Prefeito de Coronel Macedo: 4 pedidos ao ministro Kassab, nova ambulância e viagem a Brasília

Mais de R$ 700 mil em Brasília – O prefeito de Coronel Macedo Edivaldo Neres informou nesta quinta-feira (05), que junto com o jurídico da Prefeitura viaja a Brasília neste domingo para na próxima semana tratar, junto ao Governo Federal, da formalização e recebimento para o município, de um recurso de mais de R$ 700 mil, que eram para ser liberados no último período em que seu pai, José Neres de Meira, foi prefeito.
José Neres exerceu três mandatos como prefeito de Coronel Macedo: de 1983 a 1988, de 1993 a 1996 e de 2001 a 2004.

Ainda em Brasília, além desse caso de liberação de recursos, o prefeito levará documentos ao Ministério da Previdência Social, relacionados ao sistema previdenciário do município, para obtenção da Certidão de Regularidade Previdenciária – CRP, para fins de assinatura de convênios, decorrentes de liberação de emendas e recursos públicos de outros órgãos.

4 reivindicações ao ministro Kassab – No encontro que teve com o ministro das Cidades, Gilberto Kassab em Paranapanema no dia 24 de janeiro, Edivado Neres apresentou quatro reinvindicações ao ministro:

1 – Um caminhão basculante para serviços gerais no município;

2 – Um caminhão caçamba para coleta e transporte de entulhos;

3 – Recursos de R$ 160 mil para construção de mais quatro novas praças no município;

4 – Para o Bairro São Bernardo, recursos de R$ 260 mil para pavimentação com lajotas, das ruas que ainda não receberam o calçamento no Bairro São Bernardo, na zona rural do município. “Expliquei ao ministro Kassab que com este recurso será possível deixar Coronel Macedo com quase que 100% de suas ruas e vias públicas pavimentadas”, disse o prefeito Edivaldo.

Nova ambulância – Na tarde desta quinta-feira (05) o prefeito entregou à população uma ambulância Fiat Ducato, conseguida do Governo Paulista através da Secretaria Estadual de Saúde, no valor de R$ 102.500,00, sem contrapartida. “Esse veículo vai nos auxiliar muito no setor de Saúde, nos casos e necessidades de remoção de pacientes”, finalizou ele.

Compartilhar

Notícias relacionadas