Dr. Bittar participa de reunião sobre revitalização da ‘Fonte Luminosa’

O vereador Dr. Bittar (PCdoB) participou de reunião que discutiu a revitalização da parte superior da Praça Comendador Emílio Peduti (Bosque), onde encontra-se a ‘Fonte Luminosa’ – atualmente fora de funcionamento.


Além do parlamentar, participaram do encontro o presidente do Centro Brasil Itália, Domingos Scarpellini, o atual correspondente consular da Itália em Botucatu e Presidente do Conselho Deliberativo do Centro Brasil Itália, José Luís Coelho Delmanto, e os arquitetos da Secretaria Municipal de Planejamento, Gustavo Britto e Nádia Sleiman Carnieto.
 

De acordo com o vereador Dr. Bittar, o objetivo da reunião foi o de discutir o projeto da recuperação da fonte luminosa da Praca do Bosque. “Os representantes da Sociedade Italiana solicitam uma restauração conforme a fonte original que foi cedida juntamente com a parte superior da praça em 1956 em homenagem ao centenário da cidade de Botucatu”, conta.

Segundo o parlamentar, os membros do Centro Brasil Itália ainda solicitam a recolocação do busto do militar-aviador italiano Carlo Del Pretti, que ficava em frente ao Teatro Espéria. Segundo informações do historiador João Carlos Figueiroa, o avião de Del Pretti caiu na Baia de Guanabara [antiga Capital Federal] – sendo homenageado em todo o Brasil pelas colônias italianas.

O apego à parte superior da praça do Bosque por parte dos descendentes italianos de Botucatu se deve ao fato de o local ter abrigado, até meados do século passado, o Teatro Espéria, de propriedade da Sociedade Italiana di Beneficienza. O edifício foi consumido pelo fogo em setembro de 1.951.

Neste contexto, o vereador Dr. Bittar (PCdoB) descarta a transformação da Praça do Bosque no futuro ‘Lanchódromo’ – conforme já anunciado pela Administração Municipal. “Temos de preservar a história da Cidade e proporcionar espaços de lazer. Acredito que transformar a Praça em Lanchódromo apenas vai fazer com que a população se aglomere de modo centralizado, o que vai de encontro às novas perspectivas de ordenamento urbano, ou seja, a descentralização dos espaços de lazer”, finaliza. (Da Assessoria de Imprensa/Câmara Municipal de Botucatu)
 
Compartilhar

Notícias relacionadas