Vacinação contra raiva imuniza 3.360 animais em Itaporanga

A campanha de vacinação desenvolvida pela Secretaria Municipal de Saúde – de 13 a 20 de outubro – através da equipe de Vigilância Sanitária, vacinou 3.360 animais, sendo 1.608 na zona rural e 1.698 na cidade. Mas segundo o departamento esse número pode subir, pois muitos não puderam levar os animais nos pontos de vacinação tanto na cidade quanto nos bairros rurais, e estão vindo retirar as doses no Centro de Saúde.

Para isso, a Vigilância pede para quem ainda não vacinou seus animais venha retirar as doses, trazendo uma pequena vasilha com gelo.

O que é a raiva? É uma doença provocada por vírus, caracterizada por sintoma nervoso, que vitimiza animais e seres humanos. Ela é transmitida através da mordedura ou lambedura da pele lesionada por animais raivosos. Na maioria dos casos, por cães e gatos. Mas outros animais como ratos, bovinos, equinos, suínos, macacos, morcegos e animais silvestres também podem ficar doentes e transmitir.

Os animais silvestres são hospedeiro primário para o vírus da raiva na maior parte do mundo. Mas os animais de estimação são os principais transmissores para os seres humanos.

Sintomas humanos – O homem é contaminado pelo vírus da raiva através do contato com a saliva do animal enfermo. Por isso, não precisa necessariamente ser mordido pelo animal. Basta que um corte, ferida, arranhão profundo ou queimadura em sua pele entrem em contato com a saliva do animal raivoso. Independente da forma contaminação esse o vírus se dirige sempre para o sistema nervoso central.

Sinais da raiva nos animais – Podem incluir alterações de comportamento, depressão, demência ou agressão, dilatação da pupila, fotofobia (medo do claro), incoordenação muscular, mordidas no ar, salivação excessiva, dificuldade para engolir devido à paralisia da mandíbula, déficit múltiplo de nervos cranianos, irregularidades na coordenação dos movimentos e paralisia parcial dos membros posteriores progredindo para paralisia total.

Agosto, mês de cachorro louco (dito popular) – Uma das explicações é que no período de agosto a concentração de cadelas no cio aumenta muito devido às condições climáticas. E quando as cadelas entram no cio, os cachorros “ficam loucos” e brigam para ter a fêmea. Essa briga intensa faz com que a raiva, doença que é transmitida pela saliva do animal, se espalhe mais.

Compartilhar

Notícias relacionadas