e realizar a varredura do computador. Caso persista procure um profissional na área de TI para eliminar as ameaças de seus computador. No caso de os dados falsos inseridos falharem a página é verdadeira, pois os dados foram checados no banco de dados do verdadeiro site e a página do banco retornará com uma mensagem dizendo que os dados não correspondem e assim o usuário poderá novamente inserir os dados corretamente para acessar a página.

6. Cuidado ao usar um computador compartilhado! Entrar na página do facebook, Whatsappweb, dos emails, fazer compras em um site, usar o internet bank em computador estranho que não saiba como é feita a manutenção contra vírus, como é feita a atualização, a limpeza de cookies e temporários de acesso à internet? JAMAIS! Em hipótese alguma use um computador que não sabe a procedência de manutenção. Ou ocorrerá de os dados serem roubados ou estarem circulando pela rede de computadores.

7. Realize com frequência a cópia de suas informações, seja ela feita em CDs, DVDs, HDs externo, Pendrives, pois se vier a perder as informações, poderá recupera-las posteriormente graças a realização das cópias de segurança. Evite a perda de dados e informação por uma queda repentina de energia elétrica, um travamento no sistema operacional ou um vírus ou ataque de hacker. Uma solução para a queda de energia elétrica é a compra de um nobreak, isso evitará muita dor de cabeça. Esse aparelho custa em média o equivalente a um disco rígido, pois é a peça que mais sofre com a que de energia e a responsável pelo armazenamento principal dos dados e informação do computador ou servidor da empresa.

8. O usuário não deve instalar softwares de procedências duvidosas, não abrir email se ele for suspeito, ainda mais se conter anexo, pois se aberto esse anexo pode ser tarde demais e o computador poderá ser infectado, ou clicar em links sem ter a certeza que ele seja seguro. Isso é muito comum nas redes sociais e geralmente veem como algo interessante, por exemplo: “Netflix está dando assinatura gratuita por um ano”, e assim por diante, olho vivo nisso.

Por isso não caia nessa. Na internet todo cuidado é pouco, pois existem muitas pessoas maliciosas com muita esperteza e criatividade que aguça a curiosidade do usuário afim de tomar o dinheiro alheio. O segredo é confiar desconfiando.

Compartilhar

Notícias relacionadas