Depressão – Como identificar e combater esse mal

Todo mundo passa, durante a vida, por períodos de tristeza, angústia e desânimo que parecem que não terão fim. Nesses momentos a vida perde a cor, o sentido, a graça e tudo parece meio sem propósito. Como saber se isso é uma resposta natural aos problemas do dia-a-dia? Qual é o limite entre a oscilação natural do humor e a temida depressão?

Uma série de sinais faz você perceber se a pessoa não está bem, antes da depressão propriamente dita. Se ela anda irritada, foge de muita alegria, evita o contato social, reclama muito, tem sono excessivo, são sinais de que tem algo errado, assim como a Insatisfação, insônia, alteração do apetite, falta de energia, fadiga, diminuição do desejo sexual, lentidão ou agitação excessiva, perda ou ganho de peso, dificuldade escolar ou Profissional são outros indicativos que apontam para a depressão, e podem levar a desenvolver complicações médicas.

Depressão pode ocorrer em qualquer fase da vida: na infância, adolescência, maturidade e velhice. Os sintomas podem variar conforme o caso.

A família dos portadores de depressão precisa manter-se informada sobre a doença, suas características, sintomas e riscos. É importante que ela ofereça referências para certos padrões, como a importância da alimentação equilibrada, da higiene pessoal e da necessidade e importância de interagir com outras pessoas. Afinal, trancafiar-se num quarto às escuras, sem fazer nada nem falar com ninguém, está longe de ser um bom caminho para superar a crise depressiva.

A psicoterapia ajuda, a técnica auxilia na reestruturação psicológica do indivíduo, além de aumentar a sua compreensão sobre o processo de depressão e na resolução de conflitos, diminuindo os impactos causados pela doença.

Você desconfia que algum querido seu esteja com depressão? Ajude-o! Faça-o rir, leve-o pra passear, incentive o tratamento. E o mais importante: não o julgue.

Procure um especialista!

Por Sheila Roque 

Compartilhar

Notícias relacionadas