Parado há mais de um ano, SAMU de Itaí será reativado

Secretária Tamara e o prefeito Valmir Domingo Foto enviada pela Saúde (jornalopiniao.com) Depois de um ano e quase três meses inativo, o SAMU – Serviço de Atendimento Médico de Urgência –  do município de Itaí será reativado. Ele foi suspenso em dezembro de 2012, ainda na gestão do ex-prefeito Luis Carlos Paschoal, que havia sido reeleito

e depois cassado por irregularidades de campanha eleitoral, segundo o TRE/SP. A então prefeita-interina, Célia Sakamoto que o sucedeu a partir de janeiro de 2013, também não deu continuidade para reativação.

Itaí é cortada pela movimentada SP-255 e os casos de acidentes graves são freqüentes na rodovia principalmente no trecho do município.

De acordo com a secretária de Saúde do município, Tamara de Queiroz Vieira, isso tem sido uma luta da equipe da atual administração, principalmente do prefeito Valmir Domingos, que após vencer a eleição suplementar em agosto, assumiu em 8 de setembro de 2013 e destacou isso como uma das suas principais prioridades. “Desde então o prefeito Valmir vem trabalhando para reativar o serviço, que ele considera de extrema importância e necessidade para o município, tanto para atendimentos dos casos de emergências da cidade quanto os da extensa zona rural (o município é um dos maiores do Estado de São Paulo), mas, principalmente para os atendimentos dos casos na rodovia. O prefeito estava incomodado com essa situação. Para ele, não fazia sentido o nosso município não oferecer esse serviço tão importante”, comentou Tamara.

Segundo ainda ela,  a modelo que  existia até o final de 2012 era o avançado, mas o que está sendo implantado agora é o modelo básico, devido a dificuldade de contratação de médicos.

A diferença entre o avançado e o básico é que no primeiro a unidade de resgate é melhor equipada, e sai para os atendimentos com o motorista socorrista e uma técnica em enfermagem treinados, e com a presença de um médico, medicamentos e aparelhos para estabilização da vítima na própria unidade.

Já o básico conta com boa parte do primeiro, ou seja, com os essenciais, menos a presença do médico.

A secretária Tamara informou que como se trata de um convênio com o Ministério da Saúde, há um certo tempo para tramitação do projeto, com análises, vistorias e aprovações, mas que todas as etapas já foram cumpridas e aprovadas. “Na próxima semana iniciaremos os treinamentos dos onze integrantes da equipe – 5 motoristas-socorristas, 5 técnicos de enfermagem e 1 enfermeira padrão – e após isso o serviço estará ativado”, finalizou.

Foto enviada pela Saúde (jornalopiniao.com)Secretária Tamara e o prefeito Valmir Domingo

Compartilhar

Notícias relacionadas