Universitários do Projeto Rodon em atividades em Itapeva

Alunos do Projeto com o coordenador AntonioCpacitação dos Conselheiros MunicipaisAs ações do Projeto Rondon já começaram em Itapeva. O trabalho está sendo desenvolvido no Distrito da Areia Branca, onde cerca de 30 pessoas, entre alunos, professores e coordenadores do projeto, instalados no Bairro

São Roque. O grupo pertence a três universidades, de diversos cursos. De acordo com o secretário municipal da Saúde, Marco André d’Oliveira, o projeto vem integrar ainda mais a zona rural ao município, dando qualidade de vida ao homem do campo. “O objetivo do Projeto Rondon é inserir políticas públicas no município, de acordo com a pesquisa realizada por eles na última visita a Itapeva. O grupo tem condições de identificar os problemas do município, e principalmente da zona rural, e nos apontar as maiores necessidades”, conta.

O coordenador estadual do Projeto, Antonio BongiovanniPara o coordenador do projeto, no estado de São Paulo, Antonio José Fontoura Bongiovanni, as necessidades aparecem também durante a atuação do grupo, trazendo informação e resultado. “Baseado nos resultados, trouxemos a Itapeva alguns projetos necessários, mas convivendo na comunidade percebemos que outras áreas podem ser exploradas, como a culinária e o artesanato típicos da região”, explica. “Fomos muito bem recebidos pelos moradores, e essa troca de experiências é muito válida para os alunos”, conclui o coordenador.

CapacitaçãoDentre as atividades trazidas para a Areia Branca, estão o Laboratório de Biomedicina, para dar apoio às atividades de saúde e o programa de humanização na saúde, voltado para os Agentes Comunitários de Saúde em visitas domiciliares, que traz um melhor atendimento na área. Outro programa visa destacar a correlação entre ambiente e saúde, mostrando a importância dos princípios da prevenção e da precaução. Para os idosos, a atividade “Quem fica parado é estátua” procura trabalhar a sensibilização corporal e atividades físicas, na Vila Dignidade. No contexto dos programas, há ainda o trabalho desenvolvido dentro da Medicina Veterinária.

Estão sendo desenvolvidas ainda, as atividades nas áreas da educação, em parceria com a saúde, como a capacitação dos Conselheiros Municipais de Saúde, dentro da organização e da representatividade como meio na luta pelos interesses comuns e trabalhar a inclusão social de forma geral. “Um dos nossos interesses é trabalhar também a Educação Ambiental”, conta o coordenador. “Itapeva é muita rica no que diz respeito ao turismo e à história. Pretendemos explorar também esse lado do município”, diz Antonio.

Em visita ao Quilombo do Jaó, o grupo fez o levantamento da comunidade, junto à Unidade Básica de Saúde e observou a possível existência de alguma doença genética entre os moradores. “Sendo um quilombo, é comum que haja casamento entre parentes, ameaçando a saúde das futuras gerações”, conta Antonio. “Faremos um aconselhamento genético para os quilombolas, de acordo com as necessidades encontradas”, explica.

Para o estudante de medicina, Renan Adamir Ferraz, a vivência com o paciente os torna profissionais mais humanos. “O fato de poder ajudar e estar inserido na realidade, convivendo com o paciente faz com que possamos enxergá-los como pessoas, conhecendo de perto suas necessidades”, diz. O futuro médico, Vitor Henrique Oliveira, fez parte da primeira turma que visitou Itapeva, em julho do ano passado, e conta sobre a expectativa dos moradores. “Eles estavam ansiosos com a nossa chegada e já percebemos a diferença na comunidade. Hoje os moradores nos procuram para falar das necessidades”, conta o aluno.

A Prefeitura de Itapeva celebrou Termo de Parceria para o desenvolvimento e concretização de ações do Projeto por dois anos. Os alunos devem voltar ao município no mês de julho para sua continuidade.

Projeto Rondon – O programa é uma iniciativa do Governo Federal e é trazido ao município em parceria com a Prefeitura de Itapeva, através da Secretaria Municipal da Saúde. Seu maior objetivo é a integração social, envolvendo a participação voluntária de estudantes universitários na busca de soluções que contribuam para o desenvolvimento sustentável de comunidades carentes e ampliem o bem-estar da população.

Dentre os principais objetivos está o de possibilitar os universitários o conhecimento prático das diferentes realidades nacionais e envolvê-los no processo de desenvolvimento do País, fortalecer a cidadania por meio da participação dos universitários na solução dos problemas das comunidades carentes e da conscientização dos mesmos a respeito da problemática política e atuar como agente difusor de novas tecnologias e métodos de gestão e na execução de programas de sustentabilidade ambiental e de responsabilidade social. (Tamara Freitas, da Assessoria de Comunicação Social da Prefeitura de Itapeva-SP)

Compartilhar

Notícias relacionadas