Governo Federal lança aplicativo para incentivar doação de sangue

Plataforma Hemovida é gratuita e está integrada ao ConecteSUS. No aplicativo, é possível localizar a rede de saúde mais próxima, visualizar histórico de doações e convidar amigos

Incentivar a doação de sangue voluntária, captar mais doadores e conscientizar a população sobre a importância de manter os estoques de sangue em níveis seguros. Esses são alguns dos objetivos do aplicativo Hemovida, lançado pelo Governo Federal nesta segunda-feira, 27 de novembro, por meio do Ministério da Saúde. O aplicativo está integrado ao ConecteSUS e permite ao cidadão localizar facilmente a rede de saúde mais próxima, baixar a carteira do doador, entre outras funcionalidades.

O anúncio do aplicativo foi feito no Dia Nacional do Doador de Sangue, em 25 de novembro, pelo Ministério da Saúde e está disponível para download nas principais lojas de aplicativos (Android e iOS). Com a ferramenta, é possível verificar o histórico completo de doações, baixar a carteira do doador, onde constam tipo sanguíneo e data da última doação, além da fácil localização da rede de saúde mais próxima.

Para se cadastrar no ConecteSUS Cidadão, é necessário efetuar o download do aplicativo nas lojas Android ou iOS, ou por meio do site do ConecteSus. O login no app é feito pelo acesso único do Governo Federal. Segundo o Ministério da Saúde, a plataforma tem potencial de ser uma ponte entre os hemocentros da rede pública e possíveis doadores, além de desempenhar um papel importante na disseminação de informações sobre a doação de sangue e campanhas em andamento.

Carteira do Doador: Carteirinha virtual com informações de saúde, tipo sanguíneo e a data da última doação. Fornece um registro pessoal e útil em situações de emergência;

Minhas Doações: Histórico completo de doações, incluindo as realizadas, canceladas e agendadas. Há opção de fazer autodeclaração de doação de sangue para manter um registro do compromisso com a causa;

Serviços Hemoterápicos: Localização da rede de saúde mais próxima, possibilitando identificar onde doar e receber informações sobre os serviços disponíveis em cada unidade;

Convidar Amigos: Promoção da doação de sangue entre amigos e familiares, permitindo compartilhar experiências nas redes sociais e incentivar outras pessoas a se tornarem doadoras;

Regras para Doar Sangue: Informações detalhadas sobre como e quem pode doar, bem como os cuidados necessários no dia da doação. Garante que os doadores estejam bem-informados e preparados;

Campanhas: Alertas sobre campanhas regionais e nacionais de doação de sangue, permitindo que as pessoas se envolvam em iniciativas de manutenção dos estoques de sangue nos níveis adequados;

Avaliar Doação: Perspectiva sobre a experiência de doação, avaliação do estabelecimento, dos profissionais e satisfação geral. Contribui para a melhoria contínua do processo de doação.

ATO SOLIDÁRIO – Na porta da Fundação Hemocentro de Brasília, Paula Melo, psicóloga de 27 anos, confessa que doar sangue, para ela, é um dos principais atos de caridade que ela realiza. “O que me motiva a doar sangue é o bem, é ajudar as pessoas. Eu já passei por muitas situações de amigos, meus parentes, parentes de amigos precisarem de sangue e eu sempre gostei de ajudar”, conta Paula, que foi acompanhada de uma amiga.

Direto de João Pessoa, na Paraíba, Lorenzo de Parnanselli, 23 anos, doou sangue pela primeira vez em 2019 para ajudar um familiar. “Agora, em 2023, eu voltei a sentir esse desejo de doar porque o meu sangue é O negativo, é o doador universal”, garantiu. Ele também é cadastrado como doador de medula óssea e se orgulha ao dizer: “Doar sangue e ser um doador de medula óssea são compromissos que assumi movidos por um desejo profundo de ajudar o próximo. Ajudar o próximo me faz feliz”.

Paula e Lorenzo estão entre as pessoas que contribuíram para o aumento das doações neste ano. Segundo o Ministério da Saúde, as taxas de doação de sangue no Brasil cresceram em 2023. Entre janeiro e setembro de 2022, foram coletadas 2.340.048 bolsas de sangue (com 450 a 500ml cada). Este ano, no mesmo período, a coleta ficou em 2.452.425, o que representa aumento de 112.377 bolsas. Cada doação pode ajudar a salvar até quatro vidas.

Para os menores de 18 anos, é necessário autorização do responsável legal. Entre 60 e 69 anos, a pessoa só poderá doar se já o tiver feito antes dos 60 anos. Os homens podem doar a cada dois meses e, no máximo, quatro doações ao ano. Mulheres podem doar a cada três meses, com no máximo três doações anuais.

No dia da doação não é necessário jejum. O doador precisa fazer um repouso mínimo de seis horas na noite anterior à doação, não ingerir bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores, evitar fumar por pelo menos duas horas antes e depois da doação e evitar ingerir alimentos gordurosos.

Veja a lista de hemocentros. https://www.gov.br/saude/pt-br/composicao/saes/sangue/arquivos/lista-de-hemocentros.pdf

Da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República

Notícias relacionadas

Se inscreva
Notificação de
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments