Chove bem mas, Itaporanga está sem água nas torneiras; fala-se que prefeito pretende romper com a Sabesp

Desde as 12h está faltando água nas torneiras da cidade, e desta vez, a causa não foi por falta de chuva, mas, de acordo com a informação oficial da Sabesp, fornecida pela (Central de Informações da empresa, localizada em Itapetininga, portanto a 200 quilômetros), um problema decorrente de pane na parte elétrica causa o desabastecimento, e que a previsão de que o precioso líquido volte a jorrar nas torneiras é só lá para depois das 20h. Com isso, o itaporanguense terá de amargar oito horas sem água.

Vejam as contradições, falta de transparência e desrespeito da Sabesp com o consumidor. A central informou a causa como sendo pane elétrica, e questionada pelo Itaponews para das mais informações sobre que tipo de pane elétrica, alegou falta de energia, numa tentativa de transferir o problema para a concessionária Elektro, que não tem culpa na história, porque o abastecimento de energia está normal.

Aliás, ao contrário da Sabesp, a Elektro desde que assumiu o serviço da então Cesp vem investindo para que Itaporanga e outros municípios na sua área de concessão não venham sofrer com falta de energia elétrica.

Mas, a verdade é que não foi mesmo falta de energia. Logo após a constatação do problema os funcionários estão correndo para resolvê-lo. Vários veículos, alguns até da Sabesp de Taquarituba foram vistos circulando pelo caminho que liga a cidade até a estação de captação, no Ribeirão Vermelho do Sul.

Depois, uma camioneta passou com algo de certo volume (podia ser um motor elétrico e uma bomba) coberto por encerado sobre a carroceria, pegando estrada sentido Taquarituba ou Itapetininga.

Tudo, como dissemos em assuntos anteriores, pode apresentar problemas, mas a solução deste, da Sabesp, não pode demorar muito, porque trata de uma questão de saúde pública e afeta diretamente o saneamento básico, essencial para uma boa qualidade de vida.

A indagação que se faz é: não seria o caso de a Sabesp manter, no local de captação,  motores e bombas de reserva, para não precisar interromper o abastecimento da população?

Mas, esse problema – do ribeirão encher demais e alagar a estação de captação, queimando motores e bombas – se repete em todos os verões quando aumenta a quantidade de chuva. Portanto, é algo que faz parte da rotina da empresa, que, ao invés de solucioná-lo, prefere fazer gambiarras.

Não seria à toa que a atual administração de Itaporanga estaria  muito descontente com os serviços da Sabesp, e de acordo com o que se ouve na cidade, existem conversas  de fontes insuspeitas dando conta que o prefeito pretende não renovar mais o contrato de concessão com a empresa. Se isso ocorrer, Itaporanga, como os demais 281 dos 645 municípios paulistas, assume o seu serviço de saneamento, e com a enorme arrecadação, e até mesmo cobrando mais barato do consumidor, fará os investimentos que forem necessários para que o itaporanguense não sofra com o descaso e falta de investimento da Sabesp.

E enquanto isso, vamos ficar na expectativa de ouvir, dar torneira, primeiramente o barulho de água chegando, ou seja, vento entrecortado por água, que vão passar pelo hidrômetro como se fosse só água consumida). Claro, vamos ter de pagar pelo vento também.

Compartilhar

Notícias relacionadas