Greve das escolas e faculdades técnicas recebe apoio na Câmara de Itapeva

Subscrita por diversos vereadores foi aprovada na Câmara de Itapeva (foto),  Moção de Apoio à greve dos trabalhadores das  Escolas Técnicas (ETECs) e das Faculdades de Tecnologia (FATECs), do Centro Estadual de Educação Tecnológica "Paula Souza", os…

quais reivindicam e lutam por melhorias salariais. 
Cópia da mOção foi encaminhada ao  SINTEPS, para a Superintendência do CEETEPS,  Secretaria de Estado do  Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia e para o Governador  Geraldo Alckmin.

Os professores e funcionários das Escolas Técnicas (ETECs) e das Faculdades de Tecnologia (FATECs) do Centro Estadual de Educação tecnológica "Paula Souza" (CEETEPS) iniciaram, no dia 13 de maio de 2011, a greve geral por tempo indeterminado.
 

Os motivos que levaram os trabalhadores a deliberar pela greve geral na assembléia do dia 10 de maio de 2011 foi a total ausência de diálogo com o governo estadual, seja através da Superintendência do CEETEPS, da Secretaria de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia ou do próprio Governador Geraldo Alckmin.

Apesar da imensa propaganda que o governo faz das ETECs e FATECs, os salários dos profissionais estão completamente defasados da realidade nacional; não há benefícios, como vale alimentação e vale transporte, para todos os trabalhadores; a legislação de Medicina e Segurança do Trabalho não é cumprida.

A política salarial dos professores e funcionários do CEETEPS não é cumprida desde 1996 e, apesar dos ganhos judiciais dos trabalhadores, o governo faz ouvidos moucos e ignora o direito ao reajuste salarial anual pelo índice estabelecido pelo Conselho dos Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (CRUESP). Assim, as  perdas salariais já ultrapassam a casa dos 58% para os professores e 71% para os funcionários até a Data Base de 2010.
Desde 2006 a categoria está sem reajuste salarial e sem diálogo com o governo, que ignora aos inúmeros pedidos oficiais do sindicato para a exposição das reivindicações justificadas dos trabalhadores. Com o novo governo, novamente nenhuma sinalização de diálogo. 

Os trabalhadores em greve já contam com o apoio de muitos de seus alunos, que vivenciam os problemas da Instituição e sofrem com a evasão de professores e funcionários, provocada pelos baixíssimos salários praticados no CEETEPS: R$ 10,00 a hora dos professores das escolas técnicas; R$ 18,00 a hora aula dos professores das FATECS e R$ 510,00 o piso dos funcionários mensalistas. 

O reajuste salarial de 11%, a vigorar em 1º de julho, para pagamento em agosto, anunciado pelo governador, dentro deste quadro de arrocho, foi entendido pela categoria como uma afronta. Os indicadores educacionais das ETECs e FATECs mostram o compromisso dos professores e funcionários com a sociedade paulista. Estes profissionais esperavam respeito pelo seu trabalho. (Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal de Itapeva).
 

 

Compartilhar

Notícias relacionadas