Botucatu terá parque para preservação de aves e cerrado

Unesp, poder público e empresas são parceiros de iniciativa ambiental prevista para 2022 – O Instituto de Biociências da Unesp Botucatu sediou na última sexta (13) o lançamento do projeto Eco Parque das Aves de Botucatu. Trata-se de um espaço com mais de 28 mil hectares, localizado às margens da João Hipólito Martins próximo (km 13 – sentido Rod. Castelo Branco), reservado ao bem estar animal. A previsão é que o empreendimento possa estar pronto para receber visitas no ano de 2022.

A estrutura incluirá anfiteatro a céu aberto (capacidade para 130 pessoas), viveiros, café lounge, jardim contemplativo, museu, trilhas ecológicas, borboletário e área para piquenique. Também é previsto um setor comercial com centro de convenções, estacionamento, restaurante com vista panorâmica e espaços para lojas.

A ideia é que o local seja voltado para a educação ambiental, com visitas escolares e visitas guiadas. Além de contar com um espaço dedicado à soltura de aves vitimadas pelo tráfico e a trabalhos de restauração do bioma de cerrado.

O projeto é fruto de um sonho do casal Marcio e Andrea Janjacomo. A inspiração veio após o advogado e a administradora de empresas visitarem o Parque das Aves de Foz do Iguaçu, no Paraná. “Não somos biólogos, mas acreditamos na vida e que a energia está toda na natureza. Assim, nós também pertencemos à natureza”, afirma Marcio.

O Instituto de Biociências da Unesp Botucatu é um dos parceiros institucionais do projeto, que conta ainda com apoio da Prefeitura de Botucatu, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ-Unesp); Centro de Medicina e Pesquisa em Animais Selvagens (Cempas); e empresas da Cidade.

“O que mais chama atenção é o caráter educacional e social do projeto, pois visa o cuidado com o meio ambiente, das espécies ameaçadas (especialmente aves) e sua reintrodução na natureza. Tudo isso sendo utilizado como atividade educacional com escolas da região. Para o IBB, ser parceiro do projeto representa uma grande oportunidade para a prática em ensino e atividades de pesquisa na área da biologia da conservação”, enfatiza o diretor do IBB, Prof. Cesar Martins.

Além de parceiro, o Instituto de Biociências ajuda a viabilizar o projeto com recursos humanos de qualidade. Bianca Picado Gonçalves, Gustavo Toledo Bacchim e Lais Freitas Lopes são todos ex-alunos do curso de Ciências Biológicas e fazem parte da equipe técnica do parque.

“Para nós, como biólogos atuantes na área ambiental, é a realização de um sonho fazer parte deste projeto. Poder atuar em um projeto tão engajado na proteção da fauna e flora nos deixa pessoalmente e profissionalmente muito realizados”, diz Lais.

Mais informações: www.ecoparquedasaves.com

(Da 4 Toques – Assessoria de Comunicação e Imprensa)

Compartilhar

Notícias relacionadas