Itararé: Santa Casa sofre nova intervenção

O Ministério Público de Itararé, através do promotor de Justiça Fábio Antonio Xavier de Moraes, no último dia 17, interviu novamente na Santa Casa local, por esta continuar apresentando problemas. Moraes se reuniu com o Poder Legislativo, com médicos da instituição e com a empresa CTS(que há três anos administra a casa), e o novo interventor, Linneo Klocker Vasconcellos e seu preposto, Luiz Alberto Martins Guimarães, para discutir ações que venham a sanar os problemas daquela casa de saúde. Desta vez, o promotor Moraes estabeleceu o prazo de 90 dias para que o novo interventor apresente soluções para as irregularidades administrativas e para ineficiência de atendimento do Pronto Socorro. “Na última administração municipal foi estabelecido dois anos para a empresa CTS junto com um interventor municipal apresentarem um plano de funcionamento a contento, mas o que se viu foi muito pouco resolutivo”, observou o promotor. De acordo com a promotoria, a situação da Santa Casa é tão caótica ao ponto de, no final de 2008 a então diretoria da entidade ter entregue seus cargos, sob o argumento de ser causa perdida. “Fiquei surpreso com a situação, pois foi um ato unânime entre a diretoria”, exclamou Moraes. Depois disso, surgiram especulações sobre o fechamento da Santa Casa, às quais o promotor esclareceu que não tem autoridade suficiente para isso. “O que eu faço é analisar os fatos e enviar um parecer à Câmara de Vereadores e ao prefeito. São eles que decidem sobre o fechamento ou não da Santa Casa”. Segundo ainda Moraes a nova intervenção já apontou algumas irregularidades administrativas, como uma dívida exorbitante e que em decorrência dessas, analisará a medidas para serem tomadas contra aqueles que cometeram as irregularidades. Como parâmetro de solução, Moraes, citou o Hospital e Maternidade Nossa Senhora das Graças, de Itaporanga, como exemplo de uma entidade que tinha problemas sérios e que hoje está estabilizada. “Respondo há dois anos pela comarca de Itaporanga e a Santa Casa de lá apresentava problemas idênticos. Mas, após minha intervenção houve um consenso e mobilização geral, que sanaram as irregularidades. Hoje posso dizer que a Santa Casa de Itaporanga é um exemplo a ser seguido, pois está funcionando dentro dos padrões exigidos de um atendimento de saúde de qualidade”, compara o promotor.

Compartilhar

Notícias relacionadas