Nova Comissão de Controle de Infecção Hospitalar do HC/Unesp vai intensificar trabalho de prevenção

Butucatu – Desde o final de fevereiro, o Hospital das Clínicas, vinculado à Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (HC/FMB) promoveu mudanças estruturais em sua Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CPCIH). As modificações vão dos integrantes ao nome do grupo, que agora passa a ser Comissão de Controle de Infecção Relacionada à Assistência à Saúde (CCIRAS).  
São novos membros do órgão os médicos Carlos Magno Castello Branco Fortaleza (presidente), Sandra Mara Queiroz Ricchetti, Daniela Ponce; além das enfermeiras Silvia Eduar K. Albuquerque, Adriana Gomes e Elaine Silva de Freitas.

Entre suas atribuições, a comissão é responsável pela análise e elaboração de políticas para o controle de acidentes e situações de riscos epidemiológicos derivados da infecção hospitalar. Também coordenará o uso de medicamentos antimicrobianos- antibióticos e quimioterápicos- além de treinamento de equipes de saúde. A comissão ainda agrega as funções de assessoria em condutas terapêuticas para pacientes infectados e implantação de medidas de isolamento.

Para o novo presidente da comissão, a mudança de nome reflete a preocupação que a Superintendência do HC tem em controlar tais eventos adversos muito antes de alcançarem o ambiente hospitalar. “Há, dentro de um hospital como o HC, serviços de assistência cada vez mais complexos, por isso é preciso lembrar que a compreensão de que um evento adverso pode estar ligada à assistência em saúde como um todo”, explica Fortaleza.

Segundo ele, a nova comissão deve focar sua atuação na normatização de rotinas para a prevenção dos casos mais corriqueiros de infecções. Tais instrumentos deverão compreender um ‘checklist’ de procedimentos, conforme ressalta o presidente da CCIRAS. Será possível a identificação de locais e situações de risco, acompanhamento das taxas de infecção e monitoramento de processos.

“A intenção é aplicar as atuais ferramentas de qualidade e avaliar os procedimentos de trabalho com a finalidade de reduzir a incidência de tais eventos em todo o processo de atendimento à saúde no hospital”, complementa Fortaleza.

O presidente do grupo, de 1982 à 2008, foi o professor emérito Augusto Cézar Montelli. Em seguida, até fevereiro de 2010, o responsável pela comissão foi o professor Paulo Villas Boas, atualmente sucedido pelo professor Carlos Magno Castello Branco Fortaleza.

Professor Paulo Villas Boas, que comandava a comissão desde 1997, diz ter conseguido importantes vitórias que contribuíram para a melhoria da assistência aos pacientes. Entre elas, menciona o controle diário de IH (Infecção Hospitalar) nas UTIs, o controle integrado de pragas e vetores, a avaliação do serviços prestados pelo serviço de limpeza hospitalar e a implantação do controle de uso de antimicrobianos no HC e política com reais benefícios, tanto assistencial como econômico.

“Agradeço a todos pela oportunidade de trabalharmos juntos, em especial aos amigos do Núcleo de Trabalho diário e, em particular, ao Dr. Montelli, modelo de Professor Universitário. A estes amigos repito frase de um professor emérito de nossa instituição:  – Vocês podem ter a consciência tranqüila, pois fizeram o melhor de cada um de vocês”, declara professor Villas Boas.  Flávio Fogueral, do
Jornal da FMB

 

 

Compartilhar

Notícias relacionadas