Jovem que pretendia suicidar pulando de torre de telecomunicações é resgatado por bombeiros

Trata-se de um caso de problema de saúde mental, mas que terminou bem depois de mais de duas horas de tentativas e angústias – Faltando pouco para as 17h desta sexta-feira (24), um jovem de 17 anos, boa pessoa, estimado por todos, ligado à igreja, coroinha e de boa família, acessou a área da empresa de telecomunicações em Itaporanga, onde existem duas torres e o prédio da central, e subiu até o topo da torre mais alta, 60 metros de altura,  e aparentando não estar bem emocionalmente ameaçava suicidar, se jogando ao solo.

O fato correu rápido na cidade e aglomerações de pessoas começam a se formar no entorno das torres, na avenida Santa Cruz, imediações do Fórum e Hospital

Essa situação movimentou inicialmente as polícias Militar de Itaporanga com Loureiro e Lara, e de Taquarituba, com Tonon e Barros, a Polícia Civil, SAMU, cabo PM Gilberto Galvão, do Corpo de Bombeiros, e o Conselho Tutelar, que rapidamente foi buscar os pais e familiares do jovem para tentarem convencê-lo a descer, mas ele estava irredutível e dizia que se tentassem subir para pegá-lo, se jogaria.

A partir de então, o cabo Gilberto Bombeiro e o cabo PM Loureiro, um pastor, o padre Roberto, amigos e familiares, mãe e tias (desesperadas), primos e demais conhecidos se revezavam no microfone do SAMU, conversando e implorando para que ele descesse. Por causa da altura que ele estava a comunicação era difícil. As partes quase não se ouviam.

Por pelo menos três vezes ele demonstrava que iria descer, mas com a condição que as viaturas da Polícia e do SAMU mantivessem as sirenes ligadas. E começava a descer uns 8 ou 10 metros, mas logo parava e retornava ao topo.

De vez em quando, irresponsáveis no meio da multidão gritavam “Pula!”, o que só fazia aumentar o sofrimento da mãe e familiares, que juntos rezavam de mãos dadas.

O Corpo de Bombeiros, base de Itaí, a 59 quilômetros é solicitado e em uma hora aproximadamente chega no local com a viatura caminhão trazendo a equipe composta pelos PMs bombeiros Crispim, Lofiego e André Santos.

O jovem concorda que o bombeiro Crispim suba até o topo da outra torre ao lado, mais baixa, para conversar. Em cerca de meia-hora de conversa o bombeiro Crispim o convence e entra em cena o bombeiro André Santos que sobe na torre onde ele está, tendo já descido alguns metros.

André dá continuidade na conversa com o jovem, passando calma e tranquilidade. Convence-o que é necessário colocar o equipamento de rapel para, mesmo dentro da escada da torre, descer com segurança. “Não foi fácil. Na escada eu estava abaixo dele e tinha receio que ele voltasse a subir novamente. Só depois que consegui ficar acima é que fiquei mais tranquilo”, contou André.

Crispim desce da outra torre e sobe para ajudar André que está descendo com o jovem que fica no meio dos dois na escada. Lentamente, mas com segurança iniciam a descida e logo estão próximos da base da torre onde a equipe do SAMU composta por Nilton e Guilherme, aguarda com maca para leva-lo ao Hospital e Maternidade Nossa Senhora das Graças.

O jovem estava bem debilitado, possivelmente desidratado por ficar mais de duas horas sem camisa sob sol forte, que foi preciso carrega-lo para a maca e tudo terminou bem, graças ao profissionalismo, habilidade e serenidade dos envolvidos no resgate, os policias militares, civis, os bombeiros e a equipe do SAMU.

O Conselho Tutelar reuniu-se com familiares e ficou sabendo que o rapaz já teve crises anteriores iguais a essa, mas que está em tratamento e acompanhamento médico. Acompanhe a sequência do fato em imagens.

Compartilhar

Notícias relacionadas