Em Sessão Solene, Câmara de Itapeva presta homenagens no Dia Internacional da Mulher

Por ocasião da Sessão foram homenageadas dez mulheres que de alguma forma se destacaram em suas atividades, seja como  profissional ou no lar, mas que mostraram sua força com dedicação e persistência.  Em sessão solene presidida pelo vereador Paulo de la Rua Tarancón,  realizada na noite de segunda-feira, 8, o Legislativo Itapevense prestou homenagens a diversas mulheres, que receberam  placas entregues pelos vereadores. O evento contou as presenças do vice-prefeito Ulysses Mário Tassinari e sua esposa Marli Tassinari, sendo abrilhantado por um grupo de dança (Ana Paula, Beatriz e Pámela) e o cantor Domenico.

Ao iniciar a Sessão Paulo de la Rua destacou que a homenagem  marca uma data muito importante no calendário mundial: 8 de março é o dia em que todas as lutas já travadas pelas mulheres são lembradas.

As mulheres gostam de ser lembradas, queridas, amadas. Porém, mais do que isso, querem ser respeitadas, querem ter seus direitos – conquistados a duras penas – preservados, já que cumprem seus deveres como todos os homens.

Aliás, fazem mais, pois além de trabalhar fora, ainda cuidam da casa, dos filhos, do marido, enfim, são guerreiras, amorosas, protetoras, dispostas, engajadas, apaziguadoras. E além de tudo isso possui o maior dos dons que é o de dar a vida, o que já seria o suficiente para serem homenageadas.

Paulo de la Rua aproveitou a oportunidade para saudar em especial às funcionárias da Câmara pelo profissionalismo, pela dedicação e pelo carinho com que desempenham suas atividades. Sem elas, certamente, esta solenidade não poderia ser realizada, frisou.

EXEMPLO DE MULHER – O presidente passou a palavra a vereadora Áurea Aparecida Rosa que prestou homenagem às mulheres pelo seu dia.  Ela citou mulheres da Bíblia, mulheres de Deus, que se destacaram em outras épocas, entre as quais, Débora, que foi juíza e Ester,  uma rainha.

Áurea narrou a história da Rainha Ester, um exemplo de mulher, que enfrentou preconceitos, mas que soube vencer pela persistência, dedicação,  mas especialmente pela fé em Deus e o amor ao próximo.  Salientou que Deus tem um propósito para cada mulher  e que todos os dias andando pelas ruas da cidade, encontramos pessoas sem procedência, dormindo nos bancos das praças, se embriagando e que normalmente as pessoas procuram encaminha-las para algum órgão que possa atende-las.

Nesse contexto a vereadora citou a história de Dona Patrícia, que reside no Jardim Beija Flor com sua família. Uma mulher de fé, sem preconceito, que tirou das ruas a dona Helena e a levou para sua casa, adotou como uma pessoa da família. Deu a ela um lar, ofereceu a oportunidade de mudanças.  Essa é uma família abençoada por Deus, frisou Áurea  e hoje dona Patrícia merece ser homenageada, pois teve a magnitude de acolher e transformar um ser humano de todo o coração. Finalizando a vereadora enfatizouque a vida é passageira e o que o plano de Deus é muito maior.

ENTREGA DAS HONRARIAS

 Em seguida a jornalista Eliana Chueri procedeu a leitura dos currículos das homenageadas e os vereadores entregaram a honraria.

Cacilda Severo Santos, foi homenageada pelo vereador Wilson Roberto Margarido;  Daniela Gonçalves,  recebeu a honraria das mãos do vice-prefeito Ulysses Mário Tassinari; Elisângela Aparecida Lopes Domingues, do vereador Eliel Ferreira; Maria Cecília Guimarães, vereador Paulo de la Rua;  Maria Eni Werneck Braga, vereador Ney Gonçalves.

