Criminalidade nesta região: Itaponews revela os números de 12 municípios

Numa pesquisa junto à Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, o Itaponews levantou a quantidade de ocorrências de homicídios, furtos, roubos e furtos e roubos de veículos referentes ao ano de 2009 e aos 03(três) primeiros meses de 2010 nas cidades de Avaré(89.428 habitantes), Barão de Antonina(2.939 hab.), Cel. Macedo(5.389 hab.), Fartura(15.732 hab.), Itaberá(18.364 hab.), Itaí(24.166 hab.), Itapeva(93.950 hab.), Itaporanga(14.348 hab), Itararé(51.725 hab.), Riversul(6.554 hab.), Taguaí(10.643 hab) e Taquarituba(24.599 hab.). 

Contudo, proporcionalmente, os números de Itaporanga são melhores em todos os tipos criminais, exceto os furtos de veículos ocorridos por ocasião da Festa do Peão. Confira os números.

 

Dados do ano 2009

Município Homicídio doloso Furto Roubo Furto e roubo de veículos
Avaré 6 1.535 127 88
Barão de Antonina 1 11 0 0
Cel. Macedo 1 23 6 0
Fartura 0 114 13 6
Itaberá 2 202 20 8
Itaí 5 79 13 11
Itapeva 7 1.112 149 65
Itaporanga 0 56 1 3
Itararé 1 741 50 43
Riversul 0 111 5 0
Taguaí 0 117 14 9
Taquarituba 3 165 23 18

 

Dados do primeiro trimestre de 2010
Cidade Homicídio doloso Furto Roubo Furto e roubo de veículos
Avaré 3 514 38 7
Barão de Antonina 0 1 0 0
Cel. Macedo 0 3 1 0
Fartura 0 18 0 0
Itaberá 0 45 4 3
Itaí 0 21 2 2
Itapeva 1 276 60 17
Itaporanga 0 16 1 6
Itararé 1 177 26 11
Riversul 0 17 0 0
Taguaí 0 22 1 2
Taquarituba 0 31 10 3

 

 NOTA EXPLICATIVA DA SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA

Crimes contra o patrimônio despencam em São Paulo

Roubos caíram 13%, furtos 5%, furtos de veículos 10%, roubos de veículos 12% e roubos de cargas 7%. A redução mais expressiva foi dos latrocínios que caíram 22%
As estatísticas criminais da Secretaria da Segurança Pública relativas ao primeiro trimestre de 2010 mostram expressiva redução dos indicadores de crimes contra o patrimônio: roubos, furtos, roubos de veículos, furtos de veículos e roubos de cargas. Tiveram queda acentuada também os latrocínios – roubos seguidos de morte.

No primeiro trimestre de 2010, os roubos caíram 13% em relação ao mesmo período do ano passado. De janeiro a março, os furtos diminuíram 5%, os furtos de veículos 10%, os roubos de veículos 12% e os roubos de cargas 7%. Os roubos seguidos de morte apresentaram a redução mais significativa: -22%, com queda de 94 para 73 casos no Estado.

A reversão da tendência de alta identificada no início de 2009, com a significativa redução dos crimes contra o patrimônio, deve-se a uma série de medidas tomadas pela Secretaria da Segurança Pública para intensificar o policiamento ostensivo e a investigação criminal, além da melhora do cenário econômico.

Investigação e policiamento reforçados

Ao longo dos últimos 12 meses, a Polícia Militar aumentou o patrulhamento nas ruas, as abordagens, as prisões de criminosos, as apreensões de armas e drogas, a recuperação de veículos furtados ou roubados, além de multiplicar o número de operações policiais nos locais, dias e horários mais visados pela criminalidade.

A Polícia Civil transferiu integrantes de grupos especializados para distritos policiais, passou a centralizar todos os Termos Circunstanciados e foi liberada da maioria das escoltas de presos, assumidas pela PM. Estas medidas contribuíram para que pudesse focalizar as atividades de Polícia Judiciária, especialmente a investigação criminal para esclarecimento de delitos, identificação de autores e encaminhamento ao Poder Judiciário.

