Governo do Estado inaugura no HCFM de Botucatu o 1º Bom Prato Saúde

 

Da Secom de Botucatu – Café da manhã por R$ 0,50 e almoço completo por R$ 1. Quem passa pelo campus da Unesp no Distrito de Rubião Júnior, em Botucatu, agora pode se valer de uma refeição saudável e de alta qualidade, à baixo custo. Isso porque, nesta quinta-feira (3), foi inaugurada no Município a 50ª unidade do Bom Prato, programa de segurança alimentar do Governo do Estado de São Paulo. Este também foi o primeiro restaurante implantado dentro de um ambiente onde são prestados serviços na área de saúde. Portanto foi batizado carinhosamente como Bom Prato Saúde.

Diariamente o Bom Prato Saúde de Botucatu servirá 1,5 mil almoços e 300 cafés da manhã. Na inauguração foram servidos mais de 850 pratos. No cardápio o público pôde experimentar arroz e tutu de feijão, pãozinho, lombo à sertaneja (lombo suíno assado com molho roti e milho), abóbora na salsa, salada de rúcula e alface com cenoura, suco de morango e, de sobremesa, pêssego. A partir desta sexta-feira (4), o café da manhã começa a ser servido às 7 horas. O horário do almoço é das 10h30 para o público prioritário e às 11horas para o público geral.

Em Botucatu, os grandes beneficiários serão pacientes e acompanhantes do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina (HCFMB) vindos de 70 municípios de toda a região e de outros estados que se dirigem à unidade em busca de tratamento especializado. Além dos próprios funcionários e estudantes da universidade. Estima-se que cerca de 10 mil pessoas passem diariamente pelo campus.
A implantação da 50ª unidade do Bom Prato contou com o apoio da Prefeitura e da Faculdade de Medicina da Unesp de Botucatu. O gerenciamento dele será feito pelo Instituto J. Augusto. Pelo Governo do Estado de São Paulo foram investidos R$ 3.231.280,00 entre implantação (R$ 400 mil) e custeio das refeições para os próximos dois anos (R$ 2.831.280,00).

Articulação e conquista regional

Participaram da cerimônia o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro; o prefeito de Botucatu João Cury Neto; o deputado estadual, Fernando Cury; o superintendente do HCFMB, Dr. Emílio Carlos Curcelli; prefeitos de 24 cidades da região, funcionários e estudantes da Unesp, além de outras autoridades públicas e população em geral de Botucatu e inúmeras cidades vizinhas.

Para a presidente do Instituto J. Augusto, Regina Aparecida Augusto, gerenciar o Bom Prato em Botucatu tem um gosto todo especial. “Na minha infância passei por esses momentos que os pacientes que vem aqui na Unesp e no HC passam. Por ter uma sequela de poliomielite tive muitos momentos delicados, passados no HC de São Paulo. E hoje, na comemoração do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, estou participando da realização desse grandioso sonho. Só tenho a agradecer pela confiança e carinho que recebemos da população botucatuense”, diz.

O deputado estadual Fernando Cury lembrou as articulações em conjunto com o prefeito João Cury e Unesp, além das mais de 40 mil assinaturas que recolheu na região como forma de justificar, junto ao Governo do Estado, a instalação do Bom Prato em Botucatu.

“Foram 300 cidades que tivemos a oportunidade de andar durante três anos e detectamos a necessidade de termos um lugar onde as pessoas pudessem de alimentar bem, com qualidade. Com esse abaixo assinado e ofícios de diversos prefeitos e vereadores das 68 cidades que a Unesp atende, nós fomos até o governador Geraldo Alckmin, que se sensibilizou e entendeu o nosso pleito”, conta.

“Muita gente sai de suas cidades três horas da manhã pra ser o primeiro a ser atendido às sete da manhã e, o último, às cinco da tarde. E nisso a pessoa fica esperando pra ser atendido, passando fome, até porque às vezes não tem dinheiro pra comer. Mas essa conquista não é só da Cidade de Botucatu, mas de toda a região e líderes que sonharam este mesmo sonho. Queremos estender pra todo o Estado esse projeto do Bom Prato Saúde. E isso já está virando realidade, visto que o próximo Bom Prato vai acontecer na cidade de Barretos, no Hospital do Câncer”, adianta o parlamentar.

Homenageado através de uma placa concedida pelo prefeito João Cury, devido ao intenso trabalho realizado de articulação para viabilizar o Bom Prato Saúde em Botucatu, o superintendente do HCFMB, Dr. Emílio Carlos Curcelli, fez questão de agradecer o empenho dos funcionários da Unesp envolvidos no projeto. Também enfatizou que o equipamento público será de fundamental importância na vida dos pacientes que passam pelo Hospital das Clínicas.

“Sabemos um pouco da dificuldade que cada paciente tem para o acesso ao sistema de saúde. E quando ele aqui chega, queremos que ele seja muito bem acolhido. Que ele tenha aqui, um pouco da dignidade em relação à sua cidadania. Em nome dos pacientes do HC, eu faço um sincero agradecimento a todos os envolvidos neste projeto. É uma demonstração inequívoca do dinheiro público bem aplicado”, afirma.

