Dilma entrega prêmio Anísio Teixeira, nos 60 anos da Capes

Às 15h desta segunda-feira (11/7), a presidenta Dilma Rousseff entregou, no Palácio do Planalto, o prêmio Anísio Teixeira a pesquisadores e professores que contribuíram para o crescimento da educação e da ciência no Brasil. A premiação faz parte da comemoração dos 60 anos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Ministério da Educação.

O Prêmio Anísio Teixeira foi instituído pelo Ministério da Educação em 1981, nas comemorações dos 30 anos de criação da Capes. A cada cinco anos, são homenageadas personalidades brasileiras com relevante contribuição para o desenvolvimento da pesquisa em pós-graduação no país. Patrono da educação Brasileira, Anísio Teixeira (1900-1971) dirigiu a Capes de 1951, ano de criação, até 1963.
 
Presidenta Dilma Rousseff entrega o Prêmio Anísio Teixeira ao professor Nelson Maculan Filho, por ocasião do 60º aniversário da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Brasília, DF, 11/07/2011) Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Neste ano, serão os homenageados: Álvaro Toubes Prata, reitor e professor titular da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC); Fernando Galembeck, professor titular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), vinculado ao Instituto de Química; João Fernando Gomes de Oliveira, professor titular da Escola de Engenharia de São Carlos, da Universidade de São Paulo (USP) e diretor-presidente do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo; Luiz Bevilacqua, professor emérito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); e Nelson Maculan Filho, professor titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Capes – Há seis décadas, a Capes contribui para a formação de profissionais, avalia cursos de mestrado e doutorado, oferece acesso à divulgação científica e promove cooperação científica nacional e internacional. Em 2010, concedeu 116 mil bolsas – 58 mil no país e cinco mil no exterior, além de 53 mil para a educação básica. No ano anterior, ajudou na formação de 50.168 mestres e doutores. A ampliação do número de pessoas pós-graduadas no país é uma das prioridades da Política Nacional de Educação e de Ciência e Tecnologia do governo federal. Em 2010, a distribuição de bolsas foi mais expressiva nas regiões Sul (12.467) e Sudeste (26.940). No entanto, cabe observar que a evolução da concessão de bolsas para as regiões Norte e Nordeste tem sido expressiva desde 2003. Naquele ano, foram concedidas 809 para a região Norte, contra 2.915 em 2010 – um aumento de mais de 260%; no caso da região Nordeste, foram 3.780 em 2003 e 11.723 em 2010 – um acréscimo de cerca de 210%.

A instituição também oferece conteúdo científico para a formação de pesquisadores, mestres e doutores. O Portal de Periódicos da Capes, maior biblioteca virtual brasileira de informação científica, registrou mais de 67 milhões de acessos em 2010. Neste ano, atingiu marca superior a 29 mil títulos em todas as áreas do conhecimento.

Nesses 60 anos, a Capes comemora a evolução e o crescimento da pós-graduação brasileira e a bem-sucedida implementação de programas que contribuem para aprimorar a qualidade da educação básica, com a formação de professores mais bem preparados para atuar nas escolas brasileiras. (Da Assessoria de imprensa
Ministério da Educação)


Compartilhar

Notícias relacionadas