Ônibus quebra na Rodoviária e passageiros perdem viagem: advogado vai ingressar na Justiça

 

Na manhã desta terça-feira (3) cerca de 30 passageiros que viajariam para Coronel Macedo, Taquarituba e Itaí, no horário das 07h30 da Viação Transfronteira, tiveram que descer do coletivo na Rodoviária de Itaporanga porque o veículo ficou sem condições de seguir viagem.

A Transfronteira está sediada em Wenceslau Braz-PR e faz a linha interestadual de 112 quilômetros até Itaí-SP, passando por Santana do Itararé-PR, Itaporanga-SP, Coronel Macedo-SP, Taquarituba-SP, terminando em Itai-SP. Os horários em Itaporanga são: 07h30, 11h30, 15h30 e 19h.

Segundo o advogado Célio Fagundes, que era um dos passageiros e seguiria até Taquarituba onde tomaria um outro ônibus até Fartura e desta até Ourinhos onde, em trabalho com hora marcada representaria um cliente, o seu compromisso ficou prejudicado e ele agora vai ingressar com uma ação na Justiça contra a Transfronteira, pedindo reparação dos danos.

Célio contou que o veículo que veio de Wenceslau Braz já chegou na Rodoviária de Itaporanga apresentando problemas de motor. “Depois de todos embarcados, o motorista tentou seguir mas não conseguiu. Em seguida ele ordenou que todos deveriam descer e se virar, ou aguardar outro ônibus que viria no próximo horário, às 11h30, ou seja, 4 horas depois”, disse ele.

Segundo ainda ele, que fotografou – mesmo diante de tentativa de impedimento pelo motorista – partes precárias do ônibus, entre os passageiros com várias histórias de compromissos com horas marcadas, inclusive para pegar outros ônibus em outras cidades e seguir viagens, havia uma mulher que há dois dias tinha dado à luz no Hospital de Itaporanga e seguia com o marido e o recém-nascido para Coronel Macedo. “Ela foi pegar de volta o dinheiro da passagem e a princípio a empresa se recusou a devolver e por isso houve um princípio de tumulto, com protestos dos demais passageiros. Mas logo a empresa cedeu e todos – menos ele que se recursou – receberam o dinheiro da passagem de volta. Essa mulher com o bebê e o seu marido precisou tomar um táxi até Coronel Macedo. Um outro passageiro, que também não poderia esperar precisou pagar um táxi até Avaré, numa distância de 100 quilômetros”

O ItapoNews obteve informações dando conta que nos últimos tempos tem-se tornado quase que frequentes os casos de ônibus da Transfronteira quebrarem deixando passageiros na mão em Itaporanga.

“Mas, agora eu vou usar o meu direito de consumidor prejudicado e vou entrar na Justiça. Nós não podemos aceitar que uma empresa de ônibus que faz uma linha intermunicipal e interestadual ofereça um serviço precário de transporte coletivo, sem garantia e cumprimento de horários para o usuário. A população que depende desse serviço, paga por ele e por isso merece respeito”, encerrou o advogado Célio Fagundes.

O outro lado – O ItapoNews telefonou para a sede da empresa em Wenceslau Braz-PR para expor o ocorrido de hoje e ouvir o lado dela. O contato foi direcionado para o encarregado Tarciso, que falou sobre o assunto. “O quê você quer que eu faça? Criança nova tem diarreia, ônibus que não é novo e trafega todos os dias quebra e qualquer máquina pode dar problema. O que pudemos fazer no caso, fizemos. O dinheiro das passagens foi devolvido e oferecemos outro horário aos passageiros”, disse ele.

Compartilhar

Notícias relacionadas