Medicina/Unesp tem 3 projetos aprovados pelo Programa PET-Saúde Vigilância

O programa envolve estudantes de graduação, professores e profissionais de saúde que atuam no SUS. A ideia é estimular e conhecer a prática profissional nos serviços da rede pública, além da produção de pesquisas em temas relevantes para a saúde do brasileiro. Foto Profa.Dra. Silvana Artioli Schellini, vice-diretora da FMB/Unesp. A Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) teve três de seus projetos aprovados pare receberem recursos do Programa PET-Saúde/Vigilância, iniciativa dos Ministérios da Saúde e Educação. O coordenador do Projeto na FMB é o professor Carlos Macharelli, do Departamento de Saúde Pública.
 
Alunos de 1º, 2º e 3º anos dos cursos de Medicina e Enfermagem e alunos do Instituto de Biociências serão convidados a participar do projeto que oferecerá bolsas de estudo. Eles serão treinados com foco no atendimento de doenças que necessitem de vigilância epidemiológica.

Os trabalhos escolhidos foram: “Vigilância em Saúde Materno Infantil no Município de Botucatu/ SP: integrando academia, serviços e comunidade”, de autoria da professora Cristina Maria Garcia de Lima Parada, do Departamento de Enfermagem da FMB; “Dengue: prevenção e controle através de ações intra e intersetoriais”, do professor Paulo Eduardo Martins Ribolla e “O Tracoma no Município de Botucatu, Estado de São Paulo – medidas de detecção, educação em saúde, prevenção e tratamento”, da professora e vice-diretora da instituição, Silvana Artioli Schellini.

Cada grupo que desenvolverá os projetos será formado por um tutor acadêmico, dois preceptores responsáveis pelo aprendizado em serviço e oito estudantes. No campus da Unesp em Botucatu, os trabalhos da FMB serão desenvolvidos em parceria com o Instituto de Biociências e Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia.

Segundo professora Silvana, a FMB deve reapresentar, em 2011, os 22 projetos que concorreram às bolsas do PET-Saúde Vigilância. Ela diz acreditar que mais trabalhos serão escolhidos, devido à qualidade das propostas. “Temos estudos em várias linhas, envolvendo saúde infantil, de adultos, de idosos e de doenças infecto-contagiosas. Esse ano é a primeira vez que o Ministério lança esta oportunidade.Tenho certeza que mais trabalhos serão contemplados  no ano que vem”, avalia.
Leandro Rocha, da Assessoria de Comunicação e Imprensa da FMB/HC/Unesp.
 

Devido ao grande interesse das instituições de ensino, o investimento no programa pelo Ministério da Saúde, que era inicialmente de R$ 4 milhões, subiu para R$ 8 milhões. Ao todo, foram selecionados 70 dos 120 projetos apresentados. Serão beneficiados 1.342 estudantes, professores e profissionais. As propostas selecionadas serão executadas neste ano e em 2011.

 

O programa envolve estudantes de graduação, professores e profissionais de saúde que atuam no Sistema Único de Saúde (SUS). A idéia é estimular e conhecer a prática profissional nos serviços da rede pública, além da produção de pesquisas em temas relevantes para a saúde do brasileiro. Nessa edição, foram priorizados os temas com foco em Vigilância em Saúde, tais como perfil da população local relativo aos nascimentos, adoecimentos e mortes; análises do perfil de ocorrência de doenças transmissíveis e de agravos a saúde e análise dos riscos ambientais a saúde e qualidade de vida da população.

 

 Programa

 

         O PET-Saúde é uma parceria entre ministérios da Saúde e Educação e tem o objetivo de aprofundar e ampliar a integração ensino-serviço no SUS. O Programa serve como instrumento para qualificar profissionais de saúde, em serviço, além de incentivar os estudantes na iniciação do trabalho, vivência, e desenvolvimento de pesquisas a partir das necessidades dos serviços de saúde.

 

 

Compartilhar

Notícias relacionadas