Série TV: diretor inicia filmagens de Os Povos da Cuesta

Vencedor de um festival em Nova York, o diretor Luiz Carlos Lucena, autor do documentário Carnaval em Lá Menor, sobre a arte e a vida das crianças nas escolas de samba, inicia no dia 28 na cidade de Pardinho-SP, as filmagens para a série de TV Os Povos da Cuesta, destacando a rica cultura caipira da nossa região. As primeiras tomadas serão para a Cavalgada do Ferreirinha, em homenagem ao pesonagem de uma das músicas mais conhecidas da dupla Tião Carreiro e Pardinho.

Lucena que acaba de ganhar um festival em Nova York, está em pré-produção para gravar a série de documentários Os Povos da Cuesta, que vai falar sobre nossa região desconhecida, a nossa cultura caipira e seus moradores.

A série já tem exibição garantida em um canal de TV e também será montada em formato de longa metragem, com avant première que está sendo discutida com a secretaria de cultura de Botucatu para acontecer no Teatro Municipal e nas outras cidades da Cuesta que estão apoiando o projeto.

As filmagens estão previstas para o próximo verão, mas o diretor e sua equipe já estarão colhendo as primeiras imagens para o filme no próximo dia 28, quando gravam a Cavalgada do Ferreirinha, em Pardinho, a homenagem ao personagem de uma das músicas mais conhecidas da dupla Tião Carreiro e Pardinho. Lucena já tem também imagens inéditas de uma longa entrevista realizada com Tinoco, antes do parceiro de Tonico da dupla famosa falecer em maio de 2012.

O objetivo do diretor é retomar suas memórias de infância no interior paulista e retratar a história geomorfológica e cultural da Cuesta de Botucatu, mostrar a riqueza da sua natureza e principalmente, as histórias dos caipiras, seus costumes, a culinária e as tradições.

“Eu fiquei apaixonado pela Cuesta desde que andei por lá há uns três anos. Conheci muita gente interessante, cheguei ao pé das Três Pedras e quero mostrar para o Brasil e para o mundo a riqueza desse povo e a beleza e as diferenças dessa terra e dessas formações criadas pelo tempo. Vamos contar a história da Cuesta desde que aqui era um deserto até a entrada dos bandeirantes, mostrar como evoluiu a cultura caipira, os caipiras e neocaipiras de hoje, esses meninos maravilhosos que mantêm a tradição antenados com a internet”, afirma.

Campanha na internet
O filme não tem financiamento público, será realizado através de apoio de amigos, parcerias com prefeituras e para fechar o orçamento Lucena acaba de lançar uma campanha de financiamento coletivo pela internet (crowdfunding), onde as pessoas podem contribuir a partir de 20 reais e reservar e receber recompensas, como o DVD com os cinco filmes da série, camisetas, o nome no filme e mesmo ter o nome como co-produtor.
Para pequenas empresas é uma forma de levar a sua marca para a TV a custo muito acessível.
“Gostaria de contar com apoio do povo e de empresas de Botucatu, Pardinho, Itatinga, Bofete e das outras cidades da Cuesta para poder finalizar o filme de forma bonita e que represente realmente o que a região e os seus moradores merecem”, diz o diretor.
Para contribuir com o filme, basta acessar o link abaixo, ler sobre o projeto e ver com quanto quer contribuir (pode pagar no cartão em até seis vezes) e qual a recompensa que quer receber.
lucena25.blogspot.com ou no link direto http://migre.me/lwGXF

Diretor Luiz Carlos Lucena
Diretor Luiz Carlos Lucena

Luiz Carlos Lucena – Formado em jornalismo pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), Luiz Carlos Lucena é mestre em Audiovisual pela mesma universidade. Documentarista, roteirista premiado e escritor, é professor titular das disciplinas da área de Audiovisual na Universidade Estácio-SP. Tem artigos publicados em jornais e revistas do Brasil e do exterior. Em 2006, ganhou o prêmio da Secretaria de Estado da Cultura com o romance Fogo cruzado. Publicou no ano seguinte um ensaio sobre sua dissertação de mestrado, Nem tudo é verdade – A produção do real no documentário contemporâneo.

Compartilhar

Notícias relacionadas