Morte na estrada: colisão de veículos perto de Riversul faz uma vítima fatal

Por volta das 17h25 deste sábado, 9, dois veículos – um VW Gol e um Fiat Siena –  se chocaram frontalmente em uma curva no Km 38,3 da SP 281, Rodovia Aparício Bíglia Filho, perto da Usina de Álcool, em Riversul. Duas mulheres, mãe e filha foram socorridas em estado grave no Hospital de Itaporanga, mas a mãe não resistiu e acabou falecendo durante cirurgia. A filha segue internada.

 

O Gol era conduzido por Edmar Aparecido Camargo,24, de Barão de Antonina, que trafegava sozinho sentido Itararé/Itaporanga, e o Siena seguia para Itararé e era conduzido por Ieda Machado dos Santos, 29, que estava acompanhada da mãe, Judith Machado dos Santos,56. Ambas de Itaporanga mas residindo atualmente em Itapetininga. Judith foi funcionária do Foro.

Elas vieram de Itapetininga para visitar familiares em Itaporanga e seguiam para Itararé para visitar outra filha e irmã.

De acordo com José Orlando de Melo, que vinha atrás do Gol e que ajudou no socorro, instantes antes o Gol o ultrapassou em alta velocidade e em seguida ocorreu a forte colisão na curva. “As ocupantes do Siena ficaram presas e logo a frente do veículo começou a soltar fumaça. Passamos por grande desespero para as retirarmos do carro e ao mesmo tempo para apagar o princípio de incêndio, que foi feito com extintores de outros veículos que chegavam ao local. Moradores das casas próximas ouviram o barulho da batida e logo correram para ajudar. Alguns motoristas que chagavam diziam para sairmos porque o carro poderia explodir. Dissemos que primeiro teríamos de retirar as mulheres”, contou.

“ Primeiro retiramos a motorista Ieda, pelo vidro. Ela lembrou que a sua mãe era cadeirante e que a cadeira estava no porta-malas. Tivemos dificuldade, pois não conseguíamos abrir o porta-malas para retirar a cadeira. Pelo celular minha esposa avisou a Polícia Militar de Riversul, e relatou a gravidade do fato. Em cerca de 10 minutos chegaram os PMs e a ambulância para o socorro”

A porta do Gol também ficou danificada, mas seu condutor saiu sozinho e aparentava estar meio embriagado. “Perguntei se ele estava bem, ele disse que estava mais ou menos e se dirigiu para atrás do seu carro e se deitou no chão”, segundo a testemunha.

Depois de velado o corpo de Judith foi sepultado, com grande acompanhamento no final da tarde deste domingo,10, no Cemitério de Itaporanga. Ieda continua internada no Hospital de Itaporanga, mas, de acordo com familiares, poderá ser removida para alguma unidade de saúde de Itapetininga, onde reside.  

 

 

Compartilhar

Notícias relacionadas