HC/Unesp inaugura nova enfermaria para pacientes que eram atendidos no PS

A Superintendência do Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) e sua Diretoria Clínica inauguraram, dia 20 de agosto, uma nova enfermaria de Clínica Médica II. São 18 leitos – com projeção de chegarem a 22 – que servirão de retaguarda para receberem pacientes da clínica geral, além daqueles que necessitarem de atendimento reumatológico, pneumológico e endocrinológico.



Essa nova estrutura, associada a ampliação do número de leitos para pacientes da neurocirurgia e neuroclínica – previsto para as próximas semanas – será possível o fechamento da antiga enfermaria do PS. Os profissionais que atuavam no local serão transferidos para a enfermaria inaugurada.

Professor Emílio Carlos Curcelli, superintendente do HC, enfatizou na oportunidade que sua equipe tem se esforçado diariamente para proporcionar as condições adequadas para o atendimento aos pacientes. “E essa enfermaria reformada é a prova de que estamos avançando. Ainda não é o ideal, não temos o número necessário de funcionário, mas já melhoramos a estrutura física”, destacou.

O gestor afirmou ainda que se esforça sempre para entender as dificuldades do cotidiano do hospital e disse ficar satisfeito por, mesmo com várias dificuldades, os funcionários não desanimarem e continuarem oferecendo uma assistência de qualidade. “Hoje temos um corpo clínico dedicado e preparado para oferecer uma assistência de qualidade”, reforçou.

Dr. André Luis Balbi, diretor clínico do HC, agradeceu o empenho dos funcionários que atuam na enfermaria por sua compreensão com as deficiências e disponibilidade de se unirem à Direção na busca por melhorias. “Hoje temos uma sintonia bastante positiva. Aprendemos com as dificuldades. Se o pessoal dessa enfermaria não tivesse aderido e colaborado, essa inauguração não estaria acontecendo”, comentou.

A diretora da Divisão Técnica de Enfermagem do HC, enfermeira Andréia Zamberlan, valorizou o fato de os funcionários da enfermaria terem a oportunidade trabalhar em um novo ambiente, conhecerem outras pessoas e tudo sem resistência às mudanças. “Esse comprometimento foi muito interessante. Há três anos sonhávamos em trazer os pacientes do PS para essa nova estrutura”, observou. (Leandro Rocha, da Assessoria de Comunicação e Imprensa da FMB e HC/Unesp)

Compartilhar

Notícias relacionadas