Definido: Botucatu é cenário do longa metragem “Estranhas Cotoveladas”

O cineasta Reinaldo Volpato e o ator Domingos Meira visitam Botucatu para fechar as locações do longa metragem Estranhas Cotoveladas. Paulo Betti é outro ator já confirmado no elenco. O filme acaba de ser contemplado com verba do Programa de Ação Cultural da Secretaria de Estado da Cultura e entra em processo de produção. 

Agora Volpato busca empresas com lucro real que podem investir através da lei do Audiovisual para fechar o orçamento.

“Estranhas Cotoveladas” narra o complexo relacionamento entre Tiê Paixão e Pedro Álvares, dois engenheiros agrônomos, um pequeno e outro grande produtor, e a linda doutora Ella Trieste. Na disputa também, o sitio Itapedra, fonte de água e energia.
 
 
 
 

O filme discute tradições e contemporaneidade no interior paulista, os personagens transitam entre a enxada e o Ipod, o vinhoto da cana e o cogumelo orgânico, a cachoeira e a poluição no campo. O cenário é a natureza das formações geológicas do interior paulista – a cuesta de Botucatu, o Gigante Adormecido e a Torre de Pedra. A cachoeira e o mar de cana-de-açúcar.
 

A música do filme é outra particularidade, e integra a viola turbinada do Matuto Moderno, a flauta ancestral do maestro Ricardo Kanji e o shakuhashi do músico e estudioso Shen Ribeiro.

No enredo estão personagens como o solitário índio Jerry Adriani e o negro benzedor Zé da Veia, o humorado parceiro Tato Cariola em seu bar Por do Sol, local onde a juventude se encontra. Além dos estudantes da faculdade de agronomia, do inseguro Delegado, da mística Iara e da cachorrinha Gata, de quem podemos testemunhar os mais impagáveis pensamentos. 

Como pano de fundo a rica cultura do interior paulista, conectada ao planeta, antenada com o mundo.

O cineasta Reinaldo Volpato produziu, 2002 – Velhos, Viúvos e Malvados; 1995 – O Profeta das Cores; 1991 – A Cidade e o Corpo; 1987 – Canabraba – A Necessidade de Expressão em 1987 – PedeGuerra

Compartilhar

Notícias relacionadas