Conheça as consequências mais comuns da perda de dentes e as estratégias de prevenção

Dados da Pesquisa Nacional de Saúde de 2020, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelam que 34 milhões de brasileiros adultos, com idade acima de 18 anos, perderam treze ou mais dentes, e outros 14 milhões vivem sem nenhum deles na boca. Longe de ser apenas estatísticas, esse números são um alerta para os graves problemas que surgem como consequência do edentulismo (perda total ou parcial dos dentes).

A condição vai muito além da questão estética, afetando diretamente a qualidade de vida e trazendo sérios danos para a saúde em geral. As implicações vão desde a dor e desconforto físico até o comprometimento de funções vitais como a fala, a mastigação, a absorção correta dos nutrientes, além do bem-estar emocional, entre muitos outros. “É importante ressaltar a importância das visitas regulares ao consultório odontológico, para prevenir a perda dentária e compreender as opções de tratamento para garantir uma vida saudável”, afirma a Cirurgiã-Dentista Bruna Ghiraldini, Coordenadora de Pesquisa e Desenvolvimento da S.I.N. Implant System.

“Junto com a higiene oral adequada, que inclui escovação e uso de fio dental, a adoção de uma dieta equilibrada são fortes aliadas para uma dentição saudável”, acrescenta a especialista. “Porém, quando a perda dentária já se instalou, os implantes dentários se destacam como a solução mais moderna e duradoura para a reabilitação oral, permitindo o retorno de todas as funções dos dentes”, conclui Bruna.
A especialista explica que são muitas as implicações que a falta de dentes pode causar. Veja abaixo quais são elas:

  1. Machucados na gengiva. Sem os dentes, a gengiva pode ficar desprotegida e mais suscetível a ferimentos. No momento da refeição, a pressão de um alimento mais duro, por exemplo, acaba provocando inflamações e, até mesmo feridas na região.
  2. Desalinhamento dos dentes. Os dentes restantes tendem a se deslocar para preencher os espaços vazios, na busca por suprir aquela falta. Quando pensamos exclusivamente na estética, o resultado é um sorriso desalinhado e feio, que costuma causar danos severos para a autoestima.
  3. Problemas de mordida. O desalinhamento dos dentes leva a um desarranjo na mordida, causando dor e dificuldades na alimentação. Além disso, a falta de dentes ocasiona problemas de oclusão – quando os dentes superiores e inferiores não se encaixam –, causando desgastes nos elementos remanescentes, dores e, até mesmo, dificuldade para morder ou mastigar os alimentos.
  4. DTM (Disfunção Temporomandibular). A articulação temporomandibular (ATM) é responsável pelo abrir e fechar da boca. Na ausência de dentes, essa junção entre os ossos fica sobrecarregada, levando a dores de cabeça, limitações na abertura da boca e desconforto ao mastigar. O distúrbio provoca ainda zumbidos no ouvido, estalos na movimentação da mandíbula e, até mesmo, pressão nos olhos.
  5. Risco maior de desenvolver cáries. O sorriso desorganizado também faz com que as cáries se tornem mais frequentes, já que a higienização se torna mais difícil e a boca fica mais suscetível a restos alimentares.
  6. Infecções. A ausência de dentes pode aumentar o risco de infecções dentárias devido ao acúmulo de resíduos de alimentos e bactérias na região. E mais: sem o tratamento adequado, elas podem se espalhar para outras áreas do corpo, levando a complicações que podem se tornar graves e potencialmente fatais. Por isso que, logo que surgir uma infecção, o dentista deve ser procurado o mais rápido possível.
  7. Má digestão. A mastigação é o primeiro passo para uma boa digestão, sendo os dentes responsáveis por triturar os alimentos. Na ausência deles, a capacidade de ingestão fica prejudicada, tornando o processo digestivo deficiente e, também, prejudicando a absorção dos nutrientes.
  8. Perda óssea. A ausência de raízes dentárias pode resultar na reabsorção óssea, processo no qual o osso que suporta os dentes começa a se deteriorar. Isso enfraquece a estrutura facial, levando a alterações no formato do rosto e, potencialmente, podendo causar, até mesmo, problemas de oclusão e estabilidade bucal.
  9. Estética prejudicada. À medida em que os dentes desaparecem e que a reabsorção óssea ocorre, o suporte dos lábios e bochechas é comprometido, o que, por sua vez, influencia a posição dos músculos faciais, resultando na flacidez da pele e na perda de definição do queixo.
  10. Comprometimento da fala. Os dentes são fundamentais para a produção de alguns sons, especialmente os sons dentais, reproduzidos sempre que a língua toca os dentes superiores. Quando há ausência deles, a articulação da fala fica comprometida, resultando em uma pronúncia imprecisa.
  11. Baixa autoestima: Devido à influência dos dentes tanto para sorrir como para as funções da fala e mastigatórias, a perda dentária costuma levar a sentimentos de vergonha e de inadequação, afetando negativamente a autoconfiança e as interações sociais.
  12. Problemas cardiovasculares. Embora a relação não seja direta, problemas dentários, se não tratados, contribuem para cerca de 45% das doenças do coração, de acordo com dados do Instituto do Coração (Incor). Isso porque doenças periodontais podem desencadear inflamações crônicas no corpo, afetando o sistema cardiovascular e aumentando o risco de complicações cardíacas.

Sobre a S.I.N. Implant System: uma das líderes mundiais na fabricação de implantes dentários, com sede localizada em São Paulo (SP), está presente em 22 países. É reconhecida no mercado por agregar valor e conhecimento à comunidade odontológica, por meio de cursos de formação, palestras e workshops, além do apoio a pesquisas científicas.

A empresa tem como visão oferecer o que há de melhor e mais seguro na área de Implantodontia, graças a um rigoroso controle de qualidade, aliado a certificações nacionais e internacionais. A S.I.N. abraçou a ideia da tecnologia e da inovação para ajudar pessoas a resgatarem seus sorrisos, promovendo felicidade, saúde e bem-estar.

O modelo de negócios é orientado por práticas que envolvem a redução de impactos ambientais, o atendimento humanizado, a promoção da diversidade e da inclusão social. Na governança, os pilares centrais são o respeito às pessoas, a escuta ativa, o compromisso com a ética, o uso consciente de dados e a transparência nas ações. A empresa acredita que viver de acordo com valores e propósitos sólidos é o caminho mais favorável para bons negócios.

É assim que a S.I.N. tem construído confiança junto a Clientes, Acionistas, Colaboradores, Parceiros e comunidades locais. A empresa, iniciada em 2003 pelo casal de empreendedores Neide e Ariel Lenharo, hoje integra o grupo Henry Schein, maior fornecedor de produtos e serviços de saúde para consultórios odontológicos e médicos do mundo. Mais informações em www.sinimplantsystem.com.br.

Caroline Fakhouri | Key Press Comunicação

Notícias relacionadas

Se inscreva
Notificação de
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments