Coronel Macedo realiza Seminário da Primeiríssima Infância

No final da semana passada (05 e 06/02), a Secretaria Municipal de Saúde, junto com a Secretaria de Assistência Social e Secretaria da Educação, realizou no CCI – Centro de Convivência do Idoso, o seminário de Avaliação Participativa da Atenção à Primeiríssima Infância.

O programa Primeiríssima Infância foi idealizado para qualificar o atendimento e o cuidado à criança de 0 (zero) a 3 (três) anos, favorecendo o seu desenvolvimento integral e integrado. O seminário foi conduzido pela psicóloga Regina Grandis e o consultor jurídico Marcelo Reis, do Instituto Primeiros Anos.

A abertura do evento contou com as presenças do prefeito José Roberto Santino Veiga “Betinho”, da vice-prefeita Miltes Tonon, do presidente da Câmara Roque Garcia, da secretária de Assistência Social Maria Braz, da secretária de Educação Maria das Graças Daemon, do secretário de Saúde Geraldo Rivera, da supervisora de Saúde Leiliane Camila Garcia Velo e a representante da Creche Maria de Nazaré, Cândida Aparecida da Rocha Meira e profissionais da Unidade Mista, ESF Sebastião Macedo, Assistência Social e diretoras das escolas e creches municipais. Teve também apresentação das crianças da Creche Escola Olímpio Garcia, acompanhadas pelos professores e pela diretora Paula.

O prefeito “Betinho” agradeceu os membros do Instituto Primeiro Anos pela avaliação realizada no município e destacou que essa ação é importante para o desenvolvimento infantil, que será o futuro do município.

Foram dois dias de atividades para discussões de resultados e discussões em torno do tema. As ações propostas no seminário envolvem o poder público na construção de políticas que favoreçam o trabalho em rede priorizando o desenvolvimento infantil.

O programa visa ainda a capacitação de profissionais para o atendimento de gestantes e crianças de zero a três anos nos serviços de educação infantil, saúde e desenvolvimento social.

“Foi muito importante pra nós esse seminário porque nos trouxe conhecimentos.

Por exemplo: já no 3º mês de gestação, a criança, houve, sente o cheiro da mãe e passa pelas mesmas emoções da mãe.

Na questão da gravidez na adolescência, temos, como todas as cidades, um alto índice. Mas, ficamos sabendo de algumas causas.

A primeira é a falta de expectativa da jovem em relação aos estudos, trabalho, lazer e enfim, ao futuro. Para ela o filho viria como uma solução.
A segunda, é a violência no lar. A adolescente é agredida moral e fisicamente pelos pais e irmãos. Para ela, a saída para evitar as agressões é se engravidar, porque ninguém bate em mulher grávida.

Com essas informações, tomaremos atitude de desenvolvermos políticas públicas para tentarmos mudar essas situações, e temos certeza que vamos conseguir fazer nossa cidade ser melhor em relação à essas questões. Vamos tratar melhor nossas crianças ainda na barriga da mãe, e o mesmo vamos fazer com as nossas adolescentes”, comentou o prefeito “Betinho”.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

avatar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Se inscreva  
Notificação de