Sabesp flagra vendedor de dispositivos “chineses” para fraudes em hidrômetros

Flagrante, em SP, resultou na apreensão de mais de 20 equipamentos. Segundo vendedor – menor de idade – função dos equipamentos é reduzir o valor da conta de água por meio de manipulação do relógio

Equipes da Operação Caça-fraudes da Sabesp, em parceria com a Polícia Civil, flagraram nesta manhã (12) um rapaz que revendia dispositivos para fraudar hidrômetros. Os equipamentos, importados da China, eram vendidos por R$ 270 cada e, no momento da compra, o vendedor orientava o cliente como usá-lo e, assim, diminuir o valor da conta de água.

Durante a inspeção, os policiais encontraram mais de 20 dispositivos para o travamento do hidrômetro, além de material e endereços de prováveis clientes. O vendedor foi levado ao 27º DP, no Campo Belo. O material apreendido será investigado.

Sabesp e polícia reiteram que quem furta água está praticando um crime e pode ser indiciado por furto, cuja pena varia de um a quatro anos de reclusão, além da aplicação de multa.

Para identificar o crime, a Sabesp trabalha com as equipes de caça-fraude, que acompanham o consumo e vistoriam os imóveis. Além disso, conta com a colaboração dos próprios moradores, que podem relatar casos suspeitos pelo 195 ou pelo Disque-Denúncia (telefone 181), cuja chamada é gratuita e não exige a identificação de quem telefona.

A fraude prejudica toda a população. Quem comete o crime não se preocupa com o desperdício, pois acredita que não irá pagar pelo alto consumo. É comum entre fraudadores deixar torneiras abertas e não consertar vazamentos. Isso se torna ainda mais grave diante da pior seca da história da Grande São Paulo.

Balanço – Os resultados do esforço da Sabesp no combate a fraudes podem ser contabilizados nos primeiros cinco meses deste ano. O número de irregularidades identificadas na Região Metropolitana de São Paulo subiu 34% na comparação com igual período de 2015. De janeiro a maio de 2016,foram 9.428 casos, contra 7.012 em 2015. Para se ter uma ideia, no período a companhia identificou e interrompeu, em média, 62 furtos de água por dia. Em parceria com a Secretaria de Segurança Pública, a Sabesp realiza operações conjuntas com a polícia, para casos em que o fraudador impede a fiscalização e para prender os agentes fraudadores – que vendem a
adulteração para moradores, comerciantes e indústrias.

O volume de água desviado com essas fraudes foi de 1,444 bilhão de litros, suficiente para abastecer uma cidade do porte de Ferraz de Vasconcelos,com 182 mil habitantes, durante um mês inteiro. O prejuízo estimado foi de R$ 13,48 milhões.

Das 9.428 fraudes identificadas neste ano, 7.987 foram registradas em residências, o que representa 86% do total. Em imóveis comerciais, ocorreram 890 casos e na indústria e economia mista, 371. No entanto, as fraudes em comércios geram um desvio muito maior de água por causa do tipo de consumo. A violação de hidrômetro (64%) e as ligações clandestinas (36%) foram as principais ocorrências.

Compartilhar

Notícias relacionadas