Na oportunidade, o prefeito de Botucatu, João Cury, além de não poupar elogios à articulação de todos os parceiros envolvidos no projeto, falou sobre os valores e princípios que cercam um equipamento público como o Bom Prato. Também agradeceu o governador Geraldo Alckmin, que soube tratar de forma diferenciada a demanda apresenta por Botucatu e região.

“O Bom Prato Saúde de Botucatu não se enquadrava nos requisitos necessários formais do Governo do Estado, até porque o Governo do Estado não tem dinheiro para atender a todos. E quando você tem as demandas infinitas e recursos finitos, nós temos que saber elencar prioridades e convencer aqueles que precisam ser convencidos, de que o nosso pleito é justo, que vai atender aqueles que mais precisam. Agora, tem formas de se fazer isso. Até porque o Bom Prato era apenas para cidades com população acima de 200 mil habitantes. E Botucatu não tem isso. Como que conseguimos chegar lá? Porque nós nos articulamos. Porque quando você sente na pele a dor do outro, isso te fortalece. E foi com este espírito que conseguimos sensibilizar as autoridades pois acreditamos que nada resiste ao diálogo”, argumenta.

“Não é possível, numa das cidades do Estado mais rico da Federação, ter gente passando fome à espera de uma consulta. Mas o Bom Prato não é só pra paciente. Conheci motoristas dentro da Unesp que gastavam, por dia, R$ 6 em marmita. Com esse dinheiro, eles agora vão poder almoçar a semana inteira. Também sei de gente que vem até à Unesp de carona pra poder economizar o dinheiro pra comer. Se não for pra esse povo que estamos na vida pública, podemos ir embora pra casa. Tratar dos problemas da população não é olhar para o próprio umbigo. É saber que Botucatu é um polo regional da saúde e isso significa acolher bem os irmãos de fora. O desenvolvimento tem que ser regional. Pra ser bom para Botucatu, tem que ser bom pra todas as cidades ao seu redor. Além do mais, a fome não respeita divisa de município. Portanto, temos que se mais solidários”, complementa Cury.

O secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro, elogiou a dedicação integral do prefeito João Cury e deputado Fernando Cury na conquista do Bom Prato para Botucatu e região, e afirmou que a inauguração desta 50ª unidade, a primeiro na versão Bom Prato Saúde, é cercada de bastante simbolismo ao Governo do Estado de São Paulo.

“Este é o maior empreendimento social na área de segurança alimentar do Brasil e todos nós sabemos que a saúde entra primeiro pela boca. Por isso investimos num programa de segurança alimentar com a qualidade que tem o Bom Prato. Nosso primeiro Bom Prato Saúde. Ele está, como também o Poupatempo, entre as marcas mais reconhecidas pela população paulista em matéria de qualidade de serviço público do Estado. Vai atender estudantes, funcionários, professores, mais essencialmente aquela população de Botucatu e das cidades do entorno que procuram o serviço de excelência médica da Unesp. Essa é a resposta que o Governo do Estado de São Paulo dá a esta necessidade real, que é atender os pacientes e acompanhantes que às vezes vem de muito longe e passavam fome aqui”, reforça.

Sobre o Bom Prato

O programa de segurança alimentar do Governo do Estado de São Paulo foi criado em dezembro de 2000 com objetivo de oferecer à população de baixa renda, refeições saudáveis e de alta qualidade a custo acessível.

Além de Botucatu, atualmente há outras 49 unidades no Estado, sendo 22 localizadas na Capital, oito na Grande São Paulo, cinco no litoral e 14 no interior. A rede de restaurantes Bom Prato serve diariamente mais de 82 mil refeições (inclusive o que é servido nos fins de semana na unidade de Campos Elíseos, na Capital).

O almoço, com 1.200 calorias, composto por arroz, feijão, salada, legumes, um tipo de carne, farinha de mandioca, pãozinho, suco e sobremesa (geralmente uma fruta da época) tem custo de R$ 1para o usuário. O subsídio governamental é de R$ 3,81 para adultos e de R$ 4,81 para crianças com até 6 anos, que têm a refeição gratuita.

Já o café da manhã oferece leite com café, achocolatado ou iogurte, pão com margarina, requeijão ou frios e uma fruta da estação. A refeição, de 400 calorias em média, custa R$ 0,50 ao usuário. Em setembro de 2011, este serviço foi implantado em todos os restaurantes, com subsídio do Estado no valor de R$ 1,03 por refeição matinal.

Desde a inauguração do programa Bom Prato foram servidas 149.162.563 de refeições e investidos R$ 376.688.877,05 entre custeio das refeições, implantação e revitalização das unidades.

(Da Secretaria de Comunicação de Botucatu, com informações da Assessoria de Imprensa da Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo) Fotos: Igor Medeiros

Compartilhar

Notícias relacionadas