 Maria Helena Garcia Ferreira,  vereador Roberto  Comeron;  Patrícia de Jesus Almeida Queiroz  e dona Helena, vereadora Áurea Aparecida Rosa; Tereza Demétrio, vereador Marmo Fogaça;  Venina Rodrigues,  vereador Júnior Guari e  Waldice Therezinha Vasconcellos de Mattos, vereador Oziel Pires.

Na seqüência a  vereadora Áurea  fez a entrega  de flores à dona Marli Tassinari, na pessoa de quem a Câmara prestou homenagem a todas as  mulheres itapevenses.

MUSA INSPIRADORA – Ao usar da palavra o vice-prefeito Ulysses Mário Tassinari falou sobre as homenageadas, destacando a atuação de cada uma delas e sua contribuição nos mais variados setores.  Frisou que é uma verdade incontestável que a mulher com seu jeito, carinho, coragem, consegue modificar e elevar o homem. 

Ela é a musa inspiradora de cantores, poetas e escritores, onde é enaltecida e sublimada. Após ler um poema em homenagem às mulheres, Dr. Ulysses parabenizou todas e finalizando afirmou " estaremos sempre orgulhosos de vocês e que Deus as abençoe".

AS HOMENAGEADAS

ELISANGELA APARECIDA LOPES DOMINGUES nasceu em Itapeva no dia 14 de novembro de 1980. Filha de Benedito de Jesus Lopes e de Maria Helena Nogueira Lopes, casou-se com Alexandre Martins Domingues com quem tem a filha Caroline Lopes Domingues. Sua família reside no Bairro da Caputera há três gerações.

Formada em Pedagogia, Elisângela trabalha com Educação há nove anos e atualmente também atua como Presidente da Associação Comunitária de Desenvolvimento do Bairro Caputera, promovendo eventos, levando as reivindicações da comunidade às autoridades competentes, representando o bairro pelo qual não mede esforços em lutar para que o desenvolvimento possa se concretizar.

WALDICE THEREZINHA VASCONCELLOS DE MATTOS mais conhecida como  dona Therezinha, nasceu em Itapeva no dia 7 de setembro de 1933.

Filha de Joaquim Bento de Oliveira e Alice de Almeida Vasconcellos, em novembro de 1954 casou-se com Joaquim de Mattos Salles, o popular Kinkas Mattos, que já foi vereador por três legislaturas e também deputado federal.

Desse matrimônio nasceram oito filhos: Wanderley Antônio, Wilmar Hailton – prefeito por duas gestões – Wlademir, Waldemar, Walter, Neuza, Márcia e Maria Isabel. Seus filhos lhes deram 22 netos e 7 bisnetos.

Professora, no início da carreira lecionou em várias cidades vizinhas como Itararé, Itaporanga, Ribeirão Branco e em vários bairros de Itapeva. Nos últimos 15 anos, trabalhou no Grupo Escolar Acácio Piedade, onde se aposentou em 1990.

Aos 77 anos de idade, dona Therezinha que é esposa, mãe, avó e bisavó dedicada, gosta de se encontrar com os amigos em bailes da 3ª idade, onde passa horas se divertindo e dançando.

MARIA ENI WERNECK BRAGA nasceu em Itapeva no dia 9 de abril de 1960. Casada com Paulo Célio Braga é mãe de Murilo e Bruno e avó de Maria Clara e Lara.

Trabalhou como enfermeira por 14 anos na Santa Casa de Itapeva antes de ingressar na carreira de educadora. Trabalhou em várias escolas, aposentando-se na Escola Estadual Jeminiano David Müzel.

Atualmente responde pela direção da Escola Municipal Professora Terezinha de Moura Rodrigues Gomes, inserida no Assentamento do MST, na Fazenda Pirituba Agrovila I. Ali desenvolve um projeto piloto da Educação no Campo, junto à Secretaria Municipal da Educação.

CACILDA SEVERO SANTOS filha de Balduíno Severo – o cabo Balduíno e Carolina Maria Ferreira – a dona Lula, nasceu no dia 31 de janeiro de 1950.

