Itaporanga e região passam a contar com jornal na net

A partir deste sábado, 25, Itaporanga e municípios vizinhos passam a contar com este jornal online. Um dos fatos a serem noticiados é a presença do padre Zézinho, que além de sacerdote é um cantor renomado. Ás 19h de hoje ele celebra missa na Basílica de São João Batista. Amanhã( 26) a partir das 19h ele fará show no Recinto de Festas da cidade. Leia a biografia do religioso cantor.

José Fernandes de Oliveira, o Pe. Zezinho, scj, começou a compor em 1964 e seu projeto inicial era de fazer apenas algumas canções para a sua paróquia. Depois de 35 anos cantando ele se vê autor de 1.500 canções para a igreja do mundo inteiro, traduzidas em cinco línguas e divulgadas em 40 países. Já gravou mais de 98 discos e CDs. Os shows deste sacerdote-cantor arrastam uma média de 15 a 40 mil ouvintes. Calcula-se que mais de 120 milhões de brasileiros conhecem suas músicas, entre elas: “Oração pela Família”, “Um Certo Galileu”, “Vocação” e “Maria de Nazaré”. O CD Sol Nascente, Sol Poente, que traz a gravação da música “Oração pela Família”, chegou a vender um milhão de cópias.

Certamente o projeto inicial de Pe. Zezinho, scj saiu maior que a encomenda. Ele diz que vê o dedo de Deus nisso, porque jamais sonharia que tudo isso poderia acontecer.

“Esses 35 anos cantando a fé foram uma escola de aprendizado permanente. Quando eu comecei, fui alvo de todas as críticas possíveis e imagináveis da igreja conservadora e da progressista, pois cada um queria que eu cantasse do seu jeito e eu insistia em cantar do meu jeito. Agora todos aceitam minhas canções e consegui abrir caminho para muitas pessoas. Por isso, hoje a música religiosa é aceita como um serviço. Naquele tempo era vista como uma vaidade pessoal de um padre metido a galã. Mudou muita coisa de lá para cá. De repente o meu martírio ajudou muita gente a descobrir a canção como algo que não é tudo, mas que faz um grande bem para a igreja”.

Logo no início de sua carreira de cantor, tornou-se um missionário dos jovens, com canções intimistas que penetravam no interior da juventude e os ajudavam a encontrar respostas. Suas letras aos poucos foram se tornando mais pastorais e mais catequéticas, com o intuito de evangelizar as novas gerações. Depois os pais começaram a se queixar que o Pe. Zezinho, scj só fazia músicas e shows para os filhos deles e nunca para eles. Assim ele começou a se dedicar a pastoral de massas e a desenvolver cada vez mais o tema: “família”, em seus trabalhos. “Eu sei que Deus me colocou como fermento na massa e que Ele pensa no mundo. E eu quero ajudar o mundo a pensar em Deus. Por isso significativamente o meu LP se chamou Estou Pensando em Deus. Eu continuo pensando em Deus e querendo que o mundo pense nele. Nesses 35 anos não mudei de propósito. Eu canto para fazer o povo pensar no céu”.

O fruto desse trabalho pioneiro de Pe. Zezinho, scj é o fato de ter começado praticamente sozinho na música religiosa, e hoje existem quase duas mil e quinhentas bandas católicas. São mais de 30.000 cantores e cantoras liderando o povo nas missas e certamente uma produção de mais de 500 CD s religiosos por ano nas gravadoras e em produções independentes. Hoje aquela teimosia do começo se multiplicou em espetáculos, shows, vídeos e a profissionalização da música na Igreja. Seguramente, mais de 500 cantores vivem da música religiosa no Brasil. A música serviu como um instrumento de diálogo entre as igrejas; além de despertar muitas vocações para a vida religiosa e para a vida matrimonial.

Compartilhar

Notícias relacionadas