Presidente da Câmara de Botucatu vai a São Paulo para tentar viabilizar sede para o IML

Na terça-feira (14), o presidente da Câmara Municipal de Botucatu, vereador Curumim (PSDB), viajou a São Paulo para tentar viabilizar a construção da nova sede do Instituto Médico Legal (IML) na Cidade. Para isso, o parlamentar agendou uma reunião diretamente com o superintendente da Polícia Técnica Científica de São Paulo, Celso Perioli, junto a outras lideranças e profissionais da área.


Segundo Curumim, trata-se de um tema de extrema importância para a população botucatuense. “Se for proporcionada à Polícia Técnica uma boa infraestrutura e condições para trabalhar, quem sairá ganhando será a própria comunidade”, destaca. “Isso porque, a qualidade e a velocidade do trabalho da Polícia representam um melhor atendimento aos cidadãos”, ressalta.

De acordo com o parlamentar, após as deliberações da reunião, ficou acordado que cabe ao Município elaborar um projeto completo sobre a futura sede do Instituto. “Com esse projeto em mãos, teremos de agendar nova reunião com a Assessoria da Superintendência da Polícia Técnica Científica de São Paulo”, explica.

Conforme estimativa delineada durante o encontro, a futura sede do IML em Botucatu custará aproximadamente R$ 1,5 milhão. “O valor, aparentemente, é alto. Porém, temos que pensar que essa obra irá beneficiar 13 cidades da região de Botucatu”, avalia Curumim.

O projeto da futura sede deverá ser entregue ao Governo do Estado e aguardar aprovação. “Isso vai depender do orçamento do próprio Governo. Por isso, temos de nos unir em torno dessa causa e compor um coletivo representativo que possa convencer as autoridades competentes da relevância da iniciativa”, finaliza o presidente da Câmara Municipal de Botucatu, vereador Curumim (PSDB).

Também participaram do encontro: Luiz Nelson Duarte de Carvalho, chefe dos peritos criminais de Botucatu; Valdeci Biondo, perito criminal; Marcio Machado, assessor do Deputado Estadual Milton Flávio (PSDB); Noé Luiz Mendes de Marchi, médico legista; José Bendito de Oliveira Lima, auxiliar de necrópcia; Luis Augusto Rossanezi, atendente de necrotério; Cris Martineli, assessora da Superintendência da Polícia Técnica; e Dr. Jorge Pereira de Oliveira, diretor do Centro de perícia de São Paulo. (Da Assessoria de Imprensa/Câmara Municipal de Botucatu)

Compartilhar

Notícias relacionadas