Mãe de Rosana, Balduíno, João Batista e Rogério e avó de José Rafael e de Larissa, formou-se professora em 1971 no Instituto de Educação Otávio Ferrari, cursou Pedagogia na FAFIT, em Itararé, onde se formou em 1978.

Atuou como estagiária nas Escolas Estaduais José Lopes Fernandes e Professora Zulmira de Oliveira e, como Professor I, lecionou nas escolas isoladas de vários bairros da cidade de Guapiara.

Em 1983 assumiu o cargo de Professora Primária na Escola Estadual de Primeiro e Segundo Graus "Professor João Antunes Alexandre", vinculada à Delegacia de Ensino de Apiaí. Neste mesmo ano foi nomeada Assistente de Diretor, onde permaneceu até 1988, respondendo também pelo cargo de Diretora.

No final de 1988 veio para Itapeva, para a Escola Estadual de Primeiro Grau Manoel de Moraes Barros, no cargo de assistente de direção. Até 2005 atuou em várias escolas de nossa cidade como vice-diretora ou diretora, vindo a se aposentar em fevereiro de 2006, após 32 anos de serviços prestados à Educação.

Cidinha, como é carinhosamente chamada pelos familiares e amigos lutou muito para se realizar profissionalmente pois, com quatro filhos pequenos, foi mãe, esposa e dona de casa presente, uma mulher íntegra, lutadora, que conquistou o respeito de seus alunos e colegas de escola sempre com um sorriso estampado no rosto.

MARIA HELENA GARCIA FERREIRA filha de Antônio Garcia de Oliveira e Bernardina de Lima foi casada com José Miguel Ferreira por 38 anos. Com ele teve as filhas Hidelma e Telma.

Em 1972 passou a fazer parte do quadro de parteiras da Santa Casa de Misericórdia, onde permaneceu por mais de trinta anos.  Ela é responsável pelo nascimento de cerca de treze mil bebês e muitas dessas crianças cresceram, se casaram e tiveram seus filhos com o auxílio da "Lena Parteira", como ela é conhecida até hoje em nossa cidade.

TEREZA DEMÉTRIO nasceu em Paranapanema em 19 de junho de 1933, vindo morar em Itapeva até os 16 anos quando então foi morar com seu esposo em várias fazendas da região.

Morou e trabalhou também como retireira na fazenda de César de Melo e também na fazenda do senhor Dubrica, por mais de 11 anos.

Sempre gostou do trabalho no campo, sem nunca reclamar das tarefas do dia-a-dia. Ela não freqüentou a escola, apenas aprendeu a escrever seu nome para poder assinar documentos.

Alegre, dinâmica, tem como todos nós, alguns problemas de saúde, mas não se deixa abater. 

Atualmente mora sozinha, mas ainda lava, passa, cuida da casa e ajuda seus vizinhos.

Mãe de 19 filhos, são eles: Pedro, Elisa, Armando, José Miguel, Ildebrando, Klinger, Benedito, Magna, Sandra, Lúcia, Fátima, Marlene, Lurdes, Maria, Cleusa, Maria Nazaret, José Pedro, José Maria e Aparecida.

Quando seu primeiro esposo faleceu, teve que cuidar sozinha da família. Ela lembra que quando ia trabalhar na roça, levava os filhos, abria um buraco na terra para deixar as crianças brincando, enquanto cumpria suas tarefas.

Aposentada há 19 anos, batizada na Congregação Cristã há 14 anos, dona Tereza é uma pessoa extremamente saudável e positiva.

MARIA CECÍLIA GUIMARÃES filha de Antonio Martins Guimarães e de Maria José Monteiro Guimarães, nasceu na cidade de Buri, em 29 de abril de 1950.

Casada com Hideki Araki, tem com ele a filha Renata Cristina.

Professora aposentada, é diretora da Escola Municipal Ministro Sérgio Motta no Alto da Brancal e tutora nos cursos de Pedagogia, pela Fundação Hermínio Ometto – Uniararas.

