Itaporanga inicia a comemoração dos 75 anos de presença dos monges Cistercienses

Com uma mão atrás e outra na frente, em 05 de agosto de 1936 chegava a Itaporanga um grupo de monges cisteciences, liderados pelo Pe. Athanasio Merkle, procedentes do Mosteiro de Himmerod(Alemanha) para a construção de um mosteiro para abrigar na América do Sul, os monges que lá ficaram sob pressão do nazismo.


Inicialmente esse grupo ficou alojado na casa da esquina da Rua São João com a 15 de Novembro(hoje residência de Gilberto Valente). Conciliando muito trabalho e atividades religiosas, dentre elas a de apascentar  a comunidade, até então desprovida de condições de desenvolvimento e de espiritualidade. Para isso, tiveram de lidar com uma certa resistência de algumas lideranças políticas locais. 
 

Construíram uma olaria que abastecia simultaneamente as construções do mosteiro, mosteirnho e da máquina de arroz. Em seguida instalaram a serraria para beneficiar as madeiras utilizadas nas suas obras e também as da comunidade.

Para ajudar na construção, os monges contaram com a ajuda da mão de obra da comunidade, que se organizava em mutirões, na forma de rodízio. Com isso, cada dia contava com trabalhadores da cidade e dos bairros rurais do município. 

Na época nem carrinho de caçamba existia. A terras das escavações eram colocadas sobre couro de boi e removidas arrastadas por parelhas de burros.

Nesse trabalho de fundação, com até cinco metros de profundidade em alguns pontos, ocorreu um acidente, um desmoronamento exatamente na vala onde fica a capela subterrânea. Nesse dia trabalhava no local o mutirão do Bairro Maria Júlia. Foram soterradas duas pessoas que estavam próximas: o senhor Benedito Messias de Rezende e um colono seu, cujo o nome não conseguimos levantar. 

Por causa do grande volume de terra, o resgate foi difícil e demorado. O colono teve morte imediata porque o peso da terra envergo-lhe para trás, estourando sua coluna lombar;  mas, o senhor Benedito sobreviveu porque seu chapéu caiu-lhe ao rosto e ele ficou respirando o ar do chapéu. Esse fato teria sido considerado um milagre e noticiado pela imprensa na cidade de Aparecida-SP. Quando percebeu que seria soterrado ele teria pedido a proteção de N.Sra. Aparecida. 

Logo, entre 1941 e 1943 ficava pronta a primeira ala do mosteiro e mais monges da Alemanha vieram para Itaporanga, trazendo a alta tecnologia usada na Europa para a agropecuária, que ajudou a impulsionar o desenvolvimento econômico. 

Mais tarde, construíram a Igreja Abacial de São João Batista, e a ampliação do mosteiro interligando-os, formando um magnífico conjunto arquitetônico, orgulho dos itaporanguenses e Cartão Postal da cidade. 


 
 

  

Compartilhar

Notícias relacionadas