Itapeva já tem duas escolas municipais com tempo integral

O município de Itapeva ( 93.950 habitantes e IDH de 0,745) tomou importante iniciativa, implantando sistema de tempo integral em duas escolas da rede municipal. (foto reunião com os pais)  O projeto beneficia 220 alunos  – Educação Infantil e Ensino Fundamental – que passaram a contar no primeiro turno com aulas do currículo básico e no segundo turno com oficinas curriculares de orientação para o estudo e pesquisa, Hora de Leitura, Informática Educacional e Instrumental, Experiência Matemática e de Linguagem, atividades Esportivas, Motoras, Artísticas, Saúde, Qualidade de Vida e Empreendedorismo. Para isso, os alunos contam com quatro refeições diárias. Com isso, Itapeva passa a fazer parte dos municípios brasileiros atentos à educação pública de qualidade. No país, menos de 10% dos 52 milhões de alunos da rede pública fazem parte dessa experiência.

 Desde abril deste ano, a escola em tempo integral já é fato no município. O projeto tem como objetivo elevar a qualidade do ensino, ampliar a área de conhecimento do aluno, reduzir a possibilidade de reprovação e promover o atendimento do aluno com defasagem de aprendizagem, visando à ampliação do universo de experiências de linguagem, lógicas, artísticas, culturais, esportivas e de inclusão digital, com extensão do tempo de permanência do aluno no ambiente escolar.

Até o presente momento, duas unidades estão oferecendo aos alunos do Ensino Fundamental uma jornada escolar entre sete e nove horas diárias: EM Profª Auta Rolim, na Vila Santa Maria e EM Prof. Juarez Costa, no Bairro do Jaó.

Ambas foram escolhidas por serem escolas de maior necessidade, de acordo com os índices do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – IDEB e resultados avaliados pela Coordenadoria de Normas Pedagógica do município, além da estrutura física e a formação de equipe comprometida com o projeto, que servirá de estudo para implantação em mais escolas de Itapeva.

A expectativa é que o projeto se estenda as demais séries gradativamente conforme estruturação do prédio escolar a partir de 2011.

No primeiro turno, os alunos têm aulas com disciplinas do currículo básico e no outro com oficinas curriculares de orientação para Estudo e Pesquisa, Hora de Leitura, Informática Educacional e Instrumental, Experiência Matemática e de Linguagem, Atividades Esportivas e Motoras, Atividades Artísticas, Saúde e Qualidade de Vida e Empreendedorismo.

Quatro refeições são servidas a eles durante todo o dia: desjejum, café da manhã, almoço e lanche da tarde.

No total, 220 alunos estão sendo beneficiados. Para a implantação do Projeto foram necessárias novas instalações e contratações.

Os professores para as oficinas são escolhidos de acordo com o projeto apresentado para a equipe escolar. Essa equipe tem autonomia para avaliar o que está dentro do esperado para os alunos e que atenda aos objetivos propostos pelo Projeto Político Pedagógico.

Segundo Selma Cravo, secretária municipal da Educação, Itapeva tem desenvolvido iniciativas em educação buscando a melhor fase do desenvolvimento humano: a infância, onde tudo está pronto para receber estímulos positivos e desenvolver as  habilidades físicas, psíquicas, sociais, afetivas e principalmente desenvolver o pensamento e o raciocínio.

Para ela, o benefício de oferecer oportunidades às crianças nessa fase – 0 a 6 anos, Educação Infantil e 6 a 10 anos, Ensino Fundamental I é indescritível. “As crianças aprendem de forma lúdica na escola de período integral, pois há tempo para as mais diversas atividades, tudo com adequação à sua fase e idade”.

A proposta da Secretaria de Educação é que todas as crianças fiquem em período integral, mas não se opõe em deixar os pais a levá-las para casa se elas quiserem sair no final de um período.

Em reunião com os pais, na Vila Santa Maria, Selma falou sobre o projeto, orientou e esclareceu dúvidas.

Para algumas mães, o projeto é bem visto. “Estamos satisfeitas”, afirmaram.

Márcia Regina Figueira, mãe de Carlos Rogério de 5 anos, adorou a iniciativa e é favorável para com o projeto. “Não tenho do que reclamar, só a agradecer. É ótimo. Antes ele mal sabia a letra do nome. Depois da escola em tempo integral isso mudou”, afirmou.

“Queria que os meus outros filhos também tivessem essa oportunidade, assim não ficariam sem fazer nada nas ruas e aprenderiam mais”, acrescentou.

Para as mães que trabalham, a ação foi positiva também. “Antes eu não sabia o que ele estava fazendo e comendo. Agora fico mais tranqüila, pois sei que ele está na escola sendo educado e alimentado”, comentou outra mãe.

Lucimara Rocha de Oliveira, coordenadora da EM Auta Rolim, já vê resultados. 

Rosane Maria Nane, diretora da EM Juarez Costa, também.

Segundo ela, os alunos estão aprendendo mais rápido e melhor. “Todos ficamos impressionados com a mudança deles, que estão aprendendo com mais facilidade através do lúdico aplicado nas oficinas”, ressaltou.

A Oficina de leitura é a mais elogiada, conforme pesquisas realizadas. E não é só os estudantes que estão satisfeitos, mas a comunidade toda também. “Por eles a escola funcionaria 24 horas por dia. Todos estavam ansiosos para com a implantação do projeto. Eles adoram esse envolvimento”, finalizou Nane. (Com a Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Itapeva)

Compartilhar

Notícias relacionadas