Covid-19: Itaporanga-SP passa a fazer bloqueio sanitário em dois acessos à cidade

Buscando maior eficiência na prevenção e combate ao Covid-19, a administração municipal do prefeito Douglas Benini, através da Secretaria de Saúde, adotou bloqueios sanitários em dois acessos de grande circulação de veículos à Cidade

São nos seguintes locais: um no principal acesso, na Avenida Natália Valente Ferraz, nas imediações do Cristo, (rotatória e interligações com as rodovias SP-255 e SP-281), e Posto Turco. E outro, na entrada e saída para Barão de Antonina, no final da Avenida Santa Cruz.

Os demais acessos secundários, como na entrada e saída da Rua Felipe Vita, que liga à SP-255; Vila Lava-Pés, e os pelo CDHU e Cerâmica, com acesso à Rodovia Juventino Patriarca (SP-281) estão totalmente impedidos.

Servidores municipais da Saúde e de vários outros setores atuam nos dois bloqueios sanitários.

Segundo a secretária de Saúde Renata Damante, o objetivo maior desse trabalho é conseguir informações das pessoas que entram e que ficam no município e explica como funciona.

Porquê?

“Pacientes sintomáticos, com o questionário que estamos aplicando, a gente consegue saber se a pessoa teve ou não algum sintoma. Daí, depois a gente vai atrás, para fazer essa busca e contato com os eventuais sintomáticos, os quais passarão a receber uma atenção e acompanhamento melhor da Saúde”, diz ela.

Como foi este primeiro dia?

“De manhã tentamos parar todos os carros, mas vimos que não tínhamos condições, porque na parte de manhã contávamos menos pessoal para fazer o trabalho e o trânsito na entrada da cidade é muito grande e chegou a ficar parado até o trevo. Agora à tarde temos mais pessoas ajudando e tudo está fluindo mais rápido.

Todos os veículos são parados?

“Sim. E para agilizar, optamos por colher maiores informações de pessoas em veículos com placas de fora. Pegamos nome endereço, telefone, aonde vai, quanto tempo vai ficar e outras informações.
Já as pessoas com veículos placas de Itaporanga, a gente pergunta se é sintomático ou não. Se for, a gente pega mais informações sobre quais sintomas, anota endereço, telefone e contato para depois irmos atrás, e o veículo é liberado”, conta a secretária Renata

Além disso, ela informa que as pessoas recebem orientações sobre os protocolos de higiene, distanciamento, uso de máscara – como usar e descartar -, e enfim passam os detalhes de como as pessoas devem entrar e como proceder no município, colaborando assim para o combate do Covid-19. “Tem pessoas que chegam aqui no bloqueio com a máscara no colo e não a colocam”.

Como as pessoas estão recebendo esse bloqueio?

“No geral a grande maioria recebe bem, pois sabe da importância. Mas, enfrentamos problemas: pessoas que não compreenderam a importância deste trabalho e acharam ruim parar alguns minutinhos para responder o questionário.

Existiram casos de condutores desviarem por algum ponto sem a sinalização de impedido. E teve um caso que o condutor em veículo sem placa tratou com isso com descaso. Disse ser de tal profissão, que estava sem placa porque era zerinho, estava com pressa e que não tinha telefone.

E teve também um caso de um extremamente mal-educado que reagiu grosseiramente assim para a entrevistadora: ‘Ah, você me parou aqui só pra isso? Ah vá tomar no …..’, contou a secretária que explicou que nem tudo saiu perfeito como foi planejada, mas que iria fazer os ajustes necessários.

Compartilhar

Notícias relacionadas