Pela prevenção ao câncer de mama e colo do útero, Itaporanga realiza 3ª Caminhada do Outubro Rosa

 

Do dia 23 a 27/10, todas as unidades de Saúde farão testes Papanicolau e solicitação de mamografias – Com presenças de algumas das vitoriosas itaporanguenses na luta contra o câncer, foi realizada na manhã deste sábado(21), a 3ª Caminhada do Outubro Rosa, com objetivo de divulgar e alertar a todos sobre a necessidade de cuidados preventivos ao câncer de mama e colo do útero. Homens, em menor quantidade, menos de 1% também podem ter câncer de mama.

Essa caminhada teve início na Praça Frei Arnaldo Maria de Itaporanga (Bom Jesus), desceu para a Rua Dr. Felipe Vita, seguiu até a Aparício Fiuza de Carvalho, depois Rua Monte Falco, 7 de Setembro, São João, terminando na Praça João Abdalah.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Mastologia, o segundo tipo de câncer mais frequente no mundo, o câncer de mama é o mais comum entre as mulheres, respondendo por 22% dos casos novos a cada ano.

No ano de 2010 ocorreram 49.240 novos casos decâncer de mama no Brasil, sendo superado apenas pelo câncer de pele. No ano de 2008 , 11.860 mulheres morreram por causa do câncer de mama e 125 homens também morreram por câncer de mama(www.inca.gov.br).

O câncer de mama no homem é raro e representa menos de 1% dos casos, e o principal sintomas é um nódulo endurecido atrás do “bico” do peito , principalmente em pacientes acima de 50 anos de idade.

Existem diferenças nas taxas de incidência da doença entre as regiões do Brasil. A maior incidência ocorre na região sudeste. A medida utilizada para quantificar esta incidência chama-se taxa bruta , que corresponde ao número de casos para cada 100mil mulheres.

Na região sudeste esta taxa é de 64.54 casos/100mil mulheres , região sul 64.3/100mil mulheres, região centro-oeste 37,68/100mil mulheres, região nordeste 30,11/100mil mulheres e região norte com a menor incidência 16,62/100mil mulheres.

Estas diferenças provavelmente são decorrentes do fato já conhecida de quanto maior o desenvolvimento da região maior a incidência de câncer de mama. Isto reflete uma sociedade mais industrializada com consumo cada vez maior de uma alimentação inadequada, excesso de peso e talvez estresse.

Com a realização cada vez mais freqüente da mamografia tem-se diagnosticado o câncer de mama no Brasil em fases mais precoces o que aumenta as chances de cura. Hoje a maioria dos casos diagnosticados no Brasil não são mais em fases avançadas. Mas precisamos melhorar ainda mais, e isto será alcançado quando todas as mulheres tiverem acesso a mamografia de qualidade uma vez ao ano a partir do 40 anos de idade.

Compartilhar

Notícias relacionadas