O Governo do Estado deu suporte político e material a estas mudanças. Não só orientou a intensificação do combate aos crimes contra o patrimônio como adquiriu cinco novos helicópteros e 2.783 viaturas, 27.632 microcomputadores, armas e equipamentos de proteção para os policiais. Investiu na expansão ao interior do sistema de radiocomunicação digital, que traz mais segurança e agilidade ao trabalho policial, por criptografar a troca de mensagens, impedindo que sejam interceptadas. Levou à quase totalidade dos municípios do interior os sistemas RDO (Registro Digital de Ocorrências) e Infocrim (Informações Criminais), que indicam dias, horários e locais de maior incidência criminal, com base no registro de boletins de ocorrência.

Em permanente contato com organizações setoriais e com representantes da sociedade, a SSP atribuiu novos papeis às unidades policiais no combate a modalidades criminais, como o roubo de carga e a condomínios.

Neste mesmo contexto, estimulou a criação, na Polícia Civil, de um novo departamento que centralizou a investigação dos crimes contra o consumidor, o DPPC (Departamento Policial de Proteção à Cidadania), responsável pelo combate aos roubos, furtos e desvios de medicamentos e alimentos, além dos crimes fazendários e ambientais.

Recuperação de veículos chega a 43%

Ao longo dos últimos 12 meses, surtiram efeito mudanças promovidas no comando dos principais departamentos policiais, que resultaram, por exemplo, na recuperação e devolução aos proprietários de 43% dos veículos roubados ou furtados no Estado.

As ocorrências de tráfico de drogas, cujo registro depende totalmente da Polícia, e por isso são consideradas um indicador da atividade policial, aumentaram 12% no trimestre, em relação a igual período do ano passado.

Os indicadores dos crimes contra o patrimônio acompanhados nas estatísticas criminais caíram, exceto os roubos a bancos, que ainda assim permanecem em patamar inferior à média dos últimos anos. Foram registrados 66 casos no primeiro trimestre de 2010, contra 57 no mesmo período do ano anterior. O número de ocorrências em 2010 é exatamente o mesmo contabilizado em 2008, patamar que é 33% inferior a 2007 e 42% menor que 2006.

Nova legislação do estupro

A mudança na conceituação do estupro, que passou a incluir os “atos libidinosos” e “atentados violentos ao pudor” na Lei Federal 12.015, teve grande repercussão nas estatísticas criminais do Estado. Com a nova legislação, o número de estupros contabilizados foi no primeiro trimestre deste ano foi de 2.323 casos. Esse número não pode ser comparado com os dados da série histórica. Não significa que o número de registros de “conjunções carnais mediante violência ou grave ameaça” tenha, de fato, aumentado, apenas que, com a mudança de metodologia, passou a incluir crimes que tinham outra capitulação.

Taxa de homicídios é metade da média nacional

Os homicídios dolosos no Estado oscilaram para cima no primeiro trimestre deste ano. Foram 1.224 casos neste período, contra 1.143 no trimestre inicial de 2009. A oscilação nos homicídios São Paulo acontece após queda histórica de 70% desde 2000. Em 2009, São Paulo teve taxa anual de homicídios dolosos de 10,9 por grupo de 100 mil habitantes – em 1999 a taxa era de 35,2. A taxa média do Brasil é de 24,5. Tais oscilações, depois de um longo período de redução dos homicídios, indicam que os esforços do governo, das polícias e da sociedade devem ser renovados continuamente com a adoção de novas, mais modernas e eficientes estratégias.

A Secretaria da Segurança Pública iniciou, em 2009, uma série de ações planejadas que, com investimento contínuo em infra-estrutura, visam a redução da criminalidade no Estado, como o novo Policiamento Rural, a ampliação do Rádio Digital, a compra de novos helicópteros, viaturas e armas, a ampliação de vídeo-monitoramento e a chegada de novos policiais.

Compartilhar

Notícias relacionadas