Sua formação até a conclusão do ensino médio foi nas escolas públicas de Itapeva. Formou-se em Educação Física pela PUC de Campinas, em Psicologia pela FAAP, em São Paulo e em Pedagogia pela FAFIT, em Itararé.

Especializou-se em Educação Infantil na Sede Sapiental e possui cursos de pós-graduação em Psicopedagogia pela Uniararas.

Atualmente cursa pós-graduação em gestão.

Tem como princípio de vida a vontade de crescer e ousar sempre. Seu lema é: plantar é facultativo, colher é obrigatório.

VENINA RODRIGUES 57 anos, natural de Taquarituba, professora de cabeleireiros há 35 anos, filha de Manoel Rodrigues e Ignês de Carvalho Rodrigues Frezatt, tem três filhos: Vanderson, Elisete e Júnior, além de quatro netos.

Residente há mais de 21 anos em Itapeva, vem contribuindo ao longo do tempo com pessoas que buscam ter uma profissão.

Em sua escola de cabeleireiros, recebe alunos de toda a região, onde já se formaram mais de mil profissionais. A 1ª Formatura foi realizada em 1997, no Centro Cultural, com a presença do sr. Newton de Moura Müzel.

Com sua equipe de alunos, presta serviços sociais às crianças carentes, idosos e aos internos da Comunidade Terapêutica Mãe da Vida, oferecendo cortes de cabelo gratuitos.

Devido à sua grande simpatia, humildade e interesse pelas causas públicas, em 2004 candidatou-se a vereadora, obtendo quase 400 votos.

Venina é amiga, mãe, mulher, que inicia seu dia trabalhando, que luta pelos seus objetivos e ajuda quem está à sua volta com carinho e palavras de esperança e amor. Exemplo de determinação, solidariedade e fé, conquistou seu espaço com dignidade e respeito.

PATRÍCIA DE JESUS ALMEIDA QUEIROZ, nasceu no dia 19 de fevereiro de 1982, casou-se com José de Freitas Queiroz Júnior com quem tem os filhos Lucas e Emanuel.

Diaconiza da Igreja Paullus, desenvolve um grande trabalho social naquela igreja, ajudando ao próximo com muita alegria, sem distinção alguma e sempre com o intuito de colaborar, fortalecer e encorajar aqueles que a procuram.

DANIELA DE OLIVEIRA nasceu em Sorocaba, em 16 de novembro de 1974, iniciou nas artes cênicas aos 10 anos e aos 13 fez sua estréia no palco do Teatro Municipal da sua cidade.

Conheceu seu esposo, Márcio Gouveia, ator e diretor de teatro, em 1999, na Companhia de Artes Sem Limite, da qual atualmente além de atriz é também produtora.

Viajando com a peça A Consulta, em 2002, conheceu Itapeva e a partir de então, nossa cidade passou a fazer parte dos roteiros de apresentações do grupo.

Em 2004, após levar quase duas mil pessoas à Casa da Cultura, ela e Márcio foram convidados pelo então secretário da Cultura, Professor Newton de Moura Müzel e pelo vereador Paulo Roberto Tarzã dos Santos para fixar residência em Itapeva e ajudar no desenvolvimento do teatro na cidade.

Com 22 anos de carreira, Daniela fez cursos e oficinas teatrais com grandes nomes das artes cênicas como o diretor Antunes Filho e Carlos Roberto Mantovani.

Além das apresentações mensais na Casa da Cultura, ela também é professora de teatro nas Escolas Acácio Piedade, Celso Duch, Newton de Moura Müzel e Colégio Anglo.

Realizada profissionalmente, ela admite ser uma pessoa extremamente feliz, porque faz o que mais gosta, ao lado do marido e já começa a colher frutos saborosos, vendo seu filho, Bryan Gouveia, de 8 anos, iniciando suas apresentações nos palcos. (Madalena Ferreira, da Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal de Itapeva)

 

 

Compartilhar

Notícias relacionadas