HC Unesp/Botucatu poderá pertencer diretamente à Secretaria de Saúde do Estado SP

A proposta de autarquização do Hospital das Clínicas (HC), vinculado à Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB) e que atualmente é uma unidade auxiliar da Unesp, foi votada pela Congregação da FMB hoje, 7 de agosto. A vinculação do hospital à Secretaria de Estado da Saúde foi aprovada pela maioria dos integrantes do órgão colegiado, embora seis pessoas, entre eles representantes dos alunos e dos servidores, tenham optado pela abstenção. Agora, o projeto segue para apreciação do Conselho Universitário (CO) da Unesp.

Membros da Congregação da FMB/Unesp/Botucatu

O diretor da Faculdade de Medicina, professor Sérgio Müller; o superintendente do HC, professor Emílio Curcelli e o presidente da Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar (Famesp), professor Pasqual Barretti defenderam a proposta durante a reunião ordinária da Congregação, argumentando que seria a alternativa mais viável para que o Hospital das Clínicas passe a ser custeado de maneira satisfatória e volte a se desenvolver. O encontro foi transmitido em tempo real pela internet.

Professor Sérgio fez um breve histórico de como o assunto vem sendo conduzido, desde que ele assumiu o comando da FMB, em 2007. Ele chegou a salientar que o secretário de Estado da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata já declarou querer o HC ligado à sua pasta para que seja possível melhorar a situação de custeio da unidade. O diretor da Faculdade de Medicina ainda lembrou que duas outras reuniões extraordinárias e abertas da Congregação foram realizadas para discutir o tema. (Confira detalhes sobre os encontros nos links a seguir: http://www.fmb.unesp.br/noticia_detalhes.php?vID=835   

http://www.fmb.unesp.br/noticia_detalhes.php?vID=926).

O superintendente do HC, professor Curcelli, afirmou que a Unesp já não consegue mais fazer com que o hospital cresça e frisou sua preocupação com o fato de as áreas de ensino, pesquisa e extensão serem prejudicadas por competirem entre si devido à falta de verbas. “A Secretaria de Estado da Saúde já disse que por ela está tudo certo. Além disso, consta na proposta que a Famesp continuaria sendo a interveniente do convênio e o subquadro de funcionários da fundação seriam absorvidos”, colocou. “Caso a Unesp não queira que o HC se desvincule, terá que apresentar uma proposta factível e imediata. Atualmente, não conseguimos crescer e estamos regredindo”, avaliou.

Luiz Carlos Freitas, presidente do Sintunesp (Sindicato dos Trabalhadores da Unesp), indagou os gestores do HC, FMB e Famesp sobre a possibilidade de, ao invés de autarquizar o hospital, buscar recursos junto ao Governo do Estado – o que seria a chamada gestão híbrida (entre Unesp e Estado). Professor Sérgio Müller respondeu dizendo que a Secretaria de Estado da Saúde já destina recursos ao HC – que também recebe verbas do SUS (Sistema Único de Saúde) – mas não é suficiente para manter sua estrutura. O valor necessário para custear integralmente a unidade seriam R$ 50 milhões por ano.

Giovana Biguim, representante dos alunos na Congregação, justificou que os estudantes se absteram de votar a proposta, pois não tiveram tempo de deliberar sobre o assunto. Um dos empecilhos foi o adiamento da volta às aulas, por precaução à nova gripe. “Como não foi possível remarcar essa reunião da Congregação e nós não conseguimos nos reunir para discutir o tema, achamos melhor nos abster”, explicou.

 

 

Compartilhar

Notícias relacionadas